sábado, 31 de dezembro de 2011

Happy new year !



A equipe do Aventureiro do Desconhecido deseja a todos um excelente 2012 com muitas realizações a todos !

Imagens de Marte




Pirâmides em Marte .. torres .. .. cidades antigas... ruínas .. ufos .. água ..  .. 200 fotos incríveis.


sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Estrela giratória é encontrada em galáxia vizinha




Imagem simula a mais rápida estrela giratória encontrada até hoje. Esse astro maciço, brilhante e jovem é chamado de VFTS 102 e gira a 1,6 milhão de km/h, cem vezes mais rápido que o Sol.
Forças centrífugas causadas por essa alta taxa de rotação achataram a estrela nos polos e formaram um disco de plasma quente no meio dela. A VFTS 102, que é mostrada no desenho junto de um planeta hipotético, pode ter incorporado material de uma estrela binária, e essa companheira teria evoluído rapidamente depois e explodido como uma supernova. A estrela giratória fica a 160 mil anos-luz de distância da Terra, na Grande Nuvem de Magalhães, uma galáxia-satélite da Via Láctea. Foto: NASA, ESA, e G. Bacon (STScI)

Fonte : G1

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Campos de Concentração da FEMA são ativados nos EUA.




Aprovada prisão por tempo indeterminado, sem acusação formal e sem o devido processo legal - ainda aguarda sanção de Obama


O Congresso americano aprovou a Lei Nacional de Autorização de Defesa, que dá poder ao Governo Federal de usar as Forças Armadas contra a sua própria população, de prender por tempo indeterminado americanos em qualquer lugar no mundo, sem nenhuma acusação formal e sem o devido processo legal. Você chamaria isso de Lei Marcial?

Muitas São as perguntas e quase nenhuma resposta. Só o tempo, que agora parece ter se encurtado bastante, nos responderá. Os campos foram ativados, as pessoas estão sendo recrutadas para trabalhar nos mesmos e enquanto você lê esse pequeno artigo, elas estão se posicionando, cada uma em seu posto.

Pra quem estiver lendo essa notícia e ainda não souber o que são a FEMA e seus caixões.



quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

MENSAGEM SUBLIMINAR DE OVNIS NO COMERCIAL DA COCA-COLA




Esta comercial da coca-cola mostra histórias reais de pessoas reais que são catadores de garrafas, o interessante é que mostra nitidamente a presente de ufos confira.



terça-feira, 27 de dezembro de 2011

A força da mente



Será que os mestres de caratê conseguem atacar uns aos outros com uma energia invisível? Será que os ‘milagrosos’ indianos e os místicos Sufi conseguem mutilar seus corpos sem sentir dor?
Verdade ou Mito ? O Poder da Mente :


segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Bolas de fogo são avistadas cortando os céus da Alemanha, Polônia e Holanda



Bolas de fogo, possivelmente meteoros, foram vistas por pelo menos 1 minuto na Alemanha e Polônia, e com duração mais breve na Holanda, ontem (24/12).


Veja os dois vídeos abaixo, o primeiro mostrando os avistamentos da Alemanha e da Polônia, que foram muito similares em forma e duração e atípicos para meteoros.

Já o avistamento da Holanda parece ser muito mais condizente com a entrada de uma rocha espacial na atmosfera terrestre.

Assista os vídeos:

Alemanha e Polônia:



Holanda



Fonte : Ovni Hoje

domingo, 25 de dezembro de 2011

Tempestades solares podem atingir a lua




Tempestades solares violentas podem soprar uma grande quantidade de material da superfície da lua.

Em um novo estudo da NASA, pesquisadores usaram simulações digitais para examinar como os eventos solares podem erodir a superfície do nosso satélite.


Foi descoberto que eles podem até causar danos na atmosfera de Marte, já que o planeta não possui um campo magnético.

Essa é a primeira vez que cientistas tentam prever os efeitos das tempestades solares e erupções na lua. “Descobrimos que quando essa nuvem massiva de plasma atinge a lua, remove facilmente material volátil da superfície”, afirma William Farrell, um dos envolvidos na pesquisa.

“O modelo prevê 100 a 200 toneladas de material lunar – o equivalente a dez caminhões-caçamba lotados – arremessados durante uma típica passagem de dois dias desse evento”.

As tempestades solares são nuvens enormes de plasma quente e partículas carregadas que avançam pelo espaço.

De acordo com os pesquisadores, uma dessas, que seja forte, pode conter facilmente bilhões de toneladas de plasma, viajando a incríveis um 1,6 milhões de quilômetros por hora, com o tamanho maior do que várias vezes a Terra.

Já que a lua não tem atmosfera, o satélite fica vulnerável aos efeitos meteorológicos espaciais. Como resultado, a tempestade chega até ela, causando um processo conhecido como “crepitação”.

“A crepitação está entre os cinco principais processos que criam a exosfera lunar sob condições solares normais. Mas nosso modelo prevê que, durante uma tempestade, ele acaba virando o principal, com 50 vezes mais predominância do que os outros”, comenta Rosemary Killen, a líder do estudo.

Os ventos solares comuns são formados principalmente por partículas de hidrogênio carregadas, os íons. Mas o plasma das tempestades é altamente elétrico, com íons pesados, que provocam efeitos dez vezes mais fortes.

Para criar os modelos, os cientistas usaram quantificações da química que sai do sol. Eles descobriram que íons de hélio formam 4% do vento solar comum, mas durante uma tempestade a concentração pode chegar a 20%.

Quando esse enriquecimento se combina com o aumento de velocidade e densidade, os íons do plasma podem arrastar 50 vezes mais material do que o normal.

“Os modelos digitais isolam a contribuição da crepitação e dos outros processos”, afirma uma das pesquisadoras, Dana Hurley. “Comparar previsões nos permite entender as condições em que a crepitação prevalece”.

