quarta-feira, 31 de julho de 2013

Uma fotografia da nossa "alma"



Você já parou para pensar como seria aplicar um efeito "campo eletromagnético" ou "aura" na edição daquela foto do seu perfil nas redes sociais? Ou como seria sua foto de "corpo e alma"? Em busca de algo mais do que a simples captura do visível, o fotógrafo neozelandês Carlo Van de Roer também adicionou as suas fotografias um olhar sobre a aura ou a energia das pessoas.

Para isso, ele fez uso de sensores e de uma Polaroid na tentativa de registrar a "alma" dos seus modelos e como eles estavam se sentindo no momento da foto. O resultado desse projeto está no livro "A máquina de retratos" (de uma tradução livre de "The Portrait Machine"), em que ele clicou pessoas conhecidas e familiares.


A câmera usada é uma AuraCam 6000, que inclui dois sensores de mão ligados à câmera e filmes Polaroids. Resumidamente, a máquina "traduz" o campo eletromagnético de uma pessoa e o representa como um campo colorido em torno do filme. Este tipo de trabalho faz parte de um ramo chamado “Aura fotografia”, algo  relativamente novo, um tipo de fotografia do ‘espírito’. Este artifício é uma evolução de conceitos a partir de dispositivos como o do raio-X, em que uma imagem analisa e documenta aspectos "invisíveis" do corpo humano. O projeto também tem como característica o menor envolvimento possível do fotógrafo em relação ao objeto fotografado, tanto que, para fazer a imagem, é preciso apenas apertar um botão, o que implica a mediação mínima do fotógrafo.

De acordo com as cores predominantes na fotografia da alma da pessoa, é possível estabelecer algumas relações com seu chamado "estado de espírito". Geralmente, o azul representa sentimentos, emoções e instinto; verde quer dizer crescimento, cura e abundância. O amarelo representa o otimismo, a juventude e os sonhos, enquanto laranja tem como destaque bondade, vitalidade e comunicação. Uma pessoa de aura vermelha muitas vezes é dinâmica e criativa, mas nervosa.

O artista conta que "o projeto começou quando estava fazendo retratos Polaroide em Nova York... eu comecei a me interessar pela ideia de uma câmera que poderia oferecer uma imagem do caráter da pessoa fotografada ou de minha relação com ela, especialmente quando eu estava fazendo um retrato de alguém que eu conhecia", explicou Van de Roer.

Fonte : History

terça-feira, 30 de julho de 2013

Cinegrafista flagra disco voador em aeroporto de Paris



Um passageiro de um avião que estava no aeroporto de Paris, na França, estava fazendo uma filmagem pela janela e, sem querer, capturou imagens bem estranhas.

No vídeo, você vê versões em velocidades.

Na primeira, dá até pra notar algo muito rápido cruzando o céu.

Em outra versão, mais lenta, dá pra ter uma ideia do que se trata, mas é só isso: uma ideia.

Em apenas quatro frames de vídeo, o objeto já desapareceu.

Assista ao vídeo abaixo e tire suas conclusões:





Fonte  : R7

segunda-feira, 29 de julho de 2013

domingo, 28 de julho de 2013

O lugar onde o mar se abre




Todo mundo conhece a clássica história de Moisés e a fuga do Egito, onde ele estava comandando seu povo e o Mar se abriu para que ele passasse e depois se fechou, matando seus perseguidores e dando a oportunidade dele seguir em frente. E existe na Terra um lugar onde isso acontece de verdade e não é nenhum milagre:




                                                                        O Mar de Jindo

 Na Coréia do Sul existem duas ilhas banhadas pelo Mar Amarelo. Elas são separadas por poucos metros de mar, contudo, em épocas bem especiais do ano, elas se tornam uma, pois as marés criam uma pequena reprodução do famoso milagre de Moisés nessa região. Assim as pessoas podem andam “sobre a água", em um caminho que surge e some em pouco mais de uma hora.

Entre os meses de março e junho, a Ilha de Jindo e a de Modo, que são vizinhas, se unem por um caminho de Terra, atraindo milhares de turistas, que querem experimentar a sensação de atravessar o mar caminhando:







A coisa ficou tão grande que se tornou um festival local, onde pessoas de todos os cantos do mundo viajam até lá para admirar esse estranho fenômeno, que só ocorre graças as harmônicas de maré.



                                                      Harmônicas de maré


As águas da Terra são influenciadas pela Lua e pelo Sol, assim conforme nossa posição varia, também existem variações nas marés, criando um gigantesco movimento de água para todos os lados do globo.

Como a distância entre o Sol e a Terra variam durante o ano e como a proximidade da Lua também varia em relação a Terra, pois as órbitas existentes entre esses corpos são elipses, as marés também sofrem com essas mudanças de distância.

Por isso o sistema de marés da Terra é muito complexo. E só em determinados momentos especiais nós temos as harmônicas de maré, quando a água de certos lugares fica muito baixa ou muito alta.

É isso que ocorre no Mar Amarelo da Coréia do Sul em certos momentos do ano. As harmônicas de maré geram enormes baixas na altura da água e assim a caminho entre as duas ilhas surge. Sem a necessidade de nenhum milagre.

Fonte : Minilua

sábado, 27 de julho de 2013

Pirâmides misteriosas são construídas na área 51



Pirâmides misteriosas são construídas n área 51, No deserto de Nevada, a cerca de 110 km a noroeste de Las Vegas, surgem estranhas construções que  estão no GoogleMaps . Esta  perto da base militar conhecida como Área 51, e é formada por três infra-estruturas,

uma seção tubular semiburied
o que parece ser a entrada de  unidades subterrâneas
construção poliédrica e no topo truncado.
Apesar de, tecnicamente,  ser considerada como uma pirâmide de base triangular, a estrutura da imagem é de um tetraedro. Pirâmides tem quatro faces triangulares e um quadrado e o tetraedro tem todas as faces triangulares.


