quinta-feira, 31 de maio de 2012

Cientista brasileiro sustenta que HAARP poderia estar manipulando o tempo




O projeto High Frequency Active Auroral Research Program [Programa de Investigação de Aurora Ativa de Alta Frequência, HAARP], da Força Aérea e Marinha norte-americana, é sem dúvida um dos alvos favoritos das teorias de conspiração. Com o enorme e um tanto misterioso orçamento, e uma poderosa panóplia de antenas capazes de disparar ondas eletromagnéticas de alta e baixa frequência à ionosfera, possivelmente modificando o clima, ele tem sido acusado de todo o tipo de atos bélicos secretos – quase anormal – como gerar terremotos, furacões e provocar ainda mais o aquecimento global. Necessário dizer que, além de ter a capacidade de modificar o clima, não se têm provas contundentes de que o programa esteja sendo utilizado como arma militar. Suas instalações na neve do Alasca constituem um novo mito moderno, terra fértil para a especulação e ficção científica.


O trabalho de um cientista brasileiro, Fran de Aquino, em sua investigação High-power ELF radiation generated by modulated HF heating of the ionosphere can cause earthquakes, cyclones and localized heating, sustenta que o HAARP não só é capaz de provocar uma série de desastres naturais lançando ondas eletromagnéticas de baixa frequência, como também que, teoricamente, poderia alterar a dimensão temporária, permitindo, por exemplo, uma nave viajar para uma linha de tempo alternativa.

De Aquino, da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), tem vários trabalhos publicados, entre eles um na Universidade de Cornell intitulado The Gravitational Spacecraft, onde demonstra um novo tipo de nave espacial (nave gravitacional), que poderia viajar pelos recôncavos do tempo canalizando a correlação entre a massa gravitacional, a massa inercial e um fator eletromagnético. Esta mesma correlação, a afetação de um campo eletromagnético uniforme de alta frequência sobre a gravidade – por sua vez vinculada com a estrutura do tempo-espaço segundo a relatividade de Einstein – é o que, segundo De Aquino, poderia propiciar que uma aeronave voando pela ionosfera atravessasse o espelho dimensional do céu para outra sequência temporária, uma espécie de universo paralelo dobrado no espaço.

É importante notar que o campo eletromagnético, além de ser uniforme, deve permanecer com a nave durante o tempo de transição. Se não for uniforme por cada parte da nave, realizará transições para diferentes tempos do futuro… Pessoas dentro da nave realizariam transições à diversos tempos no futuro porque sua condutividade e densidade seriam diferentes.




Conjunto de antenas do HAARP no Alasca

De Aquino considera que o HAARP poderia disparar uma onda eletromagnética uniforme de alta frequência capaz de fazer com que um avião cruzasse o tempo. Devemos levar a sério esta teoria? Primeiro seria importante compreendê-la cabalmente, algo que supera pessoalmente a capacidade do autor deste post – elucidar uma suposta conciliação da relatividade com a teoria quântica no meio de uma linguagem que evoca a ficção de Thomas Pynchon. Mostrando este periódico a um assessor com estudos em física, sua resposta foi que tal teoria careceria de sustento sólido para proposição tão extraordinária e que seria necessário pesquisar os trabalhos aos quais faz referência este físico especializado no estudo da gravidade quântica.

Mais apropriado parece ser tomá-la como um cativante ensaio ficção científica – e não por isso menos ou mais real. Sejamos ou não já capazes de fazer o proposto, uma civilização suficientemente avançada seguramente desenvolveria tecnologia para manipular o tempo (não só o clima). Nossa imaginação começa a se desbaratar como um bólido que aproxima-se à velocidade da luz só de pensar nas possibilidades de manipular o espaço-tempo, de habitar todos os jardins dos caminhos que se bifurcam. Tempos que se entrelaçam, se sobrepõem e se desnudam. As "cláusulas do infinito".

Antes que a popular série Fringe [Fronteiras] começasse a fazer excursões imaginárias a outros universos, Philip K. Dick, em sua novela Wait for Last Year, especulou uma droga (JJ-180) desenvolvida por uma civilização extraterrestre que permitia de maneira aditiva e sinistra a um usuário viajar a universos alternados. O ditador planetário Molinari inclusive utilizava esta droga para obter informação sobre futuros possíveis em outras linhas de tempo, para manipular assim o conjunto dos tempos e salvar a humanidade da mais abjeta escravização. A tecnologia para manipular o tempo evidentemente tem o potencial de criar uma vertiginosa concatenação de alucinações e simulacros, até o ponto que nenhuma realidade primária seria distinguível ou afirmável.

Seria fascinante falar com Dick sobre o HAARP, um aparelho tramado pela imaginação (ou a alucinação) humana para englobar muitas de suas mais temíveis e formosas paranoias. Há certa poesia em disparar um raio de luz invisível à abóbada celeste e alterar o fluxo do tempo, descobrindo, como numa nuvem quântica, um novo universo no qual somos outros, sendo os mesmos. Ainda que isto igualmente poderia ser a substância de um cruel pesadelo - com répteis interdimensionais, sociedades secretas, vampiros energéticos e tecnologia da Atlântida. De qualquer forma, é estimulante meditar sobre a possibilidade de encontrar, parafraseando Paul Éluard, outros mundos dentro deste.



Fonte : Revista UFO

quarta-feira, 30 de maio de 2012

As coisas mais bizarras que já caíram do céu




Se você pensa que é apenas água que cai do céu, está mais que enganado!


Durante toda história da humanidade relatos curiosíssimos foram registrados por pessoas que viram e até experimentaram coisas que caíram do céu. Confira algumas:



Em 1876 um pedaço de carne de quase dez centímetros caiu dos céus da cidade de Olympian Springs, em Kentucky, nos Estados Unidos.


De acordo com o Louisville Commercial, "Dois cavalheiros, que provaram a carne, expressaram a opinião de que era ou de carneiro ou carne de veado."


Um cientista da Sociedade Micoscópica da Grã-Bretanha, teorizou que urubus haviam se alimentado de cavalos mortos, voando sobre a cidade e depois vomitaram os fragmentos.


 Em junho de 1997, um homem que pescava ao longo da costa das Ilhas Malvinas bateu e ficou inconsciente por dois dias depois que uma lula congelada caiu em sua cabeça. Como a lula chegou lá, ninguém sabe.


Em 2008 um andarilho escocês tropeçou em uma pilha enorme de geléia de uma cor clara. Depois que ele contou seu relato na rádio BBC, vários outros ouvintes ligaram contando terem visto a mesma coisa e enviaram fotos da “geléia” encontrada em diversos pontos do país.


Muitos especularam que pássaros teriam comido sapos ou rãs e regurgitado os ovários tóxicos. Cientistas do Instituto de Pesquisas do Uso da Terra de Macaulay, no Reino Unido, fizeram o teste de DNA com a substância e os exames foram inconclusivos.


Uma chuva de sapos, girinos e peixes, atormentou a prefeitura de Ishikawa, no Japão, em 2009. Para cientistas a hipótese é de que o fenômeno foi causado por fortes tornados de água que acontecem sazonalmente, que teriam sugado esses animais e os arremessado em terra depois de desfeitos.


Em janeiro deste ano um homem em Dosert, Inglaterra, encontrou cerca de vinte esferas azuis translúcidas e gelatinosas com aproximadamente três centímetros, espalhados em seu quintal.


Cientistas da Universidade de Bournemouth especularam que as esferas seriam ovos de criaturas marinhas. Mais tarde descobriu-se que eram feitas de poliacrilato de sódio, substância usada em jardins e fraldas para absorver água.

terça-feira, 29 de maio de 2012

Entrevista com Vera Lúcia e Chico Penteado



Manhã Maior - Entrevista com Vera Lúcia e Chico Penteado 2/4 23/05/2012
Vera Lúcia relata suas experiência com supostos fenômenos extraterrestres. Ela diz que foi abduzida e teve um de seus olhos removido.





segunda-feira, 28 de maio de 2012

SP: objeto misterioso visto no céu de Bauru assusta moradores




Um objeto luminoso e não identificado chamou a atenção dos moradores de Bauru, distante 352 km de São Paulo, na tarde do último domingo, por volta das 17h30. Filmado e fotografado por diversas pessoas, as imagens tiveram centenas de compartilhamento nas redes sociais.

O objeto desceu devagar e, aparentemente em chamas, foi visto na região do aeroporto Moussa Tobias caindo em direção à avenida Nações Unidas Norte. O "óvni" pôde ser visto pelos moradores por mais de cinco minutos no céu de Bauru. Apesar da impressão de queda, nenhuma ocorrência foi registrada até o momento. Nesta segunda-feira o assunto ganhou os comentários tanto nas ruas como na imprensa local. Nas redes sociais, alguns internautas apostam em se tratar de um meteorito. Outros vão mais longe e acreditam se tratar de uma suposta aparição de um óvni.