A missão Exploradora da Atmosfera e Poeira Ambiental Lunar (LADEE) da NASA, que deve ser lançada em 2013, vai testar esses modelos.

Na altitude em que estará a LADEE, ela conseguirá detectar átomos arremessados entre 20 e 50 quilômetros da superfície lunar.

“Esse fenômeno tornará a LADEE quase uma mineradora da superfície, não porque estará na superfície, mas porque durante as tempestades os átomos serão jogados até ela”, afirma Farrell.

Cientistas já haviam estudado o efeito das tempestades do sol no campo eletromagnético da Terra, e sabemos que com isso ocorrem auroras intensas em nosso planeta.

Mas, de acordo com os pesquisadores, em planetas como Marte, que não tem a mesma proteção, o plasma solar pode arranhar e erodir a atmosfera superior.

A NASA planeja lançar a missão Evolução Volátil e Atmosférica de Marte (MAVEN) no fim de 2013. A nave foi desenhada para orbitar o planeta e estudar como a atividade solar, incluindo as tempestades, remove a atmosfera do planeta vermelho.

Dos modelos realizados, os pesquisadores também preveem que pequenos corpos, como os asteroides, também são vulneráveis ao processo de crepitação.

sábado, 24 de dezembro de 2011

Prometheus - Trailer Oficial



 "Prometheus" - Trailer Oficial Ridley Scott, diretor de "Alien" e "Blade Runner", retorna ao gênero que ele ajudou a definir.
Com PROMETHEUS, ele cria uma mitologia revolucionária, em que uma equipe de exploradores descobrem uma pista para a origem da humanidade na Terra, levando-os a uma viagem emocionante para os cantos mais escuros do universo. Lá, eles tem que lutar uma batalha terrível para salvar o futuro da raça humana.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Bola metálica não identificada cai do céu na Namíbia




Uma bola metálica caiu do céu em novembro em uma região isolada do norte da Namíbia, informaram nesta quarta-feira as autoridades, que acreditam se tratar de um fragmento de um foguete espacial.



A bola, com o interior vazio e "composta por uma liga metálica conhecida pelo homem", segundo o diretor da polícia científica Paul Ludik, foi encontrada perto de um vilarejo no norte do país, a 750 km da capital Windhoek.

"Os habitantes do vilarejo e os policiais do posto local escutaram várias pequenas explosões em uma distância de três km, e cinco dias depois encontraram este objeto metálico esférico", acrescentou Ludik.

A bola tem 35 cm de altura e pesa 6 kg. Ela é constituída por dois hemisférios soldados e foi encontrada em uma cratera de 3,8 metros de diâmetro e 33 cm de profundidade.

A polícia científica, depois de examinar a esfera, concluiu que ela não apresentava nenhum perigo.
As autoridades da Namíbia entraram em contato com a NASA e a ESA, as agências espaciais americana e europeia, para tentar descobrir a origem do objeto desconhecido.

Fonte : UOL

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Nova descoberta sobre Stonehenge abre a porta para novos mistérios




Pesquisadores do Reino Unido finalmente solucionaram uma peça do quebra-cabeças de mistérios que constitui Stonehenge.



O Museu Nacional do País de Gales e a Universidade de Leicester identificaram a origem das rochas como sendo Craig Rhos-y-felin, localizada a mais de 160 quilômetros, no norte de Pembrokeshire.  Mas esta descoberta, é claro, abriu a porta para outro mistério: Como e por que uma cultura da antiguidade esculpiria e transportaria pedras gigantescas à uma grande distância.

“Ser capaz de identificar a fonte das pedras que são significativas arqueologicamente é muito notável,” disse o Dr. Rob Ixer da Universidade de Leicester para a BBC. “Porém, dada a contínua perseverança, estamos determinados a descobrir a origem da maioria, se não de todas as pedras de Stonehenge…”

Este ano passado tivemos uma ampla gama de pesquisas e descobertas sobre Stonehenge, inclusive uma declaração no mês passado de que os adoradores do antigo monumento implantaram locais de adoração ao Sol naquela área.

Nos últimos nove meses, os pesquisadores compararam o conteúdo mineral e os relacionamentos das texturas das pedras encontradas em Stonehenge e finalmente conseguiram identificar o local de origem das mesmas.  Noventa por cento das amostras combinavam com as rochas encontradas em Craig Rhos-y-felin, as quais diferem de todas as outras no sul do País de Gales.

Mais pesquisas permitirão que os cientistas finalmente compreendam como as pedras fizeram a longa jornada para Stonehenge entre 3000 e 1660 AC.

Algumas teorias especulam que as pedras foram transportadas sobre a água pelo Canal Bristo e o Rio Avon.  Porém, recentes tentativas de recriar a jornada, finalizaram em fracasso.

Fonte : Yahoo News

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Nanotecnologia: Novo estado eletrônico é descoberto


                               
                        Estrutura molecular de grafeno


Investigadores do London Centre for Nanotechnology (LCN) descobriram bandas eletrônicas, chamadas de ‘ondas de densidade de carga’, na superfície das folhas de grafeno, que formam um supercondutor de grafite.


Esta é a primeira vez que se detecta estas cargas em grafeno, e o achado pode ter implicações profundas para a exploração deste material recentemente descoberto, que os cientistas crêem ter um papel chave no futuro da nanotecnologia.  O descobrimento foi publicado na revista ‘Nature’.

O grafeno é um material composto de uma só folha de átomos de carbono (somente um átomo de espessura), e se encontra nas marcas deixadas pelos lápis de grafite.  O grafeno possui propriedades físicas notáveis e portanto tem um grande potencial tecnológico para desenvolver eletrodos transparentes para os televisores de tela plana, transistores e compostos ultra-fortes, por exemplo.

