domingo, 11 de junho de 2017

Misterioso sinal espacial “Wow!” finalmente é decifrado



Em 1977, o som dos extraterrestres foi ouvido pelos ouvidos humanos pela primeira vez – ou pelo menos foi o que as pessoas na época pensaram. O sinal Wow!, como ficou conhecido, foi detectado pelo astrônomo Jerry Ehman usando o telescópio de rádio Big Ear da Ohio State University, nos EUA – um detector de sinal de rádio que, na época, foi apontado para um grupo de estrelas chamado Chi Sagittarii na constelação de Sagitário.

Ao escanear os céus ao redor das estrelas, Ehman capturou uma explosão de ondas de rádio de 72 segundos: ele contornou com uma caneta o registro da leitura e escreveu “Wow!” ao lado, daí o nome do sinal. Ao longo dos últimos 40 anos, o sinal foi citado como evidência de que não estamos sozinhos na galáxia. Especialistas e leigos acreditavam que, finalmente, tínhamos provas de vida extraterrestre.

No entanto, o professor Antonio Paris, da Faculdade São Petersburgo, nos EUA, descobriu a verdadeira (e frustrante) explicação: um par de cometas.

Estes cometas, conhecidos como 266P / Christensen e 335P / Gibbs, têm nuvens de gás hidrogênio com milhões de quilômetros de diâmetro ao redor deles. O sinal Wow! foi detectado a 1420MHz, que é a radiofrequência que o hidrogênio naturalmente emite. Notavelmente, a equipe verificou que os cometas estavam na vizinhança no momento, e eles relatam que os sinais de rádio de 266 / P Christensen combinavam com os do sinal Wow!.
A busca continua

Embora esta descoberta seja uma decepção para os entusiastas alienígenas em todos os lugares,o sinal Wow! é o sinal mais forte que já recebemos do espaço, e, portanto, uma prova de nossa capacidade de interpretar com precisão sinais e sons do cosmos. Isso nos dá esperança em nossa tentativa de decodificar as centenas de sinais “estranhos” provenientes de outras estrelas que foram observadas recentemente.

Astrônomos detectam 234 sinais misteriosos que podem ser tentativas de contato alienígena

Temos várias armas em nosso arsenal de detecção cósmica, a maioria das quais é usada pelo Instituto de Pesquisa Extra-Terrestre de Inteligência (SETI). Seu principal meio de detecção é usar rádio-telescópios, e seu projeto mais ambicioso até o momento foi o “Projeto Phoenix”: a “busca mais abrangente do mundo por inteligência extraterrestre”.

Para este projeto, eles usaram três dos maiores radiotelescópios do mundo: o radiotelescópio Parkes na Austrália (64 metros de diâmetro), o Observatório Nacional de Rádio-Astronomia na Virgínia Ocidental (42 metros de diâmetro) e o Observatório de Arecibo em Porto Rico (o maior do mundo, com pouco mais de 300 metros de diâmetro).


Embora a tecnologia para detectar mensagens alienígenas permaneça relativamente estática, as ideias para se comunicar melhor com nossos próprios satélites avançam rapidamente, com possibilidades incluindo a comunicação por um raio laser e o estabelecimento de uma rede espacial via satélite.

Fonte : HypeScience

Nenhum comentário:

Postar um comentário