Fonte : Terra

Arquivos Extraterrestres - Segredos de Óvnis das Caixas Pretas




Desde o início dos vôos tripulados, pilotos e astronautas do mundo todo tem encontrado ovnis em nossos céus e além.
Agora várias de suas gravações e imagens e histórias foram divulgadas pela primeira vez.
De gravações de torres de controles a caixas-pretas de aviões comerciais nunca antes divulgadas.
Há relatórios secretos de astronautas e gravações feitas no espaço até 2005.
Com astronautas e pilotos relatando um número cada vez maior nos céus.
Muitos perguntam, os céus pertencem a nós ou a eles?


Os relatórios de ovnis feitos por pilotos profissionais são os melhores por causa do conhecimento que eles tem dos céus.
Para a FAA, os ovnis são reais. Eles vem punindo pilotos e escondendo relatórios de ovnis a mais de 50 anos.
Vários dos principais astronautas da NASA já afirmaram ver ovnis.

Alguns relatos:

- Ei Cris, o Swiss Air 127 viu um ovni ou um foguete que quase o acertou no meu espaço aéreo....
- O radar militar avisa que está captando um alvo primário intermitente atrás de você na trilha...
- Aqui é Houston, repita 7... Eu disse que temos um ovni as 10 horas, alto...
- Ovni ou coisa do tipo, aquela bobagem de Roswell de novo...
- Sierra Juliet, ainda está vendo tráfego ai? Com certeza...
- Uma grande luz branca na frente e um verde azulado saindo atrás...
- Vou dizer uma coisa, os militares dizem que não tem nada no ar esta noite.. Era rápido demais para parecer um avião.


domingo, 27 de maio de 2012

Vimanas




Os Vimanas eram veículos (que hoje chamamos de OVNIS), que tinham a capacidade de se deslocar a grandes velocidades na atmosfera, na água e no espaço. Haviam vários tipos. Existiam na Antiguidade (há milhares de anos) e decerto foram criados por uma Civilização superior à nossa em conhecimentos científicos e tecnológicos avançados, porquanto já eram referidos nos Vedas ou textos hindus mais antigos do que a própria Bíblia.


O Império Rama existiu há pelo menos 15.000 anos no norte da Índia.Aparentemente, existiu paralelo à civilização atlante, que pelos cálculos de Platão deve ter sido destruída há 12.000 anos atrás (submersa nas águas do Diluvio).

Possuía cidades sofisticadas, muitas ainda a serem encontradas no deserto do Paquistão, norte e nordeste da Índia. Algumas cidades com 5.000 anos já foram encontradas por arqueólogos, e são literalmente inexplicáveis. Numa época em que as pessoas deveriam estar vivendo em tendas, essas cidades já possuíam sistema de irrigação, esgoto, largas avenidas e iluminação pública. E o mais fascinante: quanto mais os arqueólogos escavam, mais encontram vestígios de outras cidades, ainda mais antigas, e ainda mais modernas! Infelizmente os pesquisadores se defrontaram com um lençol de água e não podem cavar mais.

As sete grandes capitais do Império Rama são conhecidas nos textos Védicos como As sete cidades Rishi.

De acordo com os textos antigos, esse povo utilizava-se de máquinas voadoras que eram chamadas de Vimanas. Eles voavam na "velocidade do vento" e produziam um "som melodioso". Decolavam verticalmente e podiam pairar no ar, como um helicóptero. Havia pelo menos quatro tipos diferentes de Vimanas: Um dos tipos é descrito exactamente como imaginamos, um disco voador "clássico": circular, com portinholas e um domo. Outros em forma de pires, e outros como um longo cilindro (em forma de charuto). Todos batem exactamente com as descrições feitas hoje no mundo por pessoas que com toda a certeza desconhecem os Vedas.
Os textos antigos sobre os Vimanas são muitos, e envolvem desde a construção de um Vimana até manuais de vôo dos vários tipos de naves,alguns dos quais foram traduzidos para o inglês.  É curioso até aquilo que se observa numa placa com milhares de anos que faz parte duma coluna do Templo de Abydos (no Egipto) .



Por outro lado, o Samara Sutradhara é um tratado científico lidando com todos os aspectos possíveis dos Vimanas. São 230 tópicos lidando com construção, decolagem, vôos cruzeiros, aterrissagem normal, forçada, e até mesmo a possibilidade de colisão com bandos de aves migratórias ou outras (!)

Em 1875 foram redescobertos manuscritos do século 4 a.C. escritos por Bharadvajy, "o sábio", que utilizou textos ainda mais antigos como base.

Chama-se Vymaanika-Shaastra  e lida com a forma de pilotar os Vimanas, precauções com vôos longos, protecção contra tempestades e relâmpagos e como voar com a energia solar. Possui 8 capítulos com diagramas que mostram os tipos de naves, incluindo aparatos que nunca quebravam ou se incendiavam.Também menciona 16 materiais que absorvem luz e calor, essenciais para a construção dos Vimanas. Este documento foi taduzido para o inglês com o nome VYMAANIDASHAASTRA AERONAUTICS por Maharishi Bharadwaaja, impresso e publicado por Mr. G. R. Josyer, Mysore, India, em 1979.

O Ahnihotra-Vimana possuía dois motores, enquanto o Vimana-elefante possuía mais, havendo outros tipos que levavam nomes de outros animais, como o Íbis. A propulsão dos Vimanas é envolta em controvérsia. Em uns textos diz ser movida por um líquido amarelo-esbranquiçado  e algumas vezes por um tipo de composto de mercúrio. Em outros ainda é movida por 'pulsos' (vibração).

Interessante notar que os Nazis desenvolveram motores baseados em 'pulsos' ou propulsores para as suas bombas V-8. De resto, Hitler era especialmente interessado pelos conhecimentos ocultos antigos da Índia e do Tibete e mandava expedições para lá ainda nos anos 30. Diz-se, inclusive, que eles conseguiram reproduzir um Vimana e fugiram  para a Antártida para formar o 4º Reich. Felizmente não conseguiram mais do que isso.  Há inclusive fotos dos esquemas alemães de construção que foram capturados pelos aliados.  De resto, há um artigo no jornal Wiener Montag de 29 de Dezembro de 1947 que refere tudo isso e muito mais.

Mas continuando o tema inicial, de acordo com o Dronaparva e o Ramayana, partes do Mahabarata (épico com mais de 5000 anos), um Vimana é descrito como uma esfera que se movia a grande velocidade, em todas as direcções, e vencia distâncias infinitas impulsionada por um "vento tempestuoso". O mesmo termo é referido na Bíblia por Ezequiel na sua visão de algo que vinha do céu quando estava sentado junto ao rio Quebar, porquanto  tinha o "clarão do sol" e o ruido era como o "trovejar de um temporal".

No Samar, outro texto Hindu, os Vimanas são "máquinas de aço sem emendas, com uma descarga de mercúrio que saía da traseira na forma de uma forte labareda."  

Curiosamente, cientistas soviéticos descobriram o que eles chamam de "antigos instrumentos de navegação para veículos cósmicos" numas cavernas no Turquistão e no deserto de Gobi. Os aparelhos são objectos esféricos de vidro ou porcelana, que terminam num cone com um pingo de mercúrio dentro.

Acredita-se que o povo Hindu voou nesses veículos por toda a Ásia, Atlântida, e, aparentemente, para a América do Sul. Escritos achados em Mohenjodaro no Paquistão (presumivelmente uma das "7 cidades Rishi do Império Rama"), ainda não decifrados, também foram encontrados em outro lugar do mundo: a Ilha de Páscoa!  Essa escrita, chamada de "Rongo-Rongo" (também não-decifrada), é incrivelmente similar à de Mohenjodaro.



Voar nessas máquinas não era uma exclusividade dos Hindus. O Hakatha (Leis dos Babilônicos) atesta que: "o privilégio de operar uma máquina voadora é grande. O conhecimento do vôo é uma das nossas heranças mais antigas. Um presente  dos que vieram . O conhecimento do vôo é uma das nossas heranças mais antigas. Um presente  dos que vieram 'do alto'. Nós o recebemos como um meio para salvar muitas vidas."

Infelizmente todo o conhecimento é sempre usado para a guerra e até os Atlantes, de acordo com os textos Hindus, usaram suas máquinas voadoras (chamadas de Vailixi) para subjugar o mundo na altura. Eram conhecidos como Asvins e aparentemente eram mais avançados tecnologicamente que os Hindus, e certamente mais bélicos.

No Mahabharata, por exemplo, vemos a descrição de um ataque do tipo nuclear (ou a chamada energia "VRIL") lendo-se o que se segue:

"Gurkha, voando a bordo de um Vimana de grande potência, lançou sobre a tríplice cidade um projétil único, carregado com a potência do Universo. Uma coluna incandescente de fumaça e fogo semelhante a 10 mil sóis se elevou em seu esplendor. Era uma arma desconhecida, o Raio de ferro, um gigantesco mensageiro da morte, que reduziu a cinzas toda a raça dos Vrishnis e dos Andhakas. Os corpos ficaram tão queimados que se tornaram irreconhecíveis; Os cabelos e unhas dos que sobreviveram caíram; A cerâmica quebrou sem causa aparente, e os pássaros ficaram brancos... Após algumas horas todos os alimentos estavam infectados... Para escapar do fogo os soldados se jogaram nos rios, para lavarem-se e aos equipamentos."