A equipe do LCN gerou um excesso de elétrons em uma superfície de grafeno, deslizando átomos de cálcio de metal sob ela.  Normalmente se esperaria que estes elétrons adicionais se estendessem de maneira uniforme sobre a superfície do grafeno — como o petróleo se extende sobre a água — porém, usando um instrumento conhecido como microscópio de efeito de túnel, os investigadores observaram que os elétrons adicionais se organizavam espontaneamente em franjas a escalas nonométricas.

Este comportamento inesperado demonstra que os elétrons podem ter um comportamento próprio conectado diretamente aos átomos subjacentes.  Estes novos resultados apontam a muitas direções novas para a ciência e tecnologia.  Por exemplo, sugerem um novo método para a manipulação e a codificação da informação de onde os ‘zeros’ binários e os ‘uns’ se correspondem com as franjas que vão de norte ao sul e do leste para o oeste, respectivamente.

O professo Jan Zaanen, da Universidade de Leiden e ganhador do prestigioso prêmio Spinoza, em seu papel como promotor do conceito de franjas dos materiais atomicamente magros, comentou que “este descobrimento é outro importante passo em direção à demonstração da ubiquidade das franjas… …significa que suas muitas aplicações não se encontram longe.”

Só podemos imaginar, se não nos auto-destruirmos, onde estaremos em 10 anos à nossa frente.

Fonte: Ovni Hoje

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

O Caso Trindade




No dia 16 de janeiro de 1958, um evento ufológico de grande importância ocorreria próximo da ilha de Trindade. A de um navio de Guerra da Marinha do Brasil, estava o fotógrafo profissional Almiro Baraúna.



Por volta do meio-dia, um objeto que se aproximava despertou a atenção da tripulação que, por sua vez, chamou Baraúna. Este, relatou o que observou: um objeto muito brilhante que foi se aproximando e que por alguns instantes ficou estacionário sobre a ilha, para depois desaparecer em grande velocidade no horizonte, deixando um risco branco no céu.

Baraúna tirou um total de 6 fotos, das quais 4 mostravam bem o objeto. O comandante do navio, Capitão Bacellar, ordenou que o filme fosse imediatamente levado para a câmara escura do navio, para que fosse revelado. A Marinha classificou os filmes como autênticos e posteriormente, o presidente da república, Sr. Juscelino Kubitschek liberou os filmes para a imprensa, com o reconhecimento oficial do UFO.

O objeto registrado, em forma de planeta Saturno, veio do mar, sobrevoou a ilha, passou sobre a ponta da Crista do Galo e depois sobre o monte Desejo, e escondeu-se atrás de um morro. Mas reapareceu novamente do outro lado, retornou para o mar, parou e em seguida disparou em altíssima velocidade, como se fosse um foguete.

Era completamente silencioso. O fato não durou mais que 14 segundos, mas 48 testemunhas observaram tudo o que aconteceu, perplexas, e entre elas marinheiros, sargentos e oficiais. Como civis, estavam no navio advogado, capitão da reserva da FAB, industrial, diretor de um Aeroclube carioca, e um professor de geologia. Todos eram da equipe do Clube de Caça Submarina de Icaraí, em Niterói (RJ).

O negativos e fotos foram exaustivamente analisados pelo Laboratório de Reconhecimento Aéreo da Marinha e pelo Serviço Aerofotogramétrico Cruzeiro do Sul. Todo o material foi considerado absolutamente genuíno e produto de uma ocorrência real, contando com o testemunho de militares experimentados e profissionais idôneos.

A evidência fotográfica foi repercutida no Jornal Correio da Manhã do dia 21 de fevereiro daquele ano. Quatro dias depois, a agência de notícias internacionais United Press tratou do caso afirmando que o Ministério da Marinha do Brasil confirmava a autenticidade das fotos de um UFO e, por conseguinte, da existência de UFOs.

Até hoje, pela confirmação das testemunhas e pelo reconhecimento oficial, as fotos de Almiro Baraúna continuam sendo uma das melhores evidências da existência de objetos voadores não identificados.








segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Fantasmas de Barcelona, Espanha




Uma jornalista propõe 13 rotas para conhecer a geografia espectral de Barcelona.

Se um dia andando pelas ruas de Barcelona você sentir um frio estranho, deve saber que isso pode ser um dos muitos fantasmas que vagueiam, etéreos, presos em algum lugar da cidade histórica.



Agora, a jornalista e professora Sylvia Lagarda-Mata conseguiu fazer um recenseamento desses espectros em Fantasmes de Barcelona (Angle Editorial), uma compilação documentada de 13 rotas fantasmagóricas diferentes.

Segundo a autora, o livro tem uma abordagem"lúdica e histórica", convidando a brincar com as tradições e lendas urbanas sobre eventos paranormais que ocorreram em lugares ricos em história, muitas vezes ignorados pelos próprios catalães.

O fantasma das fontes, o espectro do vice-rei infeliz, ou do cavaleiro de armadura branca são alguns dos fantasmas que os surpreenderão durante a viagem.


Por que escrever um guia sobre fantasmas?

-Eu coleciono esse tipo de livros, que tenho recolhido durante as minhas viagens. Um dia percebi que Barcelona precisava de um guia de fantasmas históricos, pois toda cidade importante tem um livro sobre os seus espíritos. Então eu decidi investigar.

E o que você descobriu?

- Descobri que Barcelona tem muitos fantasmas que estavam à espera de alguém que lhes dedicasse um livro.

- Eles tinham caído no esquecimento.

- Eu encontrei histórias, jornais, livros antigos, que falavam sobre acontecimentos sobrenaturais. Por exemplo, Joan Amades, nas suas várias obras, muitas vezes menciona fantasmas.

- Quantos fantasmas você encontrou?

- Muitos!. Cerca de 100 fantasmas de diferentes épocas. - O mais antigo é um rei godo que anda pela Catedral de Barcelona e o mais moderno data de 1998.

Nesta data, muitos barceloneses afirmam que viram um dragão voando pelo céu da cidade. Foi publicado pelo La Vanguardia.


- Como se documenta a existência de um espectro?