Além disso, embora em muitos blogs e vídeos do YouTube (como mencionado acima) para este edifício está localizado na Área 51, é, na verdade, no Nevada Test Site (NTS) , uma área adjacente à área 51 em que entre 1951 e 1992 foram realizados 925 detonações nucleares. Na década de 50, o flash da nuvem de cogumelo pode ser visto a partir da cidade de Las Vegas, que era uma grande atração turística.

Neste local foram realizados inúmeros experimentos para estimar  o poder destrutivo das bombas, para descobrir a melhor maneira de se defender contra um ataque inimigo.

Confira o vídeo sobre estas misteriosas Pirâmides e tire as suas próprias conclusões:

Disclose.tv - Giant Pyramid Built In Area 51! Why?



No final das instalações da   Área 4  estão os chamados “ Explosivos Big Experimental Facility ”(carne). Trata-se de um bunker de controle (tubo), um abrigo para as câmeras (que incide sobre o tetraedro) e uma área de detonação (o plano superior). Em 1995, estas instalações foram detonadas com mais de 3000 quilos de explosivos convencionais, para testar a capacidade destes depósitos de proteção oferecida aos técnicos  para realizar as medições.



A pergunta que fica no ar é a seguinte qual o real propósito desta construção, para que tudo isso?

Fonte: energy

sexta-feira, 26 de julho de 2013

“Faca” de 1,4 milhões de anos é encontrada em sítio arqueológico na Espanha



MADRID, Espanha -Arqueólogos que escavavam o sítio pré-histórico de Atapuerca, no norte da Espanha, anunciaram na quarta-feira (24) o descobrimento de um sílex de 1,4 milhões de anos.  Isto significa que é o vestígio de presença humana mais antigo já encontrado.
Esta pequena folha de silex, com aproximadamente 3 centímetros, foi descoberta na Sima del Elefante, a uns dois metros abaixo donde em 2007 encontraram a mandíbula mais antiga da Europa, com 1,2 milhões de anos.
O fragamento de grande valor, trata-se de uma faca talhada há 1,4 milhões de anos, explicou um dos diretores da escavação, Eduald Carbonell, na apresentação dos resultados da campanha anual executada em julho.

“Pensamos que com este achado, nos aproximamos ao limite aceito para a primeira ocupação da Europa Ocidental, que é de aproximadamente 1,5 milhões de anos“, anunciaram os investigadores em um comunicado.
De uma riqueza excepcional, os depósitos arqueológicos da Serra de Atapuerca, próxima a Burgos, cobrem um período que vai até 1,5 milhões de anos.
Ferramentas de pedra descobertas nesta campanha “confirmam a continuidade do povoamento humano na Europa, desde sua origem, há aproximadamente 1,5 milhões de anos, até o aparecimento do Homo antecessor, há uns 850.000 anos“, adicionou o comunicado.
Estes descobrimentos, segundo os investigadores, “contradizem portante as hipóteses apresentadas por alguns investigadores, que explicavam o primeiro povoamento da Europa a partir da sucessão de pequenas ondas de hominídeos, sem continuidade no tempo e condenadas a extinção, perante sua incapacidade para se adaptarem aos novos espaços“.

Fonte : Ovni Hoje

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Nasa divulga imagem da Terra vista de Saturno



Seta aponta a Terra na imensidão espacial / HO / NASA/JPL-CALTECH/SSI / AFP


Devido a distância entre o planeta e a Terra, imagem demorou um dia para chegar.


A Nasa divulgou, nesta segunda-feira, uma imagem feita pela Missão Cassini no dia 19 de julho, que mostra a Terra vista da órbita de Saturno.



A Terra está apontada com uma seta e é o ponto mais brilhante no espaço. A câmera estava a 1,445,854,740  quilômetros de distância da Terra, o que fez com que a imagem demorasse um dia para chegar à Nasa.


Fonte: Band

quarta-feira, 24 de julho de 2013

OVNI cilíndrico fotografado sobre Mogi das Cruzes



Um objeto voador não identificado cilíndrico e aparentemente enorme, foi fotografado na cidade brasileira de Mogi das Cruzes em SP. A fotografia teria sido feita em 12 de agosto de 2012, portanto há quase um ano. A foto foi enviada ontem à MUFON e o relato foi um pouco confuso, não me permitindo entender se o fotógrafo viu ou não o objeto no momento da fotografia.


Eu acredito que tenha capturado o objeto por acaso ao fotografar as nuvens de tempestade. Vejam a fotografia original e outras imagens alteradas com filtros. Comentários são sempre bem-vindos...

Veja as fotos:








Contraste alterado




Cores invertidas (negativo)




Objeto destacado

Fonte: etseetc.blogspot.com.br

terça-feira, 23 de julho de 2013

Pedras Guias da Geórgia - Decifrando Códigos



Episódio de Decifrando Códigos, uma série do Canal por assinatura o The History Channel.

Nesse episódio a equipe de investigadores pesquisa sobre as misteriosas Pedras Guias da Geórgia.







segunda-feira, 22 de julho de 2013

Bases extraterrestres Subaquáticas são descobertas na flórida



Bases extraterrestres Subaquáticas são descobertas na Flórida, O incidente Ufo de  Gulf Breeze  é uma famosa série de avistamentos de OVNIs que ocorreram início em 11 de novembro de 1987.

Gulf Breeze era uma pequena cidade da Flórida com aproximadamente 6000 Habitantes, no momento de uma onda de avistamentos de OVNIs, que começou no final de 1987. Notícias e fotos de UFOs de alta qualidade se espalharam rapidamente  em todo o mundo e tornou-se o assunto de artigos de jornais e revistas, televisão talk shows e programas.