Talvez por isto o castigo veio depois aos Atlantes pelo que fizeram... A verdade é que os atlantes eram um povo altamente evoluido mas seu comportamento tornou-se errado a partir de certa altura. Noé sabia o que podia suceder por causa disso e advertiu seu povo sem obter êxito, por isso preparou-se para o 'Dilúvio' tal como conhecemos da história bíblica, tendo isso sucedido por causa "degeneração da espécie humana" como está escrito.

Mas voltando ao tempo antigo, quando a cidade de Mohenjo-Daro foi escavada por arqueologistas no século 19, eles acharam esqueletos estirados nas ruas, alguns deles de mãos dadas, como se estivessem esperando a morte. Estes esqueletos estão entre os mais radioactivos já encontrados, similares aos de Hiroshima e Nagasaki.

Cidades antigas cujos muros e calçadas foram literalmente vitrificados podem ser encontradas na Índia, Irlanda, Escócia, França e Turquia. Não há explicação lógica para isso, pois é necessário um intenso calor, semelhante ao de um ataque atômico, para derreter e vitrificar esses blocos de pedra.

Mas Mohenjo-Daro, que foi projectada em quarteirões e com um sistema de encanamento superior aos usados na Índia e Paquistão actualmente, possuía espalhado nas ruas várias "formas negras de vidro". Descobriu-se depois que essas formas nada mais eram do que potes de argila que derreteram e vitrificaram sob intenso calor!

É interessante notar que quando Alexandre "O Grande" invadiu a Índia (há mais de 2000 anos atrás), seus historiadores relatam que num certo ponto da batalha foram atacados por "brilhantes escudos voadores" que mergulharam contra o seu exército e assustaram a cavalaria.



Outras armas fantásticas, presentes no Mahabharata, são o Dardo de Indra, operado através de um 'reflector' circular. Quando ligado, produzia uma "coluna de luz" que consumia tudo o que tocava.  É o que hoje nós conhecemos por "laser" e que os norte-americanos dominam a partir do espaço aplicado ao seu programa de defesa anti-missel denominado a "guerra das estrelas".

Em um trecho do poema,o herói Krishna está perseguindo seu inimigo Salva  no céu, quando o Vimana dele fica invisível (assim como os UFOs fazem hoje em dia) e Krishna, imediatamente usa mão de uma arma especial e...  "Eu rapidamente disparei uma flecha incandescente que matava guiando-se pelo som"...   Tudo isto foi escrito há mais de 6.500 anos atrás.

sábado, 26 de maio de 2012

Caçadores de OVNIs - Queda e Resgate



Há centenas, talvez milhares de anos as pessoas olham para o céu e veêm objetos brilhantes e velozes que desafiam qualquer explicação. Ocasionalmente esses objetos caem na Terra. Segundo relatórios da inteligência mexicana, dois supostos incidentes de OVNIs semelhantes em natureza, mas separados po 33 anos, ocorreram em locais remotos do México.
Os dois lugares foram isolados e vasculhados pelos militares, que negaram qualquer ocorrência incomum. E o mais intrigante é que as evidências dos OVNIs ainda estariam nos dois locais. Existe esplicação racional? Ou esses locais poderiam conter a chave para desvendar os mistérios dos ovnis? De relatos sobre uma bola de fogo caindo na Terra, ao rastreio de um suposto OVNI caído, a análise de um local de queda real e experimentos científicos para separar o fato da ficção. Você irá assistir ao caso 74012, queda e resgate de um OVNI.




sexta-feira, 25 de maio de 2012

Astrônomo brasileiro dá novo rumo à busca pelo Planeta X




A busca por evidências da existência do Planeta X - o misterioso planeta hipotético no limite de nosso sistema solar - tomou um novo rumo graças aos cálculos de um astrônomo brasileiro.



Rodney Gomes, astrônomo do Observatório Nacional do Brasil, no Rio de Janeiro, afirma que as órbitas irregulares de pequenos corpos gelados além de Netuno implicam que um planeta quatro vezes maior que a Terra está girando em volta do nosso sol nas bordas do sistema solar. As informações são do site do jornal britânico Daily Mail.


Gomes mediu as órbitas de 92 objetos do cinturão de Kuiper - pequenos corpos e planetas anões - e afirmou que seis desses objetos pareciam ser arrastados para fora de curso em comparação com suas órbitas esperadas.


Na terça-feira, Gomes contou aos pesquisadores da Sociedade Americana de Astronomia que, provavelmente, a razão para essas órbitas irregulares fosse um companheiro solar de massa-planetária - um corpo distante do tamanho de um planeta que é poderoso o bastante para mover os objetos do cinturão de Kuiper.


Ele sugere que o planeta seria quatro vezes do tamanho da Terra - quase do tamanho de Netuno - e estaria 1,5 mil vezes mais longe do sol do que o nosso planeta.



Mesmo estando em cima do muro, outros astrônomos aplaudiram os métodos utilizados pelo brasileiro.


Rory Barnes, da Universidade de Washington, falou à National Geographic que Gomes "traçou um caminho para determinar como um planeta seria capaz de 'esculpir' partes do nosso sistema solar". "Por enquanto, a evidência ainda não existe. Eu acho que o principal ponto que ele demonstrou é que há maneiras de encontrar essas evidências. Mas não acho que haja provas de que o planeta realmente está lá", afirmou Barnes.


"Para mim, é surpreendente que um companheiro solar tão pequeno quanto Netuno possa ter os efeitos que ele Rodney Gomes vê. Mas eu conheço Rodney e tenho certeza de que ele fez os cálculos corretos", disse Hal Levison, do Instituto de Pesquisa do Sudoeste em Boulder, Colorado.

Fonte : Terra

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Psicocinese





Em Poltergeist, um dos maiores clássicos do cinema de terror, uma família que mora num subúrbio americano se vê rodeada de fantasmas. No começo, os visitantes parecem inofensivos e fazem brincadeiras inocentes, como mover objetos pela casa para o divertimento dos moradores. Aos poucos, no entanto, eles passam a aterrorizar os Freeling, a ponto de seqüestrarem a filha caçula, Carol Anne, por meio de um canal de televisão. Na vida real, fenômenos como esses que aparecem no filme produzido por Steven Spielberg não são levados muito a sério ou são atribuídos a seres sobrenaturais. Mas, para muitos parapsicólogos, a explicação para boa parte desses acontecimentos – tirando, é claro, episódios mais mirabolantes, como o seqüestro televisivo da garota – está no fenômeno da psicocinese, ou seja, na suposta capacidade da mente humana de agir a distância sobre a matéria. Isso porque, segundo essa teoria, a energia de cada um de nós pode se transformar e se exteriorizar. Dirigida pela mente, ela atuaria sobre objetos, movimentando-os e quebrando-os. O poltergeist (que em alemão significa “espírito barulhento”) seria um exemplo disso.