- Em todas as épocas, seja em livros ou na imprensa foram coletadas histórias de fenômenos aparentemente paranormais. Aqueles listados no livro eu não inventei, quase sempre eu consegui encontrar alguma referência escrita, como o leitor pode verificar na bibliografia em anexo.


- Como eles estão se manifestam?

- As manifestações clássicas falam de sombras imprecisas, nevoeiros brancos, poltergeists, um fenômeno sobrenatural que se caracteriza por mover objetos, quebrar coisas... O pano branco e a bola com corrente são mais infantis.

- Os fantasmas se modernizam?



- Os fantasmas são praticamente idênticos em toda a história da humanidade, é algo impreciso que forma parte do imaginário coletivo.

- Por que sentem a necessidade de aparecer?

- Segundo a tradição popular, o fantasma é um ser que morreu, mas que por algum motivo, não ultrapassou a dimensão ocupada pelas almas dos mortos. Ele tem algum assunto pendente na terra e não sai até que seja resolvido.

- No livro você se refere a Via Láctea ...

- Antigamente, os catalães acreditavam que a Via Láctea era um rio do céu que as almas dos mortos tinham que atravessar para entrar na glória. Aqueles que morriam quando o aglomerado de estrelas não era visível eram liberados desta dificuldade.

- E aqueles que não puderam atravessá-la?

- Talvez ainda vaguem por Barcelona porque fantasmas não têm data de validade.

- Existem fantasmas aristocratas?

- Há inclusive reis. Um dos mais antigos é o fantasma do rei Joan I, o escritor catalão Bernat Metge dedicou um livro inteiro, "Lo somni" para falar sobre esse fantasma que aparece para ele na prisão, para anunciar-lhe que em breve será libertado.

Logo, o pai de Joan de Serrallonga, que também está documentado por Victor Balaguer em seu trabalho. Há fantasmas aristocratas e também trabalhadores.

- E o fantasma das fontes.

- Dele se falava no final do século XIX, quando as mulheres iam à fonte para encher os cântaros para as tarefas domésticas.

Parece que ele passeava nos arredores das fontes para assustá-las. Se era um fantasma ou se era o que agora você pode também encontrar nos arredores das fontes em determinadas horas, não sei.

- Qual é o seu fantasma favorito?

- Um dos que me desperta mais simpatia é aquele que durante a guerra civil se movia pelas torres da Sagrada Família.

Os moradores, muito preocupados, viam duas luzes azuladas muito pequenas, depois de escurecer, que passeavam pelo templo.

Até mesmo a polícia chegou a intervir para registrar o acontecimento! As pessoas pensavam que eram os olhos de Antoni Gaudí, já então enterrado, que guardava o edifício durante os bombardeios de Barcelona.

- Com este livro, as pessoas terão um bom susto?

- O livro não está escrito de um ponto de vista parapsicológico, mas como uma coleção de lendas urbanas fantasmagóricas de Barcelona. É tão inacreditável o que conta que você tem que encara-lo com humor.

-As pessoas acreditam menos em fantasmas do que antes?

- Sim, mas também é verdade que nas civilizações que atravessam uma certa crise de valores, ressurgem as histórias mágicas.

Você pega qualquer jornal, e encontra um monte de pessoas que jogam Tarot, adivinham coisas ... portanto, creio que a magia está vivendo um doce momento.

- Que antídoto recomenda contra os fantasmas?

- O melhor antídoto seria evitá-los, mas como sabemos que esses fantasmas são lúdicos, as pessoas podem ir tranquilamente para os lugares onde eles aparecem.

Em todo caso, se têm muito medo de ficar cara a cara com um deles, eu recomendo manter um punhado de urtigas no bolso como dita a tradição catalã.

- Este antídoto também serve para os fantasmas vivos?

- Oxalá que tudo se resolva com um punhado de urtigas (risos).


domingo, 18 de dezembro de 2011

CHRONICLE : Trailer Oficial



Três estudantes do ensino médio fazem uma descoberta incrível, levando à se desenvolver misteriosos poderes além de sua compreensão. Como eles aprendem a controlar suas habilidades e utilizá-los em proveito próprio, suas vidas começam a girar fora de controle, e os seus lados mais escuros começam a assumir.




Criatura misteriosa ataca no Parque Olímpico de Londres




Especialistas em vida selvagem revelaram que uma criatura gigante misteriosa está à espreita nas águas próximas do Parque Olímpico no leste de Londres.



Testemunhas alertaram as autoridades ambientais depois de verem um ganso do Canadá ser arrastado sob a superfície.

Com medo, muitos acreditam que possa ser um crocodilo ou uma grande píton. O número de cisnes no rio e hidrovias próximas do recém-construído Parque Olímpico também está caindo.

Mike Wells viu o ataque mortal a um ganso do Canadá de um barco no Rio Lea, no mês passado. Ele disse: "Nós estávamos olhando para um ganso do Canadá a uns 30 metros de distância, quando então ele de repente desapareceu".

"Ele desceu verticalmente. Não houve qualquer hesitação, ele foi direto para baixo. Não voltou para cima. Meu amigo e eu nos entreolhamos de queixo caído".

"Um ganso do Canadá não é um pássaro pequeno. Eles pesam cerca de 16 libras, assim, o que o levou também era grande. "

Wells, que vive no Vale do Lea, está convencido de que a besta é a mesma criatura que arrastou um ganso na mesma área em 2005.

Funcionários da Companhia do Rio Lea relataram ter visto um ganso do Canadá sendo arrastado debaixo da superfície em 2005, e grandes buracos foram encontrados na margem do rio.

Ele acrescentou: "Deve ser a mesma criatura. Algumas pessoas com quem falei acham que poderia ser uma tartaruga muito grande e eu vi algumas tartarugas com cerca de um pé de diâmetro, mas elas não são realmente grandes o suficiente para pegar um ganso".

