terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Três textos da antiguidade que detonam a história, tal como a aprendemos




Há numerosos textos da antiguidade, que são controversos, os quais encontrados através dos anos ao redor do globo. A maioria deles são veementemente rejeitados pelos estudiosos da “corrente principal”, já que eles opõem quase tudo que foi apresentado pelos historiadores.

Dizem que alguns destes textos antigos quebram as crenças e dogmas da corrente principal que foram considerados como fundações sólidas da sociedade moderna.

Neste artigo, olhamos a três manuscritos que são extraordinários em todos os aspectos e podem estraçalhar com a história tal qual nos foi passada.

A Bíblia Kolbrin de 3.600 anos

Ela é considerada por muitos como o primeiro livro Judaico/Cristão, o qual expõem a compreensão da evolução humana, o criacionismo e o projeto inteligente. Os princípios matemáticos do Kolbrin refletem o interesse dos druidas antigos na astronomia e matemática, e fala de cataclismos globais do passado.

Trata-se de um texto antigo que, de acordo com muitos estudiosos, data de 3,600 anos, mas poderia ser muito mais velho. Os estudiosos acreditam que este antigo manuscrito tenha sido escrito na mesma época que o Velho Testamento foi composto.

A Bíblia Kolbrin foi escrita por vários autores. Este texto antigo é feito de duas partes que perfazem um total de 11 livros antigos.

Curiosamente, acredita-se que estes textos antigos descrevem a história da criação humana e mencionam a existência de várias civilizações antigas que existiram na Terra antes da criação de Adão e Eva.

Algumas pessoas categorizaram a Bíblia Kolbrin como a primeira ‘Bíblia’ antediluviana. O texto antigo descreve – entre outras coisas – os Anjos Caídos.


O Livro de Enoque

Desde sua descoberta, o Livro de Enoque tem sido considerado um dos textos antigos mais controversos do planeta.  O Livro de Enoque é uma manuscrito judaico religioso antigo que é traçado até Enoque, o bisavô de Noé. O Livro de Enoque é considerado por muitos estudiosos como uma das escritas apócrifas não canônicas mais influentes. Acredita-se que ele tenha influenciado grandemente as crenças cristãs.

Este texto da antiguidade (a primeira parte) descreve o legado dos ‘Observadores’, anjos ancestrais dos Nefilins (gigantes que habitaram a Terra).

O livro consiste de cinco importantes seções:

    O Livro dos Observadores (1 Enoque 1-36)
    O Livro das Parábolas de Enoque (1 Enoque 37-71)(também chamado de Similitudes de Enoque)
    O Livro Astronômico (1 Enoque 72082)(também chamado de o Livro dos Corpos Luminosos Celestes ou Livro dos Corpos Luminosos)
    O Livro das Visões dos Sonhos (1 Enoque 83090)(também chamado de Livro dos Sonhos)
    A Epístola de Enoque (1 Enoque 91-108)


O Livro de Gigantes

Este texto antigo, o qual acredita-se ter mais de 2,000 anos, prova – de acordo com muitos autores – que os antigos Nefilins eram seres reais e descreve como eles foram destruídos.

Ele foi descoberto várias décadas atrás nas Cavernas de Qumran, onde os pesquisadores encontraram os Pergaminhos do Mar Morto.  Especificamente, o Livro de Gigantes fala sobre as criaturas que habitavam o nosso planeta no passado distante, e como elas foram destruídas.

O Livro de Gigantes – que, a propósito está incompleto – oferece uma diferente perspectiva sobre os Nefilins.

De acordo com este texto antigo, os Gigantes – os Nefilins – ficaram cientes que devido aos seus modos violentos, eles encaravam uma destruição iminente.  Assim, eles pediram a Enoque para falar com Deus em seus nomes.



De forma geral, estes textos antigos indicam de forma veemente a existência de gigantes na antiguidade, os quais criaram o caos e destruição.

Fonte : Ovni Hoje

Nenhum comentário:

Postar um comentário