Nem todos os parapsicólogos aceitam a existência da psicocinese (conhecida também como telecinese), que, por sinal, é bem menos estudada que outros fenômenos ditos paranormais, como a telepatia e a clarividência. Mesmo entre estudiosos da área, há diferentes interpretações e muitas divergências em torno desses fenômenos. Na explicação de uma linha da parapsicologia, os casos de poltergeist, em geral, ocorrem com crianças na puberdade ou adolescentes que atravessam uma fase de crise ou instabilidade emocional. O inconsciente da criança liberaria energia – chamada de telergia – para influir no objeto. Entre os casos mais comuns de poltergeist estariam o de objetos que mudam de lugar de maneira brusca e violenta, janelas que são quebradas, lâmpadas que estouram de uma hora para outra e ruídos que ocorrem aparentemente sem nenhuma explicação plausível.
Um caso típico foi relatado no livro O que É Parapsicologia (Brasiliense, 1984), de Osmard Andrade Faria. Trata-se da história de uma família que morava em Suzano, a 38 quilômetros de São Paulo. O pai, Ezequias de Souza, havia abandonado a esposa e a filha, Marilda, de 15 anos, para viver com outra mulher. Depois de algum tempo, a relação se desfez e ele decidiu voltar a viver com sua antiga família. No entanto, Marilda, uma adolescente introvertida e agressiva, nunca perdoou a aventura extraconjugal do pai. Segundo o relato do livro, após a volta dele, a família passou a ser alvo de arremessos de pedra na residência. Mais tarde, uma série de combustões espontâneas começou a acontecer pela casa. Roupas se incendiavam inexplicavelmente e bolas de fogo desciam do teto para atingir os móveis. Apavorada, a família buscou a ajuda de autoridades e de um padre. Após saber dos problemas familiares, o padre achou que os acontecimentos estariam sendo provocados por forças inconscientes de Marilda e aconselhou que a adolescente fosse afastada do local. Com a mudança da menina para a casa dos tios, os incidentes cessaram. Quando ela retornou para a casa dos pais, no entanto, as bolas de fogo voltaram a acontecer. Diferentemente dos outros familiares, Marilda nunca se apavorava diante dos poltergeists. Ao contrário, a garota ria e parecia se divertir muito com eles.
Um dos casos mais estudados de psicocinese é o da russa Nina Kulagina. Ela ficou famosa por supostamente conseguir movimentar a distância objetos como palitos de fósforos, cigarros, bolas de cristal, pêndulos e saleiros. Numa das experiências mais curiosas, ela teria feito parar o coração de um sapo. O fenômeno teria ocorrido num laboratório em 1970. Um psiquiatra que tomou conhecimento do evento duvidou da história e se ofereceu para uma experiência semelhante. Os dois se sentaram um de frente para o outro a uma distância de 2 metros e meio. Eletrodos de um equipamento de eletrocardiografia foram colocados no psiquiatra. Em dois minutos, segundo testemunhas, o coração do médico disparou de forma assustadora. O desgaste, registrado pelo eletrocardiograma, teria chegado a tal ponto que a experiência teve de ser imediatamente suspensa para que não ocorresse um incidente fatal. Para comprovar os poderes psicocinéticos de Nina, algumas de suas demonstrações foram gravadas em fitas de vídeo. Mesmo assim, cientistas mais céticos afirmam que as supostas habilidades da russa não sobreviveriam a um teste mais rigoroso. A psicocinese, assim como outros fenômenos parapsicológicos, pode se manifestar em qualquer pessoa, segundo Marcia Regina Cobêro, vice-presidente do Centro Latino-Americano de Parapsicologia (Clap), em São Paulo. “Todos os seres humanos têm faculdades parapsicológicas. Alguns manifestam, outros não. Se a pessoa, por exemplo, está nervosa, a ponto de explodir, ela pode fazer um vidro se partir. É um mecanismo de defesa. É melhor isso do que ter uma úlcera”, afirma. A parapsicóloga destaca, no entanto, que esses fenômenos são espontâneos, involuntários e incontroláveis, ou seja, não dá para usar o poder da mente com dia e hora marcados, como propagandeiam alguns supostos paranormais, como Uri Geller. O israelense ficou mundialmente famoso por entortar colheres, “desmaterializar” objetos e desviar raios laser, entre outras coisas. Fez fortuna com suas apresentações e chegou a visitar o Brasil nos anos 70 para participar de um programa na TV Globo.
Num dos episódios mais célebres, Uri Geller, após fazer demonstrações de seus supostos poderes, pediu aos ouvintes de um programa de rádio da Inglaterra que participassem de seu show. Alguns minutos depois, choveu telefonemas de todo o país. Pessoas relatavam que facas, garfos, colheres e chaves começaram a entortar e a se mexer espontaneamente. Relógios que estavam parados havia anos voltaram a funcionar. “Com uma audiência de milhões de pessoas e sob forte emoção, é possível que tenham ocorrido fenômenos parapsicológicos autênticos. Isso não significa que o responsável por tudo isso tenha sido Uri Geller. Provavelmente os próprios ouvintes, que talvez nem soubessem de seus poderes paranormais, foram os autores de alguns fenômenos”, diz Marcia.





Truques na manga
O grande problema são as fraudes que existem em torno dos fenômenos parapsicológicos, já que estes podem ser facilmente reproduzidos com truques. Segundo Marcia, os truques incluem coisas simples, como colocar um ímã debaixo de uma mesa e fazer moedas se movimentarem, colocar fios de náilon para deslocar objetos ou passar um líquido em um objeto de metal, fazendo com que minutos mais tarde ele amoleça e entorte – uma técnica bastante usada pelos chamados “entortadores” de colheres. Um ambiente com pouca iluminação e cercado de forte emoção também ajuda, como costuma ocorrer nas apresentações de mágicos em geral.
Além de mover objetos sem tocá-los, a psicocinese inclui outros tipos de experiências, como a suposta cura de doenças por meio do poder da mente. O mineiro Thomaz Green Morton, que nos anos 80 fez fama como um guru de estrelas da TV, foi tido como alguém capaz de realizar esse tipo de fenômeno (leia mais na página 16). Outra forma de manifestação da psicocinese é a levitação. Em diferentes épocas se considerou a levitação um “milagre de Deus” ou um reflexo da “possessão demoníaca”. A parapsicologia define a levitação como a suspensão do corpo humano por meio da energia vital. A explicação dos estudiosos é que, em estados de grande misticismo ou emotividade, certas pessoas poderiam elevar-se no ar porque, em determinado momento, desprenderiam um grande volume de energia orgânica. No entanto, esse fenômeno é extremamente raro e só ocorreria de forma espontânea e incontrolável. Não há registros de casos de levitação ocorridos em condições de laboratório.

Só de porre
Outra manifestação psicocinética é a transferência de imagens mentais para objetos. Uma das histórias mais célebres é a do americano Ted Serios, que vivia em Chicago e era tido como alguém com personalidade psicopática. Serios ficou conhecido por supostamente conseguir produzir imagens positivas em filmes virgens por meio da impregnação mental. Segundo relatos, ele transferia imagens para os filmes olhando fixamente para a lente de uma Polaroid. Nesse tipo de máquina fotográfica, os filmes são revelados na hora. O detalhe é que o americano só conseguia fazer boas imagens após beber várias latas de cerveja e algumas doses de uísque. Uma série de experimentos foi feita com Serios, mas os cientistas reclamaram que não havia condições para evitar truques. Motivo: Serios se recusava a fazer o experimento quando as condições impostas pelos cientistas eram muito rigorosas.
Como se vê, a psicocinese é um tema envolto em polêmicas e divergências. Nenhuma resposta simples pode ser dada, já que diferentes pessoas exigem diferentes padrões de comprovação. Fenômenos psicocinéticos existem? Bem, considerando as evidências experimentais, a resposta é: talvez. Se levarmos em conta os resultados obtidos em laboratórios, que se repetem com regularidade e que podem ser explicados com as leis da ciência conhecidas, a resposta é: não. Mas isso não significa que ela necessariamente não exista. Achar que a ciência tem respostas para tudo é um erro. No século 19, as pessoas não conheciam a radioatividade, apesar de ela já existir. O grande desafio para os que estudam a parapsicologia é conseguir incorporar ao âmbito do normal e do natural, dentro de uma teoria explicativa satisfatória, fatos que durante muito tempo foram tidos como anormais, supranaturais ou paranormais. Ou seja, fazer com que o sobrenatural seja visto como normal.





Efeitos invisíveis
Testes em laboratório buscam detectar manifestações psicocinéticas imperceptíveis a olho nu
Os fenômenos psicocinéticos, que os especialistas costumam abreviar como PK (do inglês psychokinesis), se caracterizam pela ação da mente sobre a matéria. Quando essa ação é diretamente observável, como no caso de um movimento de objetos sem uma explicação aparente, é chamada de macro-PK. Se a manifestação não é observável a olho nu, ou seja, se seus efeitos são fracos, leves e microscópicos, denomina-se micro-PK.
Para testar se a mente pode realmente influenciar a matéria, dificilmente você encontrará um cientista analisando “entortadores” de colheres como o israelense Uri Geller, mesmo porque pessoas como ele não são levadas muito a sério. A maior parte dos estudos nessa área envolve testes de micro-PK, cujos efeitos podem ser inferidos apenas estatisticamente. A micro-PK pode ser verificada com a ajuda 0de um equipamento chamado gerador de números aleatórios (GNA). Essa máquina produz apenas dois resultados (0 ou 1), em uma seqüência aleatória. Num experimento típico, um sujeito deve tentar alterar mentalmente a distribuição dos números aleatórios, ou seja, ele deve fazer com que a máquina produza mais 1 do que 0, ou o contrário. É como se ele lançasse moedas várias vezes e procurasse, deliberadamente, tirar mais caras do que coroas, ou vice-versa. O esperado é que, ao final de uma série de tentativas, ocorra 50% de resultados de cada um.
Em 1989, o engenheiro e parapsicólogo Dean Radin e o psicólogo Roger Nelson publicaram uma meta-análise do conjunto de resultados obtidos por esse tipo de experimento. Fazer uma meta-análise significa combinar resultados de diferentes estudos para obter um resultado estatisticamente significativo. Radin e Nelson analisaram mais de 800 experimentos de micro-PK, realizados por mais de 60 pesquisadores ao longo dos 30 anos anteriores. O resultado é que o índice de acerto foi de 51%. Aos olhos de um leigo, a diferença pode parecer pequena, mas a probabilidade de esse resultado ocorrer por acaso é de uma em um trilhão (para você ter uma idéia, a probabilidade de acertar na mega-sena, com a aposta mínima, é de uma em 50 milhões).
Pelo fato de o estudo envolver um número gigantesco de pessoas, os cientistas afirmam que esse desvio de 1% é relevante e consistente. Nos aparelhos monitorados para controle, sem uma pessoa para tentar influenciá-los, o resultado foi muito próximo da probabilidade normal, de dois para um. Os parapsicólogos comemoraram o resultado, que interpretaram como prova de que a consciência humana pode afetar o comportamento de sistemas físicos aleatórios. No entanto, outros cientistas, como o físico Philip W. Anderson, ganhador do Prêmio Nobel, contestaram o experimento e o método estatístico utilizado nos estudos, e a questão segue sem consenso.