Em 2005, os especialistas pensavam que a criatura poderia ser um jacaré, tartaruga, ou algum outro tipo de animal de estimação que havia sido solto na natureza.

No entanto, a British Waterways, orgão de navegacão da Inglaterra, garantiu que não tem qualquer confirmação da existencia de um predador nos arrededores do Parque Olímpico desde 2005.
"Nossos funcionários relataram a existencia de tocas e pegadas na margem do rio, mas nunca fomos informados oficialmente sobre isso", explicou uma fonte oficial.
"Não acreditamos que exista um crocodilo. Os predadores em potencial poderiam ser um grande peixe ou um visón, conhecidos por caçar gansos", disse um representante da corporacão.
O Comitê Organizador dos Jogos de Londres declarou que não possui informacões sobre qualquer tipo de avistamento de "bestas" na zona olímpica.

Fonte: Daily Mail

sábado, 17 de dezembro de 2011

Maçãs caem misteriosamente do céu na Inglaterra





Maçãs caem do céu sobre Coventry
Motoristas atordoados foram obrigados a frear bruscamente para evitar a queda de frutos, que se acredita ser varrido por um vórtice causado por condições de aberração tempo em Coventry.



Uma avalanche de mais de 100 maçãs choveu mais de uma estrada principal em Keresley, Coventry, na noite de segunda-feira.
A rua ficou cheia de maçãs depois que eles atiraram pára-brisas do carro e gorros logo após hora do rush.
A chuva bizarra pode ter sido causado por uma corrente de ar que levantou o fruto de um jardim ou pomar, liberando-o sobre a junção de Keresley Road e Kelmscote.
Um motorista disse: "As maçãs caiu do céu, como se do nada Eles eram pequenos e verdes e atingiu o capô rígido..
"Havia outros carros na estrada no momento também e todos tiveram que parar seus carros de repente.






"Não me surpreenderia se alguns carros foram danificados. Eu sei bem a área e não há árvores de maçã em volta."
Ontem, as maçãs esmagadas ainda podia ser visto acima e abaixo do trecho de 20 jardas da estrada.
Dave Meakins, um motorista de caminhão aposentado fork lift, disse acreditar que as maçãs tinha sido lançada como uma brincadeira de crianças.
"Eu honestamente não sei onde as maçãs poderia ter vindo de", disse ele.
"Achei que as crianças devem ter jogado eles, porque nós começamos o ovo ocasionais e maçã jogado, mas não há maneira demasiado para isso.
"Eu gostaria de saber de onde vieram."
Alguns disseram que pensaram as maçãs tinha caído de um avião passando.
Keresley paróquia vereador Sandra Camwell disse uma aberração black-out aconteceu na mesma estrada no ano passado.
Ela disse: "Coisas estranhas acontecem nesta parte do mundo eu acho que é altamente provável que as maçãs que caem do céu..



"Estamos em uma área com um histórico assustador, onde houve bruxas, durante séculos, depois de tudo."
O Met Office disse que é possível as maçãs tinha sido escavada por um tornado.
Ele disse: "É hipoteticamente possível que um tornado poderia ter escolhido-los e que eles eram transportados em ar turbulento, até que caiu."
Jim Dale, meteorologista sênior, a partir de Serviços Tempo britânico, disse: "O tempo que temos no momento é muito volátil e nós provavelmente tem mais por vir.
"Essencialmente, esses eventos são causados ​​quando um vórtice de ar, como uma espécie de mini-tornado, elevadores coisas do chão se levantando na atmosfera até que o ar ao seu redor faz com que eles caem de novo à terra.
"Retornando de ar polar marítima é uma condição tão instável e que basicamente significa ar retornando das regiões polares, que é muito instável.
"Todos nós já ouvimos dos peixes e sapos caindo do céu e maçãs é certamente incomum, porque eles têm algum peso para eles, mas não está fora dos reinos da possibilidade."




Disco voador é transportado por estrada dos EUA




De acordo com o noticiário mostrado no vídeo abaixo (em inglês), o objeto estava coberto por uma lona e a empresa transportadora entrou em contato com o sherife local, Don Read, para requerer uma escolta a fim de facilitar a travessia pelo condado.



O sherife Read declarou no vídeo que o responsável falou se tratar de uma aeronave e que eles haviam estudado outras formas de transportá-la, mas decidiram que seria melhor levá-la por caminhão. O xerife também disse que pediram para que ele não comentasse nada a respeito disso.

No final da reportagem a reporter menciona que o sub-xerife Bill Mueller disse que se tratava de uma aeronave experimental fabricada pela Northrop Grumman.

Veja o vídeo da reportagem:




Assista agora este vídeo de outra testemunha, com fotos do objeto.  De acordo com esta testemunha, havia não só um carro da polícia escoltando o caminhão, mas também uma caminhonete preta.



Seja lá o que for este objeto, ele certamente não pôde alçar vôo para alcançar seu destino.

Vale mencionar que uma das teorias levantadas por residentes do Condado de Cowley é de que se tratava mesmo de um disco voador.

Provavelmente nunca saberemos exatamente a verdade, mas sem dúvida este objeto se trata de um ONVNI (Objeto NÃO Voador, Não Identificado).

Fonte: Ovni Hoje

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

The Wyoming Incident



"O Incidente de Wyoming" teria sido uma transmissão pirata feita durante um noticiário interrompendo sua programação original. Durante a transmissão, um macabro vídeo teria sido exibido, e mostrava uma série de mensagens e imagens estranhas e sem aparente sentido.


quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Objeto estranho passa abaixo da Estação Espacial Internacional, enquanto muda seu formato




Aqui está outro vídeo, desta vez alegadamente feito pela Estação Espacial Internacional, a câmera apontando para baixo, e não para o espaço, o qual mostra um objeto estranho entre a estação e a Terra, o qual muda de forma à medida que se desloca (observar o que seriam os painéis do objeto).