O “Gulf Breeze UFO Incident” prova mais definitiva é uma série de fotografias e reivindicações de contato feitas por Ed Walters, que começou, para ele, em 11 de novembro de 1987. Walters relatou e documentou uma série de avistamentos de OVNIs durante um período de três semanas. As fotografias da embarcação eram extraordinariamente claras e reivindicações inicialmente geradas com grande entusiasmo. Uma pesquisa feita por Jerry Preto no início de 1990 revelou um rastro de dinheiro suspeito conduzindo  Walters, dando as indicações iniciais de que o caso era uma farsa. [1]

Nos anos seguintes, novas evidências, incluindo a descoberta de um modelo em uma casa que pertenceu a Walters, similar aos UFOs em suas fotografias, mudou a opinião da maioria que acreditou que as fotos de Walters dos avistamentos de 1.987 foram falsificadas. O modelo foi encontrado por Robert Menzer, que foi citado dizendo: “O modelo tinha 9 centímetros de comprimento na parte superior e 5 cm de profundidade .” Duas placas de espuma de nove polegadas ligados a duas placas de espuma de seis polegadas; seis polegada quadrada com gel de cor azul (filme plástico) e no anel de seis polegadas  papel  laranja, um longo tubo de 3,5 polegadas e uma polegada de um anel de papel 2 de largura entre as duas placas de nove polegadas. Havia janelas desenhadas no modelo que foi coberto com a elaboração de papel “.

Embora Ed Walters tivesse os  nexos dos avistamentos Gulf Breeze, ele não era a única pessoa a reclamar um avistamento. De acordo com ufocasebook.com, cerca de 200 outros vieram  com reinvidicações de avistamentos, vídeos e / ou fotografias, durante um período de três anos. Em 2 de dezembro de 2010, A série  Fato “Syfy” ou falsificou investigou outro vídeo de OVNI filmado em 2009, onde o objeto no vídeo é semelhante ao (s) Ed Walters travado na câmera.

UFO Hunters é uma série de televisão americana que estreou em 30 de Janeiro, 2008 no The History Channel, produzido pela Motion Picture Production Inc., e correu por três temporadas.

Jon Alon Walz foi o produtor executivo do show e foi o responsável por vender a série para History Channel depois de uma guerra de licitação para os direitos para o show eclodiu entre History Channel e Sci-Fi Channel (agora Syfy).

O conceito para o show foi testado em um segmento de 2006 UFO especial intitulado “UFOs do mar profundo” History Channel, produzido pela Motion Picture Production Inc, que contou com dois dos quatro membros finais do elenco. “Caçadores de OVNIs” não era um spin-off de um especial do History Channel 2005  com o mesmo título.

O slogan do programa é: Embuste ou História?

A série não deve ser confundido com um tema semelhante e intitulada UFO Hunters, um especial que estreou no mesmo dia e hora no Sci-Fi Channel, (agora SyFy), e criado pelos produtores de Ghost Hunters, mas que só foi ao ar uma episódio.

Nos EUA, History Channel liberado somente as duas primeiras temporadas em DVD no fim airdate correta. No entanto, o formato foi liberado somente em tela cheia (01:33:01) em vez de tela larga. No Reino Unido, History Channel lançou a terceira e última temporada em DVD no entanto, os episódios foram lançados na ordem airdate incorreta.

Em uma entrevista de 2011 com Jim Harold, William J. Birnes alegou que, após o episódio de Base de Dulce foi ao ar, o show foi cancelado por executivos de alto nível no History Channel.

De fato se teria descoberto algumas Bases extraterrestres na Flórida, confira o vídeo :

Disclose.tv - Underwater Extraterrestrial Bases Discovered in Florida (FULL VIDEO)

Fonte : :ufocasebook

domingo, 21 de julho de 2013

NASA apaga imagens onde aparece suposta nave extraterrestre



Depois de quase um ano, a NASA removeu de seus arquivos imagens de um objeto que os estudiosos de óvnis descrevem como uma nave extraterrestre.   De tempos em tempos surge a suspeita de manipulação de imagem por parte das agências espaciais governamentais. Tal revelação poderia gerar histeria na população mundial.   Várias instituições de estudo do fenômeno óvni acusam a NASA de apagar evidências de seus arquivos. Elas poderiam provar que seres extraterrestres já visitaram o planeta Terra.   VEJA O VÍDEO DE ÓVNIS FEITOS PELOS SATÉLITES DA NASA:




Fonte : History

sábado, 20 de julho de 2013

Histórias de Guerras Cósmicas



Na manhã de 14 de Abril de de 1561 em Nuremberg, Alemanha, a população levantou para admirar um show de objetos cilindros no céu, que liberavam discos de diversas cores. Segundo relatos públicos no Nuremberg Gazette, objetos semelhantes a canhões surgiram e começaram a lutar uns contra os outros. Após uma hora de batalha, os objetos pegaram fogo e caíram na Terra, onde viraram fumaça.
5 Anos depois um arquiteto austríaco, Hans Glaser criou uma gravura de madeira detalhando o que ele observou durante o evento.


E de acordo com esta gravura, com jornais e os relatos, podemos ter certeza de que eram de fato ÓVNIS que estavam nos céus, batalhando uns contra os outros. Seria a prova de que este padrão de ÓVNIS existe há muito tempo.