Fonte : Super Interessante

quarta-feira, 23 de maio de 2012

Cadáver crescendo cabelo e barba



Estes cadaveres estão no IML de Curtiba a mais de 30 anos, e por incrivel que pareça os pêlos continuam crescendo. Precisam fazer a barba de 20 em 20 dias, o cabelo necessita ser cortado periodicamente. Alguma explicação?





terça-feira, 22 de maio de 2012

Glândula pineal




A epífise neural, glândula pineal ou simplesmente pineal é uma pequena glândula endócrina localizada perto do centro do cérebro, entre os dois hemisférios, acima do aqueduto de Sylvius e abaixo do bordelete do corpo caloso, na parte anterior e superior dos tubérculos quadrigêmeos e na parte posterior do ventrículo médio. Está presa por diversos pedúnculos. Apesar das funções desta glândula serem muito discutidas, parece não haver dúvidas quanto ao importante papel que ela exerce na regulação dos chamados ciclos circadianos,que são os ciclos vitais (principalmente o sono) e no controle das atividades sexuais e de reprodução.



A glândula pineal é uma estrutura cinza-avermelhada do tamanho aproximado de uma ervilha (5 por 8 mm em humanos de aproximadamente 150 mg de massa), localizada logo rostro-dorsal à colículo superior e atrás da stria medullaris, entre os corpos talâmicos posicionados lateralmente. Anatomicamente, é considerada parte do epitálamo. É uma estrutura epitalâmica pequena e única, situada dorsalmente à região caudal do diencéfalo. Ela é derivada de células neuroectodérmicas e, à semelhança da retina, desenvolve-se a partir de uma invaginação do teto da parede do terceiro ventrículo.
A glândula pineal é, portanto, uma estrutura de linha média, sendo vista freqüentemente em radiografias simples de crânio, por sua alta incidência de calcificação.


Função

Há algumas décadas, acreditava-se que a glândula pineal fosse um órgão vestigial (assim como o apêndice vermiforme em humanos), sem função atual. No entanto, mesmo órgãos vestigiais podem apresentar alguma função, ocasionalmente diferente da função do órgão do qual se originou. Aaron Lerner e colegas da Universidade de Yale descobriram que a melatonina está presente em altas concentrações na pineal. A melatonina é um hormônio derivado do aminoácido triptofano, que tem outras funções no sistema nervoso central. A produção de melatonina pela pineal é estimulada pela escuridão e inibida pela luz.
A retina detecta a luz, sinalizando a informação para o núcleo supraquiasmático. Fibras neuronais que se projetam deste para os núcleos paraventriculares, que transmitem os sinais circadianos para a medula espinhal e via sistema simpático para os gânglios cervicais posteriores, e destes para a glândula pineal.
A glândula pineal é grande na infância e reduz de tamanho na puberdade. Parece ter um papel importante no desenvolvimento sexual, na hibernação e no metabolismo e procriação sazonais. Acredita-se que os altos níveis de melatonina em crianças inibem o desenvolvimento sexual, e tumores da glândula (com conseqüente perda na produção do hormônio) foram associados a puberdade precoce. Após a puberdade, a produção de melatonina é reduzida, e a glândula freqüentemente está calcificada em adultos.
A citoestrutura da pineal parece ter similaridades evolutivas com células retinais de cordados.Demonstrou-se que aves e répteis modernos expressam o pigmento fototransdutor melanopsina na glândula pineal. Acredita-se que as glândulas pineais de aves possam funcionar como os núcleos supra-quiasmáticos de mamíferos.
Relatos em roedores sugerem que a glândula pineal pode influenciar a ação de drogas de abuso como a cocaína e antidepressivos como a fluoxetina;e pode também contribuir na regulação da vulnerabilidade neuronal a lesões.

A pineal na filosofia e misticismo


Esquema de funcionamento da glândula pineal segundo Descartes (1641)
A glândula pineal tem sido considerada - desde René Descartes (século XVII), que afirmava que nela se situava a alma humana - um órgão com funções transcendentes. Além de Descartes, um escritor inglês com o pseudônimo de Lobsang Rampa, entre outros, dedicaram-se ao estudo deste órgão.
Com a forma de pinha (ou de grão), é considerada por estas correntes religioso-filosóficas como um terceiro olho devido à sua semelhança estrutural com o órgão visual. Localizada no centro geográfico do cérebro, seria um órgão atrofiado em mutação com relação em nossos ancestrais.
Os defensores destas capacidades transcendentais deste órgão, consideram-no como uma antena. A glândula pineal tem na sua constituição cristais de apatita. Segundo esta teoria, estes cristais vibram conforme as ondas eletromagnéticas que captassem, o que explicaria a regulação do ciclo menstrual conforme as fases da lua, ou a orientação de uma andorinha em suas migrações. No ser humano, seria capaz de interagir com outras áreas do cérebro como o córtex cerebral, por exemplo, que seria capaz de decodificar essas informações. Já nos outros animais, essa interação seria menos desenvolvida. Esta teoria pretende explicar fenômenos paranormais como a clarividência, a telepatia e a mediunidade.
A Doutrina Espírita dedica-se à formulação destas explicações desde Allan Kardec (século XIX). Na obra Espírita Missionários da Luz, ditada pelo espírito de André Luiz, através da psicografia do médium Francisco Cândido Xavier, a epífise é descrita como a glândula da vida espiritual e mental que caracteriza um órgão de elevada expressão no corpo etéreo onde presidem os fenômenos nervosos da emotividade, devido a sua ascendência sobre todo o sistema endócrino, e desempenha papel fundamental no campo sexual. No terreno concreto, tal função é apontada desde 1958 e, atualmente passou a ser amplamente aceita em terreno concreto.
André Luiz descreve ainda que a epífise está ligada à mente espiritual através de princípios eletromagnéticos do campo vital, fato que a ciência formal ainda não pode identificar, comandando as forças subconscientes sob a determinação direta da vontade. O psiquiatra brasileiro Dr. Sérgio Felipe de Oliveira, neurocientista, defende em pesquisas que a glândula pineal seria o órgão sensor que capta as informações por ondas eletromagnéticas devido as propriedades dos cristais de apatita, que as converteriam em estímulos neuroquímicos de forma análoga à antena do aparelho celular para sinais eletrônicos .
Já na visão dos hindus, é o principal órgão do corpo, possuidor de dois chacras ou centros de energia responsáveis pelo desenvolvimento extra-físico, como receptores e transmissores de energia vital: o chacra do terceiro olho, central na testa, acima da altura dos olhos, e o chacra coronário, mais superior, também na cabeça.

Palestra sobre a glândula Pineal


segunda-feira, 21 de maio de 2012

Alienígenas do Passado - As Evidências



Alienígenas do Passado exploram 75 milhões de anos de provas contundentes sobre a vida dos extraterrestres no planeta Terra - desde a era dos dinossauros ao Antigo Egito, até os céus azuis de hoje do oeste do Arizona, nos Estados Unidos.Algumas teorias asseguram que os extraterrestres vêm interagindo com os habitantes da Terra no decorrer dos séculos, e que mudaram o curso da história humana.
Esse documentário é ótimo, tudo a ver com História, algo cada vez mais raro em um canal que espera-se tenha foco na história... bem baseado no livro "Eram os Deuses Astronautas?", debate a história e evidências ufológicas nas Linhas de Nazca, Ilha de Páscoa, Maias, Egito, Índia e as pirâmides desses povos, evidências na Bíblia e achados arqueológicos como um computador analógico datado de 200 a.c., pinturas rupestres, enfim, rico em imagens... excelente, mesmo.


domingo, 20 de maio de 2012

Robô submarino da Petrobras flagra criatura gigante no fundo do mar




Uma câmera acoplada a um robô submarino da Petrobras, que fazia exploração de rotina no campo petrolífero de Cascade, no Golfo do México, litoral dos Estados Unidos, flagrou uma estranha criatura gigantesca, nadando tranquilamente a cerca de 2.500 metros de profundidade.
A imagem já rodou a web e está intrigando os internautas. Só no YouTube, o vídeo já foi visto mais de 4,9 milhões de vezes.


Medusa gigante flagrada por câmera submarina da Petrobras: é possível ver sistema digestivo do animal Foto: Reprodução de vídeo
Mas engana-se quem logo apostou se tratar de uma criatura extra-terrestre. Especialistas acreditam que o animal, na verdade, seja uma medusa gigante, do gênero Deepstaria, que vive sempre em águas profundas e é muito rara de ser encontrada. Uma das características desse invertebrado é a exposição, fora de seu corpo, do aparelho digestivo.