De acordo com a pessoa que postou o vídeo no YouTube, o vídeo teria sido ‘vazado’ para a Internet, o que sugere que alguém com acesso às filmagens teria publicado o vídeo sem autorização dos governos envolvidos no projeto.

Contudo, devemos alertar que esta filmagem pode não ser real, mais sim um vídeo forjado e sensacionalista.  Há uma grande possibilidade de que as nuvens do vídeo foram filmadas a partir da Terra e não do espaço para baixo.

Mesmo assim, aqui está para sua avaliação:



Fonte: Ovni Hoje

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

O Experimento Filadélfia




Em 1943, cientistas das nações inimigas competiam para descobrir inovações tecnológicas capazes de virar o rumo da Segunda Guerra Mundial. Nessa situação, parte do estaleiro militar da Marinha dos EUA na Filadélfia foi fechado. No lugar dos marujos, homens de terno carregando pastas negras começaram a ser vistos por ali. Até que começou a se falar do Experimento Filadélfia, que teria tornado um navio invisível aos olhos humanos.


      A VERSÃO OFICIAL

O governo americano afirma o seguinte: " A Marinha nunca conduziu qualquer investigação sobre invisibilidade, nem em 1943, nem em tempo algum, e nossos cientistas não acreditam que uma experiência como essa seja possível, a não ser no reino da ficção científica ".

    A TEORIA DA CONSPIRAÇÃO

A Marinha Americana conduziu, sim, tentativas de fazer um navio invisível. A experiência foi um sucesso, exceto pelo fato de que o navio realmente desapareceu fisicamente. Segundo os teóricos da conspiração, às 17h15 de 28 de outubro de 1943, o destróier U.S.S. Eldridge não ficou invisível aos radares, mas foi teletransportado para Norfolk,Virginia, a cerca de 600 quilômetros. Por lá navegou uns quinze minutos e depois se rematerializou no estaleiro da Filadélfia, envolto por uma fumaça verde.

O Problema é que os cientistas não sabiam direito o que estavam fazendo. A idéia era  testar algumas teorias de Albert Einstein, que aliás, teria sido visto rondando o estaleiro. Quando o Eldridge reapareceu, dois marinheiros estavam com seus corpos fundidos com a fuselagem do navio. Outros estudiosos vão além: durante aqueles quinze minutos, o Eldridge navegou nos anos 80 e depois retrocedeu no espaço tempo.

Um técnico em eletrônica chamado Mr. Bielek, de 90 anos, garante ter estado lá. Não no navio, mas na mesa de controle do experimento. Segundo ele conta, em 1943 seu nome era Edward Cameron e Einstein era seu amigão. Após fazerem o navio sumir e reaparecer, ele foi investigar danos e, de repente, se viu em 1983. Ao retornar a 1943, o governo lhe tascou uma lavagem cerebral, um novo nome e, para piorar, foi rebaixado de cientista para técnico em eletrônica. Por sorte, Bielek conta que assistiu um filme na televisão sobre o Experimento Filadélfia. E desde então sua memória começou a voltar.

                                                                       Mr. Bielek


Não se sabe o que houve com Bielek, mas ele sustentou sua vida aparecendo em livros e entrevistas, com sua versão impressionante sobre a experiência. Ele tem até site e se auto denomina "O Último Sobrevivente do Experimento Filadélfia".

   O QUE ACONTECEU COM O NAVIO ?

Identificado como DE-173 Eldridge, o famoso navio foi entregue à marinha grega nos anos 50, após navegar (e desaparecer) em águas americanas.
Na grécia, o navio foi rebatizado. Marinheiros e oficiais relataram experiências incomuns a bordo do destroyer.

A fiação elétrica ficava no local errado de onde deveria estar, começando fora do lugar e terminando em um local também fora do padrão dos destroyers. Também descreviam calafrios e estranhas sensações enquanto estavam no Leon, sem contar que as páginas do diário de bordo sobre as datas do Experimento Filadélfia haviam sumido.



Mas não foi só com o Leon que estes fatos começaram a acontecer. A Marinha Americana ofereceu quatro destroyers (Entre eles “O” destroyer em questão), e outro deles começou a apresentar fatos semelhantes.
O Aetos (Águia) apresentava problemas de comunicação e desapareceu do radar em duas ocasiões.

O Leon foi descartado para o ferro-velho nos anos 90, e o Aetos doado à Associação de Marinheiros de Destroyer Escolta, onde depois fora transferido para um museu náutico em 1997.

NOTA: Não se sabe qual dos dois navios (Leon ou Aetos) era o verdadeiro Eldridge.







terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Cientistas anunciam avanço na busca por ‘partícula de Deus’ nesta terça




Os cientistas do Centro Europeu de Pesquisas Nucleares (Cern, na sigla em francês) apresentam em um seminário nesta terça-feira (13) os resultados atualizados da busca pela partícula conhecida como “bóson de Higgs” – apelidada de “partícula de Deus”.
A reunião começa às 11h, no horário de Brasília.
Dois grupos de pesquisa independentes que trabalham nessa busca – o Atlas e o CMS – vão apresentar seus dados.



O “bóson de Higgs” é uma partícula hipotética que seria responsável pela existência de massa na maioria das demais partículas do Universo.