Para os teóricos dos Deuses Astronautas é a prova de uma guerra cósmica entre seres alienígenas. E não foi o único evento do tipo. Segundo os teóricos, eventos como este vêm ocorrendo desde a Antiguidade.
Em diversos casos como na Índia antiga, Sodoma e Gomorra, Europa na Idade Média, houve casos de supostas tentativas de aniquilação da humanidade. Religiosos acreditam que foi algo divino, cientistas acreditam que tenha sido natural. Porém os teóricos acreditam que tudo se interliga com o fato de em todos os relatos haver luzes nos céus influenciando de alguma forma no evento.Como no caso da Idade Média, quando as pessoas viam luzes e fumaça vindo pelas ruas e causando as mortes de todos que por ali estavam. Alguns juravam ver a própria Morte cruzando as ruas e ceifando as vidas daqueles que estavam em sua frente. Algumas pinturas da época chegaram a tentar demonstrar como a população via a Morte andando pelas ruas do Antigo Continente.


Mas poderia haver alguma relação entre os eventos do passado com as atuais catástrofes e os avistamentos de ÓVNIS em ambos os casos? Há alguma prova real de que alienígenas estão criando evento cataclísmicos na tentativa de diminuir ou controlar a população terrestre?

Fonte : Imensidão Oculta

sexta-feira, 19 de julho de 2013

As criaturas mais incríveis da pré- história



Na sua tentativa de reconstruir o passado da vida, o homem têm como seu objetivo compreender e interpretar esse passado, além de estabelecer seu relacionamento com o presente.  Para isso, os paleontólogos utilizam fósseis como objeto de estudo, os quais permitem conhecer a vida em outras épocas.
Fósseis, em um sentido mais amplo, são quaisquer vestígios deixados por seres vivos. Se você colocar a sua mão em uma camada de lama e depois retirá-la e, por um milagre ela resistir ao tempo, você também terá um fóssil.  Muitas pessoas pensam que o registro fóssil é caracterizado apenas por ossos fossilizados, porém, não é assim.  Discussões à parte, o importante é que existem fósseis. Através destes, podemos contemplar a beleza que havia antigamente no planeta Terra, bem como valorizar ainda mais a beleza existente.
Confira abaixo algumas das mais incríveis espécies da pré-história:

Quetzalcoatlus
Diretamente do Cretácico superior, o Quetzalcoatlus é um pterossauro que habitava a América do Norte há cerca 84-65 milhões de anos. Foi o maior pterossauro conhecido e tinha a maior envergadura de qualquer animal voador conhecido. É nomeado Quetzalcoatl devido a serpente emplumada da mitologia asteca.


O pterossauro tinha o tamanho de uma girafa, isto é, tinha uma envergadura de 12 metros. Ele podia atravessar pradarias abocanhando pequenos dinossauros, assim como uma ave moderna pode alvejar rãs e sapos.
Dunkleosteus terrelli


Há mais de 360 milhões de anos, o Dunkleosteus terrelli era um dos manda-chuvas dos oceanos, isto é, ele era um predador voraz.   Viveu durante o período Devoniano, mais conhecido como Idade dos Peixes, pela grande biodiversidade marinha que existiu nesse período.  Tinha a cabeça e o tórax coberto com placas duras parecidas com uma blindagem que chegavam a 5 cm de espessura, embora a cauda ainda não foi encontrada.
Plesiossauro


Plesiossauros não são uma espécie, mas sim uma ordem de várias espécies de répteis marinhos extintos. Dois tipos ecológicos de plesiosauros podem ser distinguidos, o primeiro é composto por animais de pescoço longo e cabeça pequena, enquanto o segundo continha animais de pescoço curto e cabeça alongada. Ambas possuíam o tronco rígido e pesado, membros que funcionavam como remos e as narinas localizadas no alto da cabeça, imediatamente em frente aos olhos.
Eram predadores extremamente vorazes,apanhando peixes velozmente.

Archaeopteryx


Embora também não seja uma espécie, mas sim um gênero de aves primitivas, as espécies do gênero Archaeopteryx são de extrema importância para a ciência, pois ligam dinossauros à aves. Embora possuísse penas, ela não voava. Até hoje, o mais famoso desse gênero é o A. lithographica.
A excelente conservação desta ave-dinossauro é um dos aspectos mais marcantes, daí sendo possível obter muitos dados a partir de um único fóssil, já que aves-dinossauros são relativamente raros na paleontologia.
Entelodon


O Entelodon é parente dos atuais porcos e javalis, porém, é muito mais agressivo que estes. As evidências apontam que o Entelodon era um onívoro, isto é, se alimentava de  tudo, porém, acredita-se que eram caçadores, chegando a competir com os ancestrais dos lobos.  Pesavam cerca de 1 tonelada, o que lhes davam uma vantagem perante os demais competidores do mundo natural.
Como muitos mamíferos do período Eoceno – apenas 30 milhões de anos ou mais depois que os dinossauros foram extintos – o Entelodon também tinha um cérebro muito pequeno para seu tamanho, e provavelmente não foi o mais brilhante onívoro no bloco pré-histórico.
Megatherium americanum


Conhecido simplesmente como Megatério, ou Besta gigante, é um ancestral pré-histórico do bicho-preguiça e, devido a seu tamanho, foi chamado de Megatherium americanum (do grego, mega=grande e therion=besta).  Era do tamanho de um elefante de porte médio e comia folhas como tal, em enormes quantidades. Passava o dia todo comendo folhas de árvores e arbustos, utilizando sua língua comprida para obtê-las e manejando os galhos com suas garras que eram grandes e fortes.
 Os exemplares adultos superavam os 6 metros de altura e pesavam várias toneladas. Os habitantes da Idade da Pedra compartilharam sua existência com as últimas preguiças gigantes viventes. Geralmente, estes seres faziam parte de um ecossistema conhecido como megafauna.
A megafauna era composta por animais de geralmente grande porte que conviveram com os seres humanos e desapareceram após a última era do gelo, que ocorreu há 12-10 mil anos atrás. Entre os principais seres da megafauna estão os mamutes, as preguiças-gigantes, os tatus-gigantes e outras espécies de grandes proporções.
Mamute