Fonte : Extra 

sábado, 19 de maio de 2012

Os caçadores de OVNIS - OSNIS



Um homem pilotava seu pequeno avião próximo à ilha Catarina quando viu um estranho objeto próximo da superfície da água. Ele, então, perde o controle do avião e sua próxima lembrança seria em um hospital rodeado por diferentes autoridades. Isto ocorreu em 1990... Hoje nossa equipe volta ao local do acidente e com a mais alta tecnologia as evidências serão analisadas. É possível que este acontecimento tenha sido causado por uma força fora deste mundo?













sexta-feira, 18 de maio de 2012

Máquina do tempo




Máquina do tempo é o termo que comumente se refere à ferramenta que permite um deslocamento através do tempo de uma maneira não-natural, possibilitando que o objeto de sua ação, seja o passageiro (da máquina), o operador ou alvo dela, se mova de, ou para, o passado, o presente ou o futuro.

Naturalmente, tudo viaja no tempo, pois quando acabar de ler esta frase o leitor terá viajado no tempo de alguns segundos.
Embora imaginada e perseguida pela sociedade humana, a máquina do tempo nunca foi construída com sucesso, sendo sua atividade restrita a obras de ficção científica, nas quais já teve distintas interpretações: em algumas a máquina do tempo era um veículo, em outras era portal, em outras era uma arma, e uma infinidade de "modos" com que ela possa tomar forma concreta.
Há, também, muitas probabilidades de acontecimentos em uma viagem no tempo. Uma delas é a do passado imutável. Como no clássico da TV Túnel do Tempo, as tranferências temporais acontecem, porém, acabam fazendo parte do que realmente aconteceu. Ou seja, se uma pessoa volta no tempo e interfere nos acontecimentos do passado, quando ela retornar ao seu tempo natural, todos os acontecimentos que ele mudou, sempre fizeram parte da sua lembrança, ou seja, mesmo que ela mude mil vezes o passado, todos esses acontecimentos sempre farão parte de sua história real.

As Teorias

Como se sabe pela Teoria da Relatividade de Albert Einstein, o tempo passa mais lentamente para qualquer objeto em movimento ou sob a ação de um campo gravitacional importante. No caso do movimento, é necessário viajar a uma velocidade próxima à da luz (299 792 458 m/s) (ver velocidade da luz) para que esse efeito seja perceptível. Com isto o tempo para o indivíduo em movimento passa mais devagar do que para quem não está em movimento, de modo que quando o viajante retornar ele estará mais jovem do que os que não viajaram com ele. Um exemplo: se o relógio em deslocamento nesta velocidade marca que passaram 12 horas, os em repouso marcam muito mais: uma década, por exemplo. Isto quer dizer que o viajante viajou dez anos no futuro. Infelizmente, de acordo com a Teoria da Relatividade, quanto mais um corpo for acelerado mais massa ele ganha. Então não há, nem haverá, um motor suficientemente potente para acelerar tal corpo. Pode-se tomar como exemplo um homem de 80 kg que, ao atingir 99,999999999% da velocidade da luz, teria uma massa de 5600 toneladas e, se conseguisse alcançar os 100% da velocidade da luz, sua massa seria infinita.
Teoricamente existem os wormhole (ou seja "buraco de minhoca"), que servem como atalho entre dois pontos distantes no universo, como o Espaço e o Tempo estão unidos formando o Espaço-Tempo, os buracos de minhoca servem de atalho não só através do Espaço mas também através do Tempo. No cinema, a trilogia De Volta para o Futuro (Back to the Future, no original) explorava este tema. Na série, um DeLorean DMC-12 foi adaptado por um cientista para se tornar uma máquina do tempo.

quinta-feira, 17 de maio de 2012

OVNIs no Google Street View




Google Street View é o serivço do Google que exibe imagens de ruas que foram captadas através de um sistema de câmeras que são colocadas em cima dos carros da empresa.
Em algumas dessas imagens, há objetos que chamam muito a atenção, inclusive parecem acompanhar (e andar) no mesmo sentido.
Veja alguns desses objetos nos vídeos abaixo:







quarta-feira, 16 de maio de 2012

Unicamp : A área 51 brasileira




A universidade pública localizada em Campinas foi criada em 1966 e é mantida até hoje pelo governo do Estado de São Paulo. Estranhamente, diferente das outras instituições de ensino brasileiras, a escola tem poucos vínculos com a comunidade local. E um dos pavilhões, o de número 18, é guarnecido por soldados do Exército, armados até os dentes e seguranças vestidos de indefectíveis ternos pretos, usando chapéus tambem pretos e óculos escuros, 24 horas por dia. Alunos e pessoas em geral, não tem acesso à esse setor. Somente "professores" altamente qualificados, na sua grande maioria, estrangeiros.


Segundo ufólogos brasileiros, existe um laboratório subterrâneo secreto na universidade - localizado debaixo do Instituto de Biologia - onde várias criaturas estranhas estariam aprisionadas. Os tais alienígenas capturados em Varginha estão todos lá, assim como Chupacabras, capturados vivos ou abatidos pelo interior do país.

A Unicamp seria, portanto, uma espécie de Area 51 Tupiniquim. A universidade desmente tudo, é claro, o que só confirma as suspeitas dos alienistas e alienados ufológos. Mas a teoria conspiratória, falsa ou verdadeira, acaba revelando uma triste verdade: enquanto houver esse tipo de acobertamente, o mito alienígena continuará se proliferando e os aproveitadores de plantão continuarão enchendo os bolsos de dinheiro, explorando a fé dos incautos.

Um pesquisador da Unicamp que não quis se identificar, por motivos óbvios, exibe a foto de um filhote de Chupacabra .


terça-feira, 15 de maio de 2012

Cientistas desvendam segredos de 'computador' de 2 mil anos




Os segredos de um objeto considerado o computador mais antigo do mundo foram revelados com o uso de um equipamento de raio X.

O mecanismo Antikythera, como é conhecido, tem cerca de 2 mil anos e foi encontrado em 1901 quando um grupo de mergulhadores chegou a um antigo navio romano naufragado na costa da Grécia.
O objeto tem o tamanho aproximado de um laptop moderno e, dentro dele, estão várias rodas de transmissão e engrenagens.
Ele teria sido usado para prever eclipses solares e, de acordo com descobertas recentes, o mecanismo também servia para calcular as datas de Olimpíadas na Grécia Antiga.

A equipe internacional de cientistas conseguiu juntar em um computador mais de 3 mil projeções de raios X, montando uma imagem tridimensional.
Com estas imagens, os cientistas conseguiram compreender o mecanismo e suas engrenagens.



segunda-feira, 14 de maio de 2012

Arquivos Extraterrestres - Hangar 18



Nos anos 1950, quando os discos voadores começaram a alcançar extrema popularidade nos Estados Unidos, surgiram os primeiros boatos (céticos incuráveis leiam “Iendas”) sobre o Hangar 18. Era um local supersecreto na base Wrighlt-Paterson, da Força Aérea, em Dayton, Ohio. O armazém nefando guardaria os destroços de vários OVNI’s acidentados ou abatidos pelos americanos. A primeira nave extraterrestre a ser levada para lá teria sido a que caíra em ROSWELL, Novo México, em 1947 - um dos casos mais rumorosos da ufologia mundial. No Hangar 18 também estariam os corpos de alienígenas GREYS resgatados dos destroços.

A existência do lugar foi denunciada no livro Behind the Flying Soucers (Henry Holt and Company, 1950), do jornalista Frank SculIy (não é coincidência, leitor atento: a personagem Dana Scully de ARQUIVO X foi batizada em homenagem a ele). Como era de se esperar, a Força Aérea negou a existência dos destroços extraterrestres, bem como do tal Hangar 18.
Na medida em que as investigações ufológicas se expandiram, o Hangar 18 foi aos poucos substituído pela maior e mais complexa ÁREA 51, base subterrânea mantida por humanos e extraterrestres no deserto de Nevada.






domingo, 13 de maio de 2012

Intruders 1992



Abra a sua mente. Mas primeiro, feche as portas! Baseado em mais de 600 histórias verídicas e no best-seller do aclamado investigador de OVNIs Budd Hopkins, este thriller de ficção científica explora o mundo bizarro e sombrio dos encontros com extraterrestres.

Quando o respeitado psiquiatra Dr. Neil Chase (Richard Crenna) começa a tratar Lesley Hahn (Daphne Ashbrook), que sofre de alucinações paralisantes, perdas de memória e paranóia maníaca, nenhuma explicação racional se parece ajustar àquele caso. Entretanto, uma dona-de-casa do Nebraska, Mary Wilkes (Mare Winningham) sofre dos mesmos sintomas. E quando o Dr. Chase a encontra e aprofunda ainda mais os dois casos, as semelhanças entre as suas histórias de pesadelo levam o que era antes céptico para o mistificador mundo dos raptos por OVNIs. Há mesmo uma presença extraterrestre a trabalhar aqui e, se é assim, vieram estes visitantes para salvar um mundo velho... ou para começar um novo? Os Últimos Invasores vão fazê-lo acreditar.



sábado, 12 de maio de 2012

Caçadores de Ovnis - Ovnis Antes de Roswell



Caçadores de ÓVNIS é uma série do The History Channel onde, junto a um grupo de 4 especialistas de diferentes áreas, seguiremos as pistas em busca da verdade. Junte-se a esta equipe que, com arquivos de vídeos inéditos, documentos secretos e testemunhos de primeira mão, separará a ficção da realidade.


