sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Descobridores da "Partícula de Deus" ganham prêmio Nobel de Física.



A comprovada existência do bóson de Higgs, a também chamada "Partícula de Deus", rendeu o Prêmio Nobel aos físicos Peter Higgs (84 anos), do Reino Unido, e Francois Englert (80 anos), da Bélgica.
Ambos realizaram estudos sobre a partícula de Deus, de maneira simultânea e independente, em 1964. O bóson de Higgs, ao interagir com outras partículas, lhes confere uma determinada massa, que completaria o Modelo Padrão da Física e permite compreender a origem das partículas subatômicas com massa.


Definitivamente, este prêmio deve-se ao fato de que os dois pesquisadores foram os que conseguiram chegar mais longe na busca de uma explicação precisa e completa sobre a existência da matéria, "desde as flores, até as pessoas, estrelas e planetas", como enalteceu a Real Academia de Ciências, da Suécia, sobre a entrega do Nobel de Física aos dois cientistas. Trata-se de um reconhecimento àqueles que, imersos nos mistérios da existência do Universo que nos rodeia, puderam encontrar uma resposta que parece abranger tudo isso e, por essa razão, a descoberta ganhou o apelido de "Deus".


Fatos sobre o bóson de Higgs:
- Inicialmente, o estudo de Peter Higgs sobre a nova partícula foi rejeitado.
- O ministro da Ciência do Reino Unido uma vez realizou um concurso nacional para encontrar a melhor explicação Higgs.
- O "Large Hadron Collidor" (LHC), a máquina de aceleração de partículas usada para descobrir o bóson de Higgs, custou mais 6 bilhões de libras esterlinas (em torno de R$ 21 bilhões)
- A teoria diz que, como o universo esfriou após o Big Bang, uma força invisível conhecida como o campo de Higgs foi formado. Partículas, então, ganham sua massa quando passam por este campo.

Fonte : History

Nenhum comentário:

Postar um comentário