O mamute, também ao contrário do que muitos pensam, não é uma espécie, mas sim um gênero da família dos elefantes. Existem cerca de 15-10 espécies de mamutes catalogadas, algumas, inclusive, com perfeito estado de conservação.  Apresentavam trombas e presas de marfim encurvadas, que podiam ter 5 metros de comprimento.  Ao contrário de seus parentes que sobreviveram, eles apresentavam pelos que cobriam o corpo inteiramente.
Os exemplares encontrados apresentam cerca de 4-5 metros de altura e 5-4 toneladas, podendo variar conforme as diferentes espécies de mamutes.
Nossos ancestrais utilizavam os mamutes como fonte de alimentação, além de outros usos para seus ossos e couro.  Acredita-se que o homem teve um papel importante na extinção dos mamutes, além, é claro, das mudanças climáticas que também tiveram papel determinante no desaparecimento desse gênero.
Velociraptor


Outro gênero de dinossauros que viveram no período Cretáceo. Eram um gênero de dinossauros relativamente pequenos, pesando cerca de 80 quilogramas e 1,5-1 metro de altura.  Embora pequeno, era leve, rápido e com o cérebro bastante desenvolvido.  Assim como seu parente de família taxonômica, possuía garras em forma de foice no segundo dedo da pata.  Possuía dentes curvos curvos e serrilhados e, em alguns casos, penas.
Ao que indicam as evidências, eles caçavam em grupos e alimentavam-se de animais de pequeno e médio porte.
Tiranossauro rex


Conhecido popularmente como “Rei dos tiranos”, o Tiranossauro rex foi um dos maiores predadores que já habitaram o planeta Terra.  Estima-se também que suas musculosas pernas permitiam que o animal atingisse uma velocidade superior a quarenta quilômetros por hora em uma corrida livre. Hoje, se conhecem mais de trinta sub-espécies de tiranossauros rex, quase todas com fósseis completos em perfeito estado, e é exatamente essa abundância de material fóssil disponível que permitiu que esses animais fossem profundamente estudados pela ciência para se descobrir os principais aspectos de sua biomecânica, apesar de que sua fisiologia e seus hábitos diários ainda são frutos de debate até hoje.
A cabeça do T-rex media cerca de 1,2m de  comprimento e era sustentada por um pescoço curto e forte. Suas mandíbulas eram tão grandes que podiam engolir um humano inteiro. Seus dentes eram grandes e afiados para morder sua presa. Uma vez que o T-rex  mordia sua comida, ela não tinha chance de escapar dos afiados dentes. Se um dente quebrasse nas lutas, ele crescia de novo.
Como foi o primeiro fóssil carnívoro a ser totalmente remontado, tornou-se uma figura extremamente famosa nos filmes e na cultura popular.  Alguns filmes como Jurassic Park colocaram os T-rex como grandes vilões.
Nuralagus rex


O Nuralagus rex era um coelho gigante que vivia há cerca de 3 milhões de anos atrás.  O animal, descrito a partir de centenas de fósseis – incluindo um crânio quase completo –, tinha mais do que o dobro do tamanho do maior coelho encontrado atualmente na natureza.  Ele media quase 1 metro de comprimento e pesava 12 quilogramas – o dobro de uma lebre comum.
O Nuralagus rex tinha alguns traços pouco comuns para os lagomorfos atuais. O esqueleto era bem mais robusto – o que poderia ser apenas um aspecto relacionado ao seu grande tamanho. No entanto, a coluna vertebral era bem mais rígida, o que limitava seus movimentos, sobretudo os de extensão e flexão.
Essa característica, aliada aos membros posteriores proporcionalmente menores quando comparados com os de lagomorfos recentes, sugere que a nova espécie não tinha a capacidade de pular ou correr rapidamente, bem ao contrário do que acontece com os coelhos e lebres de hoje.
Tupandactylus imperator


Outro pterossauro que entra na lista.  Possuía uma longa crista com uma base óssea que se projetava na frente da cabeça, o que sugere que era preenchida por alguma membrana.  Essa estrutura formava cerca de 5/6 de toda a superfície lateral do crânio.
As novas descobertas apontam que um grande número de pterossauros apresentavam cristas.
Oryctodromeus cubicularis


O Oryctodromeus cubicularis é uma espécie extremamente especial no campo da paleontologia, pois é o único dinossauro cavador.  Isso mesmo.  O Oryctodromeus cubicularis cavava buracos para se proteger, alimentar-se ou fazer seus ninhos. Esse novo dinossauro pertence ao grupo Ornithopoda, que reúne formas herbívoras. O indivíduo adulto atingia cerca de dois metros de comprimento e a largura de seu torso tinha em torno de 30 cm.
É possível que esses três tipos de dinossauros pertençam a um grupo que poderia se abrigar em tocas. Obviamente, essa hipótese só poderá ser confirmada caso novos achados desses répteis forem feitos em condições que indiquem claramente que eles viviam nas tocas. Os parentes mais próximos de Oryctodromeus cubicularis, que são outras formas de ornitópodes pequenos como o Orodromeus ou o Zephyrosaurus – todos encontrados nos Estados Unidos – poderiam também ser cavadores.
 Gryposuchus croizati


Trata-se de uma  espécie do grupo Crocodylomorpha que recebeu o nome de Gryposuchus croizati  - em homenagem ao  pesquisador italiano León Croizat (1894-1982), especialista em biogeografia. Trata-se de um dos maiores crocodilomorfos já encontrados, com algo em torno de 10 metros de comprimento e peso de quase 1.750 kg.
O tamanho foi obtido por meio de estimativas baseadas no comprimento do crânio em comparação com medidas de animais recentes. A nova espécie se distingue de duas outras do mesmo gênero pela sua dentição, composta de menos dentes (23 superiores e 22 inferiores), e outros traços encontrados no crânio do animal.
Gigantopithecus blackii


