quinta-feira, 9 de março de 2017

As excentricidades de 5 dos maiores gênios da humanidade



Conheça hábitos nada comuns de alguns dos nomes mais importantes da história!

A genialidade costuma deixar quem a detém um pouco diferente do resto das pessoas e, em alguns casos, os hábitos desse gênios podem se mostrar realmente extravagantes. Abaixo, algumas das peculiaridades de 5 dos maiores gênios da história:

Thomas Edison: Uma das curiosidades sobre esse gênio é a forma como ele selecionava seus colaboradores. O método utilizado consistia em marcar um almoço em algum lugar, oferecendo ao candidato um prato de sopa, que sempre vinha com um saleiro na frente. Se o aspirante adicionava sal antes de provar o prato, Edison o eliminava imediatamente de sua lista, já que achava que quem agia com base em uma suposição tinha uma maneira de pensar inapropriada para o tipo de funcionário que ele procurava.

Edgar Allan Poe: As obras literárias do escritor norte-americano encantaram (e também apavoraram) gerações, mas poucos sabem que, para escrevê-las, este gênio tinha um costume bastante singular: anotava os textos em uma tira contínua de papel, juntando os pedaços com um lacre.

Truman Capote: O gênio autor de obras tão transcendentes como “A Sangue Frio” e “Bonequinha de Luxo” tinha uma superstição excêntrica com relação às sextas-feiras e, por isso, jamais iniciava ou terminava suas obras nesse dia da semana. Ele também era obcecado por números, por isso evitava se hospedar em quartos que tivessem o número 13 e não deixava mais que 3 pontas de cigarro em um mesmo cinzeiro.

Honoré de Balzac: O romancista francês estava convencido de que a cafeína estimulava sua criatividade. Isso o levou a um vício exagerado na substância, chegando a beber mais de 50 xícaras de café por dia - o que provocava uma insônia terrível. Quando a bebida passou a não funcionar mais, ele optou por comer os grãos de café diretamente.

Nikola Tesla: Uma das excentricidades mais notáveis de Tesla era sua predileção por pombos, que chegou a tal ponto em que era possível vê-lo coberto por esses animais nas ruas de Nova York. Da mesma forma que amava certas coisas, o cientista detestava outras com o mesmo ímpeto, como as joias – especialmente as pérolas. Além disso, sentia repulsa por mulheres obesas.


Fonte: SuperCurioso

Nenhum comentário:

Postar um comentário