Seis objetos voadores não identificados são vistos na costa da Ilha Maury. Tudo isto se passou apenas uma semana antes do famoso incidente de Roswell. Uma testemunha, Harold Dahl, relata a situação ao governo americano. Após entrevistar moradores da região, são colhidas as provas necessárias e escondidos os fatos como se nunca tivessem acontecido. Neste episódio de Caçadores de Óvnis, revelaremos a verdade sobre este caso.










sexta-feira, 11 de maio de 2012

Equipe acha mais antigo calendário maia e derruba 'fim do mundo'




Imagem divulgada pela National Geographic mostra a arqueóloga Angelyn Bass limpando a superfície de uma parede maia no noroeste da Guatemala
Foto: AP


Uma equipe de pesquisadores dos Estados Unidos anunciou nesta quinta-feira a descoberta do calendário Maia mais antigo documentado até o momento, que data do século IX, pintado nas paredes de um habitáculo encontrado na cidade de Xultún (Guatemala).
O mundo acabará em 21/12/2012? Saiba aqui

O calendário documenta ciclos lunares e o que poderiam ser planetários, explicaram em entrevista coletiva os arqueólogos William Saturno, da Universidade de Boston, e David Stuart, da Universidade do Texas-Austin. A descoberta, que será publicada nesta semana pela revista Science, desmonta a teoria dos que preveem o fim do mundo em 2012 baseando-se nos 13 ciclos do calendário Maia, conhecidos como "baktun", já que o sistema possui, na verdade, 17 "baktun".
"Isto significa que há mais períodos que os 13 (conhecidos até agora)", ressaltou Stuart, para quem o conceito foi "manipulado". Ele disse que o calendário Maia continuará com seus ciclos por mais milhões de anos. Os hieróglifos pintados no que poderia ser um templo da megacidade de Xultún, na região guatemalteca de Petén, é vários séculos mais antigo que os Códices Maias escritos em livros de papel de crosta de árvore do período Pós-clássico tardio.
Os especialistas destacam que há glifos e símbolos que, segundo Stuart, só aparecem em um lugar: o Códice de Dresden, que os maias escreveram muitos séculos mais tarde" e que se acredita ser do ano 1.250. "Nunca tínhamos visto nada igual", assinalou Stuart, professor de Arte e Escritura Mesoamericana, encarregado de decifrar os glifos. Ele destacou que se trata das primeiras pinturas maias encontradas nas paredes de um habitáculo.
O quarto, segundo os especialistas, faz parte de um complexo residencial maior. Os pesquisadores lamentam que parte do quarto tenha sido danificada por saqueadores, mas foi possível conservar várias figuras humanas pintadas e hieróglifos negros e vermelhos. Em uma delas aparece a figura do rei com penas azuis e glifos perto de seu rosto que, segundo decifraram, significam "Irmão Menor".
A parede contém uma série de cálculos que correspondem ao ciclo lunar, enquanto os hieróglifos da parede norte acreditam que poderiam se relacionar com os ciclos de Marte, Mercúrio e, possivelmente, Vênus. Os autores indicam que o objetivo de elaborar esses calendários, segundo os estudos realizados a partir dos códices maias encontrados previamente, era o de buscar a harmonia entre as mudanças celestes e os rituais sagrados, e acreditam que essas pinturas poderiam ter tido o mesmo fim.
"Pela primeira vez vemos o que podem ser registros autênticos de um escrivão, cujo trabalho consistia em ser o encarregado oficial de documentar uma comunidade maia", assinalou Saturno. Em sua opinião, parece que as paredes teriam sido utilizadas como se fossem um quadro-negro para resolver problemas matemáticos.
De acordo com os cientistas, poderia se tratar de um lugar onde se reuniam astrônomos, sacerdotes encarregados do calendário e algum tipo de autoridade, pela riqueza na decoração das pinturas nas paredes, que também utilizaram para fazer suas anotações.
A pesquisa continua aberta para determinar que tipo de quarto se trata, se era uma casa ou um habitáculo de trabalho e se era utilizado por uma ou várias pessoas. "Ainda nos resta explorar 99,9% de Xultún", lembrou Saturno, que afirmou que a grande cidade maia descoberta em 1915 proporcionará novas descobertas nas décadas vindouras




Fonte : Terra

Piloto de avião diz que viu OVNIs em Minas e registrou aparição em fotos





                              Quando o piloto deu um zoom na câmera...


                             ... um dos pontos luminosos desapareceu misteriosamente

O homem enviou os arquivos para o Instituto Tecnológico da Aeronáutica em São José dos Campos.


Um piloto de avião disse que tem certeza que os habitantes da Terra não estão sozinhos depois que fotografou um objeto voador não identificado (OVNI) no céu de Minas Gerais.



Dois pontos brilhantes foram vistos às 15h30 do dia 24 de abril deste ano em Ipatinga, região Leste do Estado.



Era um dia de sol forte e mesmo assim o autor das imagens conseguiu registrar  os clarões. Quando ele deu zoom na câmera mais um mistério: um dos pontos desapareceu.


A identidade do homem que fez as fotos não será revelada. Ele é piloto há 17 anos e fazia o trajeto de Governador Valadares a Belo Horizonte.


Quatro dias antes um objeto brilhante, com cores avermelhadas, foi visto cortando o céu da capital. Um registro foi feito e postado na internet.


O piloto enviou os arquivos para o Instituto Tecnológico de Aeronáutica em São José dos Campos, interior de São Paulo, mas já tem sua opinião formada.

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Tempestades solares devem atingir a Terra nos próximos dias




Astrônomos se baseiam em imagem da Nasa que mostra atividade do Sol.
Fenômeno prejudica funcionamento de satélites



A imagem publicada nesta quarta-feira (9) pelo Observatório de Dinâmica Solar (SDO, na sigla em inglês), da Nasa, mostra a atividade recente do Sol. Pela movimentação na superfície, os astrônomos acreditam que o Sol vá produzir erupções muito fortes nos próximos dias. As tempestades devem afetar o campo magnético da Terra, o que pode alterar o funcionamento de satélites de comunicação e provocar auroras boreais, entre outros efeitos, mas não traz consequências diretas para os seres vivos (Foto: AFP/SDO/AIA

Morador do Distrito de Pirabeiraba, Norte de SC, registra fenômeno estranho no céu




Feixe de luz foi visto na direção da Serra Dona Francisca.

Na manhã de domingo, um morador da Estrada Mildau, em Pirabeiraba, filmou um fenômeno estranho no céu. Sidnei Gonçalves, 39 anos, passeava pelo Centro de Pirabeiraba quando se deparou com um enorme feixe de luz.



— Era como se fosse um rastro, mas diferente dos deixados pelos aviões, que logo some. Ele ficou durante muito tempo —, conta.

O fenômeno foi filmado na direção da Serra Dona Francisca, por volta das 6h30.

— Acho que pode ter havido alguma explosão. Porque foi algo muito diferente, que eu nunca tinha visto —, relata.

Neste final de semana, Pirabeiraba também registrou outro fato. A Defesa Civil de Joinville confirmou que houve pelo menos nove tremores de terra na região de Pirabeiraba, zona Norte de Joinville, entre às 21 horas deste sábado e a manhã de domingo.

quarta-feira, 9 de maio de 2012

O Caso Do Voo 169 Da Vasp




Uma das experiências mais extraordinárias da história da ufologia é, sem dúvida alguma, o caso do chamado vôo 169 da VASP, que aconteceu em meio a uma grande onda ufológica, na madrugada do dia 8 de fevereiro de 1982, quando os passageiros e a tripulação de um Boeing 727/200 da VASP tiveram a chance de observar um OVNI por mais de uma hora, num vôo de Fortaleza para São Paulo, com escala na cidade do Rio de Janeiro. No total, aproximadamente 150 pessoas participaram da experiência.



A repercussão do caso chegou ao exterior, levando vários jornais e revistas em diversos países a relatarem o fato, que passou a ser também um clássico da literatura ufológica de nosso país. Gerson Maciel de Britto acabou sendo conferencista de vários eventos, prestou um depoimento detalhado no qual o piloto revelou - além de todos os detalhes do caso e seus desdobramentos - outras três experiências mantidas anteriormente durante outros vôos, respectivamente nos anos de 1963, 1975 e 1978.