O Gigantopithecus blackii foi um dos primatas que conviveram com os nossos ancestrais. A parte interessante é que o Gigantopithecus blackii não é um primata qualquer, mas sim um primata gigante. As evidências apontam que esse primata vagou pela Ásia há 1 milhão de anos até 100 mil anos atrás, quando a espécie desapareceu. Pelo tamanho do molar do macaco (a coroa tinha cerca de 2,54 centímetros de diâmetro), os cientistas supõe que o primata gigantesco tinha cerca de 3 metros de altura e pesava até 544 quilos.
Sua característica mais marcante – seu tamanho superior perante os demais primatas – já gerou algumas teorias mais extravagantes, como a de que o animal ainda está vivo, e pode estar ligado às lendas de Pé-Grande, Yeti, Homem das Neves, etc.
Pliossauros


Os pliossauros são um grupo de répteis da subordem Pliosauroidea, do grupo dos plesiossauros.  Eram répteis aquáticos, de pescoço curto e cabeça grande, de hábitos carnívoros. Os seus dentes eram numerosos e afiados.
Em 2009, um crânio de pliossauro foi encontrado por um colecionador.  Até aí, tudo bem.  No entanto, calma lá!  É um crânio de 2,4 metros de comprimento, e os cientistas acreditam que poderia pertencer a um dos maiores pliossauros já encontrados, podendo medir até 16 metros de comprimento!
Richard Forrest, um paleontólogo e especialista de plesiossauros disse que o T-Rex era um “gatinho” em relação ao pliossauro.
“Ele era uma enorme máquina para morder, e eram grandes e fortes o bastante para morder um carro pequeno na metade”, afirma o paleontólogo, que também diz que o animal poderia destruir um Tiranossauro Rex em uma mordida.
Anomalocaris


Anomalocaris - o nome significa “camarão estranho” – é o mais antigo exemplo conhecido de um predador adaptado para caçar seu alimento. Ele tinha garras formidáveis para agarrar, o que lhe permitiu agarrar sua presa e colocá-la em sua boca. Faltando pernas, deve ter nadado em águas abertas.  Com 90 a 200 centímetros, era o maior animal dos mares do período Cambriano.
Não está claro o que Anomalocaris comia. As evidências apontam marcas de mordida e outros ferimentos encontrados em trilobitas do período, o que pode indicar que o Anomalocaris alimentava-se deles. Mas há sugestões de que sua boca era fraca demais para quebrar suas conchas , daí surge a sugestão que ele pode ter se alimentado de animais de corpo mole.
Microraptor


Microraptor também não é uma espécie, mas sim, um gênero de várias espécies.  Um novo fóssil recém-descoberto de Microraptor que viveu há cerca de 130 milhões de anos atrás, durante o início do período Cretáceo, no que é hoje nordeste da China, mostra que algumas espécies do gênero apresentavam quatro asas e eram bem pequenos – do tamanho de um pombo.
O Microraptor zhaoianus é peculiar por sua estrutura e por sua coloração. Na estrutura, destaca-se o fato de ter quatro asas ao invés de duas, já que as patas traseiras também eram dotadas de uma estrutura com penas.
Titanossauros


Os titanossauros eram saurópodes – comedores de plantas com quatro patas e longos pescoços e rabos. Seus restos mortais foram encontrados em todo o mundo, mas evidências apontam de que eles podem ter percorrido a Antártica.
O novo espécime foi descoberto na Ilha James Ross por uma equipe argentina. Eles identificaram como pertencendo a um Titanossauro lithostrotian do período Cretáceo Superior – cerca de 70 milhões de anos atrás.  A Antártica era, até então, rica em vida vegetal.

Fonte : Mistérios do mundo

quinta-feira, 18 de julho de 2013

CONHECIMENTOS FORA DA BÍBLIA



Existem muitos livros que foram banidos do corpus bíblico por serem considerados apócrifos. Em sua considerável maioria eram justamente os mais reveladores, trazendo importantes informações sobre uma série de acontecimentos ligados aos contatos extraterrestres com o homem. O Livro do Profeta Enoque (citado em Judas 14), patriarca bíblico antediluviano (ou seja, que viveu antes da destruição e afundamento da Atlântida), é, sem dúvida, um dos mais reveladores.

Ele revela, entre outras coisas, que 200 anjos (palavra que também significa mensageiro) desceram à Terra e tiveram filhos e filhas com as mulheres terrestres. Portanto, não é de hoje que extraplanetários se relacionam intimamente com a humanidade. Esses seres angelicais ensinaram aos terrestres a astronomia e noções de meteorologia.


No capítulo 13, o profeta revela detalhes de uma viagem espacial feita por ele:

"Estava eu envolto em nuvens e névoa espessa, contemplando com inquietude o movimento dos astros e relâmpagos, enquanto que ventos favoráveis elevavam minhas asas e aceleravam meu curso... Fui levado até o céu e rapidamente alcancei um muro construído com pedras de cristal. Chamas móveis envolviam seus contornos. Comecei a ser tomado pelo medo... Entrando, lancei-me no meio das chamas... E entrei numa vasta morada, cujo piso também tinha sido construído com cristal, tanto quanto seus fundamentos".

Analisando este texto, conclui-se que Enoque observou, no momento da partida da espaçonave, a fumaça e os relâmpagos, ambos provenientes de sua propulsão, e o aparente movimento dos astros.

