quinta-feira, 8 de agosto de 2013

As aberrantes experiências científicas dos EUA



Muito se fala sobre as aberrantes experimentações científicas durante o regime nazista, com uso de seres humanos, em nome do desenvolvimento bélico, técnico-científico e de controle social. Contudo, a Alemanha não foi a única potência a conduzir experimentos com humanos durante o século XX. O jornal russo online RT publicou uma lista com os teste mais obscuros já colocados em prática pelos Estados Unidos. Veja abaixo alguns deles:

MK-Ultra: foi um projeto da CIA, entre os anos 50 e final dos 60, visando o controle mental. O doutor Donald E. Cameron usava pacientes psiquiátricos para testar uma terapia eletroconvulsiva com uma potência que superava 40 vezes a permitida. Após alguns meses de terapia, os pacientes perdiam todo o tipo de memória, inclusive esqueciam as palavras.


Câmeras de gás mostarda: durante a década de 1940, os Estados Unidos submeteram os seus militares a experimentos para realizar testes com armas químicas, sem que estes tivessem conhecimento. Por exemplo, para testar máscaras antigás e roupas de proteção, chegou-se a colocar soldados em câmaras de gás mostarda, substância que tem comprovadas propriedades cancerígenas e provoca queimaduras permanentes e extremamente doloridas.

Pulverização de agentes químicos em cidades: em meados do século passado, a CIA espalhou o vírus da coqueluche na baía de Tampa, provocando uma epidemia que matou 12 pessoas. A Marinha testou bactérias patogênicas em São Francisco, causando vários casos de pneumonia. O exército, por sua vez, liberou mosquitos portadores transmissores da febre amarela e dengue nos estados da Geórgia e Florida.

Infecção de doenças venéreas: aproximadamente 3 mil guatemaltecos foram infectados com sífilis e gonorreia na década de 1940. A causa foi uma experiência dos EUA para comprovar o efeito da penicilina na prevenção de doenças de contágio sexual.

LSD: Entre 1953 e 1965, a CIA testou em civis e militares o uso do LSD (dietilamida do ácido lisérgico) e outras drogas alucinógenas, sem conhecimento dos envolvidos.

Agente Laranja: entre 1951 e 1974, o governo norte-americano usou este produto tóxico (anteriormente empregado na Guerra do Vietnã) em presos na Filadélfia, alegando que estava realizando testes dermatológicos.

Fonte : History

Nenhum comentário:

Postar um comentário