Parece complicado? Pois é mesmo. Então, vamos por partes. Os físicos têm uma teoria para explicar as partículas elementares do Universo – aquelas minúsculas que formam tudo que existe. Essa teoria se chama “Modelo Padrão”.
O Modelo Padrão explica tudo que sabemos sobre o comportamento e o surgimento dessas partículas, menos uma coisa: por que a maioria delas tem massa? E essa é uma pergunta muito importante. O fato de as partículas terem massa é a razão pela qual qualquer coisa no mundo tem massa: o Sol, os planetas, eu e você.
É aí que entra o bóson de Higgs. Diversos físicos – entre eles um britânico chamado Peter Higgs – descobriram um mecanismo teórico que tornaria possível que as partículas tivessem massa. Esse mecanismo – batizado de “mecanismo de Higgs” – prevê a existência de um “campo” que interage com tudo que existe no Universo. Essa interação faz com que as partículas ganhem massa.
Para esse campo existir, é preciso também existir uma partícula especial e invisível. Os físicos pegaram essa proposta e aplicaram nos cálculos do Modelo Padrão e tudo fez sentido. A partícula invisível foi batizada em homenagem a Higgs.
De lá para cá, todas as outras partículas previstas pelo Modelo Padrão foram encontradas, menos essa. Encontrá-la é tão importante que os cientistas construíram na Europa um gigantesco colisor de partículas, conhecido como Grande Colisor de Hádrons, que é a maior máquina já feita pelo homem.
Se, em vez de encontrá-la, os pesquisadores provarem, no entanto, que ela não existe, toda a teoria atual sobre a formação da matéria do Universo vai precisar ser revista.

Fonte: G 1

Atlântida - A evidência



Um dos maiores mistérios da humanidade é sem dúvida a civilização perdida de Atlântida. Milhares de livros foram escritos sobre o assunto , que até hoje, é investigado pelos cientistas do mundo inteiro. Além de sua localização , os pesquisadores também querem descobrir o que causou o desaparecimento e quão avançado era o povo que habitava a lendária civilização .


Atlântida foi descrita pelo filósofo grego Platão como um continente que afundou no Oceano Atlântico após um grande desastre por volta de 9600 a.C. Desde essa época ,diversas teorias surgiram para tentar explicar o grande enigma de Atlântida , e até hoje reina a eterna dúvida se o continente perdido realmente existiu ou não passa de uma lenda criada pelo filósofo.



Ficção ou realidade era muito desenvolvida tecnologicamente , alguns dizem que inclusive que os atlantes eram superiores à nós , e que desapareceu provavelmente por causa de um grande terremoto , seguido de um devastador tsunami , já que era uma cidade banhada pelo mar , foi facilmente engolida .

Até hoje não há provas geológicas e arqueólogas que comprovam a existência de Atlântida submersa no oceano e vire e mexe aparece um grupo de pesquisadores que afirma ter encontrado algo que ajude a desvendar um dos mistérios mais antigos da humanidade . Segue um documentário do History Channel sobre o assunto.













segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

"Battleship" Trailer Oficial # 2



 "Battleship" Trailer Oficial # 2 Peter Berg (Hancock) produz e dirige Battleship, um épico de ação e aventura que se desenrola através dos mares, nos céus e sobre a terra como luta pela sobrevivência do nosso planeta
contra uma força superior. Baseado no jogo da Hasbro combate clássico naval, Battleship estrelas Taylor Kitsch como o tenente Alex

domingo, 11 de dezembro de 2011

Nasa diz ter prova definitiva de que houve água em Marte




Um jipe da Nasa encontrou a prova mais convincente até agora de que Marte teve água no passado - um veio de gesso, mineral depositado pela água, projetando-se a partir de uma rocha antiga.



O jipe Opportunity e seu "gêmeo" Spirit chegaram em 2004 a lados opostos do planeta. Com o auxílio de sondas orbitais, eles ofereceram ao longo dos anos várias pistas convincentes de que o planeta nem sempre foi tão frio e seco quanto hoje.
A maior dessas provas, apresentada nesta semana na conferência da União Geofísica Americana, em San Francisco, é um fino veio de gesso numa rocha da beirada da cratera Endeavour, que tem 154 quilômetros de diâmetro.

O gesso geralmente se forma pelo fluxo de água dentro de rochas.

"É a observação mais 'à prova de balas' que acho que já fizemos em toda essa missão", disse à Reuters Steve Squyres, pesquisador-chefe dos jipes Spirit e Opportunity.

O Spirit não está mais operacional, mas o Opportunity continua enviando dados de Marte.

Materiais depositados pela água já haviam sido encontrados a céu aberto, o que dificulta sua interpretação, já que eles podem ser deslocados pelo vento. Já o veio de gesso oferece uma análise mais inequívoca, por estar gravado na rocha.

Segundo Squyres, as características químicas e geológicas do veio "simplesmente gritam (que havia) água."

Atualmente, a Nasa está enviando outra sonda para Marte, a Curiosity, para investigar a existência atual ou passada de água na cratera Gale, em outro ponto do planeta.

sábado, 10 de dezembro de 2011

A velhinha da Caxangá




Assombrar um antigo casarão ou beco mal iluminado? Nada disso! Um dos mais enigmáticos espectros que vagam pelo Recife costuma aparecer em lugares que não têm nada de lúgubre ou sombrio: os pontos de ônibus da Avenida Caxangá – via que serve de caminho para vários bairros como Madalena, Cordeiro, Prado, Cidade Universitária e Várzea.
Os encontros começaram na década de 60, nos ônibus elétricos da Companhia de Transportes Urbanos, a CTU.

Sempre em torno da meia-noite, os motoristas viam, numa das paradas, aquela senhora toda vestida de preto com uma sombrinha fechada na mão. Ela balançava a sombrinha num gesto largo, pedindo que o motorista parasse.
O condutor, é claro, atendia à solicitação e a velhinha subia. Comportando-se como qualquer passageira, a idosa vinha tranquilamente sentada até a esquina da Rua Benfica com a Estrada dos Remédios, justamente onde começa a Avenida Visconde Albuquerque, no bairro da Madalena. Porém, neste local, a velhinha simplesmente sumia do ônibus.
Os motoristas e cobradores estranharam o fato de ninguém nunca ver aquela passageira tão conhecida descer em qualquer uma das paradas.
Intrigados, eles resolveram ficar de olho nela. E, numa das viagens, a tripulação do ônibus viu a estranha senhora desaparecer no ar.
Depois do susto, a velha continuou a acenar com a sombrinha num dos pontos da Avenida Caxangá todas as noites. Mas os condutores nunca mais atenderam ao apelo daquela entidade.
Como teria surgido essa aparição? Qual é a história desse fantasma? Não se tem a menor pista. Porém, coincidência ou não, na Avenida Caxangá existem várias casas funerárias que ficam abertas vinte e quatro horas. Será que a velhinha está querendo comprar um caixão?