Tudo parece indicar que Enoque visitou algum tipo de estação espacial ou uma nave de grandes dimensões. Sua descrição não é muito diferente dos depoimentos atuais relacionados às abduções. Uma das passagens mais sugestivas está no capítulo 104, que faz referência ao nascimento de Noé. Seu pai, Lameque, foi procurar Matusalém, filho de Enoque, pois Noé não se parecia em nada com as outras crianças da Terra: sua pele e cabelos eram extremamente brancos e seus olhos apresentavam um brilho incomum. Segundo a história, Lameque afirmou que seu filho não era um homem e sim um anjo do céu, "com certeza, não é de nossa espécie", concluiu o pai.

Noé foi fruto de uma hibridização genética engendrada pelos Seres extraterrestres. As tabuletas Suméria e a narrativa bíblica forem considerada procedente, então foram os descendentes de Noé que povoaram a Terra após o dilúvio resultando na Humanidade de hoje. Dessa maneira, os Seres Extraterrestre há muito vêm manipulando a genética da humanidade.

quarta-feira, 17 de julho de 2013

Descoberto imenso bosque pré-histórico submerso nas aguas do Golfo do México -



Uma recente expedição no fundo das aguas do Golfo do México revelou uma grande descoberta: um bosque primitivo, oculto até hoje por uma grossa camada de sedimentos oceânicos que foram removidos pela passagem do furacão Katrina. Trata-se de um gigantesco manto de ciprestes da espécie Taxodium distichum, comumente conhecido como Cipreste do pântano e que permaneceu submerso e escondido próximo ao litoral do estado de Alabama, nos Estados Unidos, durante pelo menos 50 mil anos, segundo resultado da analise dos hidrocarbonetos do local. Os mergulhadores que participaram da grandiosa descoberta asseguram que o bosque está em excelentes condições e suas arvores, que cobrem aproximadamente 1.3 quilômetros quadrados de superfície ainda possuem seiva fresca.
A 18 metros de profundidade, o bosque pré-histórico possui uma paisagem de troncos e arbustos dignos de um conto de fadas, entre os quais se pode mergulhar. Uma pesquisa mais minuciosa vai permitir com que os cientistas descubram diversas informações sobre os aspectos climáticos da zona do golfo durante a era gelada de Winsconsin, um evento que marcou o fim da era pré-histórica do Pleistoceno.

Fonte : History

terça-feira, 16 de julho de 2013

Arqueólogos acreditam ter encontrado sepulturas de "vampiros" na Polônia



Arqueólogos na Polônia acreditam ter feito uma nova e surpreendente descoberta: um grupo de sepulturas de "vampiros" que foi encontrado durante a construção de uma estrada perto da cidade polonesa de Gliwice.
O que mais chamou a atenção foram os esqueletos cujas cabeças estavam colocadas no meio das pernas. Isso seria uma indicação, de acordo com os arqueólogos, que estes corpos passaram por rituais de execução para assegurar que estas pessoas ficariam “mortas para sempre”.
De acordo com uma antiga superstição, manter a cabeça separada do corpo seria uma garantia de que os mortos nunca “voltariam” para aterrorizar os vivos. A decapitação era uma destas formas de “prevenção”. Outra maneira seria pendurar a pessoa pelo pescoço até que, ao longo do tempo, por meio do processo de decomposição, o corpo seria naturalmente separado da cabeça.

Havia também, de acordo com o antropólogo forense Matteo Borrini, outros meios mais bizarros de lidar com os “enterros de vampiros”. Ele cita o caso de uma mulher que morreu durante o século 16, em Veneza, na Itália. A mulher foi, aparentemente, enterrada com um tijolo colocado na sua boca, um método medieval para evitar que os mortos suspeitos de vampirismo “retornassem” para se alimentar de sangue dos vivos. A sepultura desta mulher e c checida por ser a primeira pessoa que teria tido um enterro dedicado aos vampiros que se tem conhecimento.
Esta mulher seria um caso típico de uma acusação de vampirismo que, geralmente, era seguido por algum tipo de calamidade, como uma doença ou praga ou algum problema sério de colheitas. Acusar uma pessoa de ser vampiro não era algo raro, pois era uma forma de encontrar um bode expiatório para explicar um desastre cuja causa era desconhecida.
A prática de decapitação de corpos ao enterrar suspeitos de vampirismo era comum em países eslavos no começo da era cristã, quando crenças pagãs eram muito comuns. De fato, a crença em vampiros resultou tanto de uma superstição sobre a morte como sobre a falta de conhecimento sobre o processo de decomposição. A maior parte das histórias de vampiros tende a seguir um certo padrão, onde um indivíduo ou uma família inteira é vítima de alguma desgraça ou doença. Antes que a ciência pudesse  explicar essas mortes, o povo preferiu colocar a culpa em "vampiros".

Fonte : History

segunda-feira, 15 de julho de 2013

Portais entre a terra e o sol são descobertos pela Nasa


Portais entre a terra e o sol são descobertos pela Nasa em uma varredura de rotina, Um Projeto de pesquisa financiado pela NASA descobriu a existência de portais inexplicáveis ??entre a Terra e o sol. 


A NASA virou ficção científica em um fato científico ao anunciar a descoberta de “portais” escondidos em regiões de difusão field.Called X-pontos ou elétron magnético da Terra, ao invés de ser dobras intergalácticas no espaço levando a diferentes galáxias e planetas, estes portais  ajudam no transferir do campo magnético do Sol para Earth.Essentially, estes portais ajudam na transferência de toneladas de partículas magneticamente carregadas que fluem do Sol fazendo com que as luzes do norte e do sul e tempestades geomagnéticas. “Nós os chamamos de X-pontos ou de difusão de regiões de elétrons “, disse University of Iowa plasma físico Jack Scudder, que está estudando.” São lugares onde o campo magnético da Terra se conecta ao campo magnético do Sol, criando um caminho ininterrupto que conduz o nosso próprio planeta para a atmosfera do Sol 93.000 mil milhas de distância.


domingo, 14 de julho de 2013

sábado, 13 de julho de 2013

Derretimento das geleiras na Antártida revelam pirâmides




Três pirâmides antigas foram descobertas na Antártida, por uma equipe de cientistas americanos e europeus. Duas das pirâmides foram descobertas cerca de 16 milhas para o interior, enquanto a terceira estava muito perto da costa.