Segundo Britto, o vôo teve início com a decolagem por volta das 2 horas da madrugada, da cidade de Fortaleza. O céu estava limpo, apresentando visibilidade total, condições que seriam mantidas durante toda a rota. Cerca de uma hora depois da decolagem, quando sobrevoavam a cidade de Petrolina, já no Estado de Pernambuco, o comandante percebe então pela primeira vez a presença de um objeto luminoso à esquerda do avião, semelhante inicialmente aos faróis de um avião. A partir daquele momento Britto passa a monitorar com atenção o OVNI, para verificar a trajetória que o objeto seguiria em relação à rota de seu avião, pensando na segurança do vôo que comandava.

Britto percebeu que aquela fonte luminosa mantinha a mesma distância de seu Boeing, com uma trajetória paralela, sem fator de aproximação. Em seguida, percebe então já uma mutação de cor no objeto, como se ele estivesse girando em torno de si, ionizando gases de nossa atmosfera, apresentando uma coloração alternadamente avermelhada, cor de abóbora e azulada. Em seguida o comandante do vôo entra em contato com a jurisdição de tráfego aéreo de Recife, para saber se existia algum tráfego especial da Força Aérea Brasileira na região, já que não havia sido informado previamente, como é normal quando do início do vôo de qualquer vôo comercial, que pudesse explicar o que ele e os demais tripulantes estavam observando. Em resposta, "Recife" comunica - através do rádio - que desconhecia qualquer vôo militar na área, e que não tinham também informações sobre qualquer outro tráfego comercial naquele momento na região.

Segundo Britto, em frações de segundo o aparelho se deslocava dezenas de milhas, se posicionando bem mais à frente do avião, para depois retroceder à posição anterior, demonstrando um potencial tecnológico muito além da nossa compreensão. Estas variações de velocidade e posição ocorreram várias vezes, e foram observadas tanto visualmente como através do radar de bordo.

Quando o vôo já estava nas proximidades da cidade de Belo Horizonte, aquele objeto - que mantinha desde o início uma distância razoável do Boeing - começou a se aproximar de maneira definitiva, e o CINDACTA entrou em contato finalmente com a tripulação reportando que estavam detectando um eco-radar na posição nove horas, ou seja, bem à esquerda, a uma distância de 8 milhas náuticas. O comandante Britto estranhou o comportamento do CINDACTA, pois só quando começou a se materializar uma situação de conflito de tráfego aéreo os operadores do órgão resolveram assumir que o OVNI estava realmente em suas telas. O foco luminoso cada vez ficava maior com sua aproximação do Boeing. Segundo Britto, ele já conseguia observava uma estrutura discoidal em meio àquela intensa luminosidade, com o tamanho equivalente a dois aviões jumbos juntos.

A partir deste momento o comandante do vôo - já entendendo que se tratava realmente de uma nave extraterrena que, de alguma forma, estava tentando entrar em contato - deixou o seu lado mais humano surgir, mentalizando uma mensagem de boas-vindas aos tripulantes do objeto, e em seguida teve a idéia de convocar o restante da tripulação - já que até aquele momento apenas a tripulação da cabine vinha acompanhando o fenômeno - e os próprios passageiros para partilharem aqueles momentos especiais. O avião foi inundado por uma luminosidade intensa de coloração azulada, e os passageiros, de maneira tranqüila e ordeira, foram se revezando nas janelas do lado esquerdo para observarem o fenômeno.

Britto pôde observar ainda, quando já sobrevoava as serras nas proximidades do Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro, o OVNI por trás de uma formação nevoenta que existia sobre a região. Com a chegada do avião ao Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro, os passageiros que desceram começaram a divulgar o ocorrido, e a mesma coisa aconteceu pouco tempo depois já em São Paulo, chamando a atenção do plantão de imprensa no local.

terça-feira, 8 de maio de 2012

A lenda de Utsuro Bune




Para aqueles que não sabem, o Período Edo do Japão (1603 a 1867) foi uma época muito próspera para o povo japonês. Pela maior parte desta era, o Japão estava quase que completamente cortado do resto do mundo. Não havia comércio, viagem e tampouco migração ocorrendo por estes mais de duzentos anos. Era um total isolamento do restante do mundo, o qual quase nem sabia da existência dos habitantes do Japão, seus costumes, práticas e religiões. Para os japoneses, este isolamento os permitiu viver longe da guerra e focar em sua cultura, arte e situação econômica.


Esta é a história da Utsuro-bune, ou “Nave Oca” do Japão. É um mistério que pode ter várias explicações e não é necessariamente conectada à uma visita extraterrestre. Aliás, provavelmente não foi, mas mesmo assim, se trata de algo interessante que carrega consigo esta possibilidade.
Era o ano de 1803 e alguns pescadores da costa de Harash-ka-hama, que está localizada no norte do Japão, estavam relaxando após um dia duro de trabalho, quando avistaram algo estranho vindo para a costa. De longe, os homens avistaram o que parecia ser um barco de aparência estranha. O objeto parecia estar vagando sem rumo pelo Oceano Pacífico. À medida que vagava mais próximo da costa, os homens decidiram se aventurar ao seu encontro, para melhor observá-lo’.
Cuidadosamente os pescadores foram em direção ao objeto. Quando se aproximaram, eles notaram que este não era um barco qualquer. Pelo menos, não era nada haviam visto antes.
Os homens decidiram rebocá-lo até a costa. Naquele momento, haviam mais pessoas por sua volta, as quais estavam curiosas para ver o que estava em seu interior.
Todos rapidamente o cercaram e começaram a examinar o material com o qual o objeto havia sido construído. Pelo que se sabe, a descrição da parte superior do objeto era similar ao bambu. Parecia ser algo muito forte e liso, com uma camada de tinta vermelha que cobria toda a parte superior. Também na parte superior haviam várias janelas de vidro, ou cristal, as quais os permitiam ver para dentro do objeto. Estas janelas estavam cobertas por barras, talvez como ornamentos, ou talvez como medida de proteção.
Quanto à parte inferior do objeto, a lenda relata que era construída com placas de latão. Um desenho muito bizarro para a época. Mas o que era mais bizarro foi o que estava dentro do objeto.
A parte interior do objeto



Olhando para dentro do objeto, os pescadores viram um interior decorado por símbolos estranhos, pelo menos para eles. Os símbolos, parecidos com formas geométrica, confundiram os pescadores japoneses. O que eles significavam? De onde vinham?
Estas questões desapareceram rapidamente, pois os homens fizeram uma descoberta excepcional. Dentro do objeto, entre os estranhos hieróglifos, havia uma jovem mulher sentada.
De acordo com a história, a mulher era muito jovem e parecia ter somente 18 ou 20 anos de idade. Ela foi descrita como tendo cabelo e sobrancelhas vermelhos como o fogo, e uma pele rosada macia e muito pálida. Os homens notaram que a mulher também tinha mechas brancas e longas nos cabelos e vestia uma roupa feita com tecidos desconhecidos.
À medida que os homens rapidamente cercavam o objeto para ver esta estranha, eles notaram que ela estava agarrada à uma caixa alongada, a segurando contra seu peito. A mulher levantou e os homens se afastaram. Ali, em plena luz do dia, a misteriosa viajante saiu do objeto e plantou seus pés em solo japonês.
A visitante



Os homens notaram que, não somente a misteriosa visitante não se parecia como eles, mas que também ela falava uma língua estranha. A mulher foi descrita como sendo muito amigável e cortês.
Tanto os pescadores quando a visitante tentaram se comunicar, mas foi tudo em vão.
Sentindo que eles não estavam avançando, os pescadores decidiram ver o que a visitante estava segurado dentro da caixa alongada. Ela nunca permitiu ninguém tocar a caixa.
Os homens tentaram novamente comunicar com ela e ela, por sua vez, também tentou fazer um intercâmbio de informações.
Após tentativas de comunicação, os pescadores relataram que a mulher desistiu e voltou para dentro da Utsuro-bune, retornando para o mar.
Certamente, se a história for verídica, há várias possibilidades para explicá-la. E estas vão desde visita extraterrestre até uma ruiva que teria sido colocada em um barco vindo de outro continente.
De qualquer forma, uma coisa é certa: a história da Utsuro-bune para sempre será um mistério

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Alienígenas do Passado - Astronautas Antigos




Será que somos vigiados e controlados desde o nosso “princípio”?
Será que somos cobaias e “queriam” ver como evoluiríamos sozinhos sem “interferência”?

Será que somos constantemente avaliados e aprimorados através de nosso DNA e de inseminações artificiais?

Só me restam as dúvidas…

Será que um dia a verdade surgirá?


A Igreja matou muitos no passado que ousaram questioná-la… Será que mais uma vez a história se repete? Teria a ciência a capacidade de nos cegar? A ponto de não nos deixar ver e entender que tanta evidência não pode ser mera coincidência, que povos que nunca se viram tenham tido a mesma ideia?!

Quanta dúvida…

E se era tão difícil fazer tais feitos (que até hoje nem a ciência ousa fazer), por que faziam? E se fosse fácil?

Alguma coisa não se encaixa, tem muitas peças faltando nesse grande quebra-cabeça de nossa história.

Charles Darwin que me perdoe, mas a sua teoria evolucionista não cola mais.

Existe algo maior que nos modificou ao seu gosto.