Os primeiros relatórios sobre as pirâmides apareceu na mídia ocidental no ano passado. Poucas Fotos foram publicadas em alguns sites com um comentário de que as estranhas estruturas  poderiam servir como prova de que o continente coberto pelo gelo costumava ser quente o suficiente para ter abrigado uma antiga civilização.





Imagem aérea tomada através do gelo do Pólo Sul parecem mostrar dois ou possivelmente três pirâmides em linha, em uma formação semelhante às pirâmides de Gizé.



Até agora, pouco se sabe sobre as pirâmides e a equipe quer manter o silêncio sobre a descoberta. A única informação confiável fornecida pelos cientistas era a de que eles estariam planejando uma expedição para as pirâmides para continuar a investigar e determinar com certeza se as estruturas são artificiais ou naturais. Nenhum detalhe foi dado sobre o calendário da expedição.




Se os pesquisadores provarem que as pirâmides são estruturas feitas pelo homem, esta descoberta poderia mudar parte da história da humanidade.


Os membros da expedição tentando se aproximar da pirâmide.


A imagem mostra uma estrutura piramidal cercada por gelo no centro, na costa da Antártida

Enquanto isso, uma série de descobertas estranhas e interessantes têm sido feitas recentemente na Antártida. Em 2009, cientistas do clima encontraram ali, partículas de pólen, o que poderia dizer que palmeiras cresceram na Antártica e as temperaturas do verão chegavam a 21C. Três anos depois, em 2012, os cientistas do Instituto de Pesquisas do Deserto, em Nevada, identificaram 32 espécies de bactérias em amostras de água do Lago Vida, na Antártida Oriental.

Uma civilização que a história oficial não levou em conta

É possível que a Antártida já foi quente o suficiente no passado para abrigar uma civilização antiga? E ainda mais surpreendente é a questão de saber se uma cultura avançada, desenvolveu estruturas complexas e ainda estão enterradas sob o gelo?

Os estudiosos e egiptólogos já suspeitavam que a Esfinge seria muito mais antiga do que o esperado, possivelmente mais de 10.000 anos de idade. Os cientistas descobriram que a evidência de erosão hídrica na estátua antiga, a maior do mundo, tem uma história de mudanças climáticas a partir de uma floresta tropical ao calor do deserto em alguns milhares de anos. Se o clima no Egito mudou tão rapidamente, é igualmente possível que o clima da Antártida também possa ter mudado drasticamente ao mesmo tempo?

De acordo com a teoria da correlação Robert Bauval e Adrian Gilbert, a construção das pirâmides de Gizé foram realizadas em um período anterior a 12,500 a 10.500 aC, motivando esta retroatividade para a correlação entre a localização das três principais pirâmides na Necrópole de Gizé e as três estrelas da constelação de Órion, e que esta correlação foi intencionalmente criada por pessoas que construíram as pirâmides.



As Pirâmides de Gizé e as três estrelas da constelação de Órion, percebam o alinhamento


A referência à data de 12.500 anos atrás, é significativa para Hancock, uma vez que a posição das pirâmides indicaria o momento exato em que uma civilização avançada viu a sua própria queda devido a um cataclismo global.

Em seu livro As Pegadas dos Deuses , Graham Hancock encontrou todas as pistas que levam a um ponto preciso. De acordo com Hancock, as pirâmides foram construídas em todas as culturas ao redor do planeta e os seus monumentos contem configurações astronômicas mais ou menos evidentes.



Falou também de antigos testemunhos de muitas comunidades - a Grande Esfinge do Egito, os misteriosos templos de Tiahuanaco, as linhas gigantes de Nazca, no Peru, as pirâmides maciças do Sol e da Lua no México - e os comparou com os mitos e lendas universais, com o estudo de mapas que datam desde os tempos antigos. O estudioso sugere a existência de um povo com uma inteligência superior que possuiam tecnologia sofisticada e o conhecimento científico detalhado, cuja "pegada", no entanto, foi completamente exterminada por um desastre de enormes proporções.

Cada cultura tem adorado os seus deuses. Suas religiões foram todas destinadas a encontrar a imortalidade da alma e seus sacerdotes eram os astrônomos, com o conhecimento antecipado dos movimentos celestes. A cobra-réptil é uma figura simbólica que está presente em todas as culturas e é considerada sagrada.

Esta grande unidade cultural, de acordo com Hancock, sugere que a civilização humana não nasceu de uma saída repentina do nada, mas foi "ajudada" por alguém com conhecimento cultural e tecnologia avançada. As provas que sustentam esta teoria é a expansão da agricultura.

Descobriu-se que a agricultura nasce simultaneamente em pelo menos seis regiões do mundo sem ligação aparente entre eles: América Central e do Sul, o Crescente Fértil, África Central, Leste da China e no Sudeste Asiático.

Em conclusão

Se olharmos com alarme para relatórios do aquecimento global, alertando que tanto o Ártico e a Antártida estão derretendo, muitos de nós poderão viver para ver o dia em que será exposto todo o continente da Antártida, com todos os  antigos artefatos que existem por lá. Se houver uma pirâmide gigante esta mudará o pensamento do mundo para sempre.

Até o momento não conseguimos recriar as grandes pirâmides. Nós simplesmente não temos a tecnologia para isso.

Portanto, a questão é quem fez, ou o que são estas pirâmides na Antártida? E o que eles deixaram para trás?


Segue vídeo:


Misteriosas pirámides en la antártida por Sereslibres

Fonte : ETs & ETc