O artigo acima é do pesquisador pernambucano J. L. Munguba, o criador de uma obscura ciência chamada “Assombrologia”. Munguba defende a tese que lenda e mitos tiveram como origem ocorrências sobrenaturais verdadeiras.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Estudantes vietnamitas desmaiam por causa de banheiro mal-assombrado




Muitos estudantes da província de Phu Yen, no Vietnã, afirmam estarem sendo assombrados por fantasmas. Segundo Phan Van Tho, diretor da escola Son Hoa, vários alunos desmaiaram ou tiveram ataques de pânico durante a noite no último mês.



Os estudantes alegam que o banheiro coletivo do dormitório onde vivem está assombrado. Todos os dias, entre as 20h e 23h, os alunos começam a passar mal.

Tudo começou quando o estudante K Pa Ho Luon foi encontrado caído no chão, falando coisas sem sentido e raspando as mãos na parede. Ele conta que encontrou um fantasma no banheiro.

O mesmo aconteceu com vários outros alunos nos dias seguintes. Durante uma das noites de pânicos, 12 estudantes desmaiaram ao mesmo tempo. Por causa da situação, vários alunos estão com medo e não conseguem mais dormir sozinhos.

O diretor Tho já se reuniu com os pais dos alunos e diz que está investigando o caso. De acordo com os médicos que cuidaram dos estudantes que desmaiaram, alguns alunos passaram mal porque estão com níveis baixos de cálcio no sangue.

Nasa anuncia descoberta de planeta que pode ter água




Com 2,5 vezes o tamanho da Terra, Kepler-22b está dentro da zona habitável de seu sistema estelar.
O observatório espacial Kepler descobriu no sistema planetário Kepler-22, a 600 anos-luz de distância, o primeiro planeta situado na chamada "zona habitável", o Kepler-22b, em uma região onde se acredita que pode haver água líquida, anunciou a Nasa na segunda-feira (5) em entrevista coletiva.



Ainda não se sabe qual a composição do planeta: se ele seria rochoso como a Terra ou composto majoritariamente de gás, como Júpiter.

"Este é um marco na busca por uma nova Terra," afirmou Douglas Hudgins, chefe da missão Kepler na Nasa.

No entanto, os cientistas confirmaram que o Kepler-22b tem 2,5 vezes o tamanho da Terra e uma orbita em torno de sua estrela em uma trajetória semelhante à nossa. Seu ano tem 290 dias e sua temperatura média ficaria em torno dos 22 graus.

Ele é o primeiro a ser confirmado dos 54 planetas potencialmente habitáveis anunciados pela missão em fevereiro.

Os cientistas do Centro de Pesquisa Ames da Nasa anunciaram, além disso, que Kepler identificou 1 mil novos candidatos a planeta, dez dos quais possuem tamanho similar ao da Terra e estão na zona habitável da estrela de seu sistema solar.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Morador de Maranguape fica cego após ver disco voador




Um idoso, morador de Maranguape, falou com Programa Gente na TV e disse que ficou cego após ver um disco voador. O aposentado Manoel Vieira afirma que avistou de perto a nave espacial, “de aproximadamente, três metros”, garante ele. Ele diz que caminhava por uma estrada carroçável quando houve o contato.


Manoel Vieira afirma que a luz era tão forte que o cegou. Ainda segundo ele, a dificuldade de enxergar foi aumentando com o passar dos dias. Hoje, ele possui apenas 2% da visão.

“Eu acredito que o Sr. Manoel foi vítima de um ataque alienígena”, é o que afirma o ufólogo Professor Ramos, que investigou o caso. Quando questionado pela equipe do Gente na TV, Ramos é categórico: “é uma realidade ufológica da mais autêntica verdade”. O professor chegou a escrever um livro sobre o assunto.

Assista à matéria exibida no Gente na TV

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

OVNI acompanha avião nos EUA




Neste vídeo impressionante, pode-se ver claramente um objeto acompanhado um avião.  Ao final do vídeo, fica fácil determinar que o OVNI estava mais alto do que o avião e possivelmente também era maior em tamanho… Isto é, se não  se trata de computação gráfica.



O incidente ocorreu nos Estado Unidos mas, infelizmente, não temos maiores informações sobre ele, além do fato que o vídeo foi publicado em 4 de dezembro passado.

Veja o vídeo:



Fonte: Ovni Hoje

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Prometheus




Cresce a empolgação sobre o novo filme Prometheus, de Ridley Scott.  E, diferentemente da maioria dos inúmeros filmes sobre ETs que têm sido lançados, estes filme é especial para aqueles que acreditam que os extraterrestres já tenham visitado nosso planeta.  Scott disse que seu novo filme é influenciado pela teoria de que os alienígenas têm ajudado a humanidade a avançar até o nível tecnológico presente.



O filme deve ser estrear em 2012.

Espero que não fiquemos desapontados com mais este filme sobre nosso tema favorito.

Abaixo está uma ‘primeira olhada’ no filme, que é do mesmo produtor de ‘Alien’ e ‘Blade Runner’:





Fonte : Ovni Hoje

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

O Efeito Missing Time - Tempo Perdido




Existem vários casos pelo mundo em que pessoas relatam que sem nenhuma explicação seus relógios perdem a sincronia com o horário real, e que muitas vezes esta falta de sincronia cronológica de seus aparelhos vem acompanhado por estranhas lembranças.
Tal fenômeno é conhecido como "Efeito Missing Time" - tempo perdido -, isso acontece quando supostamente a pessoa é abduzida e devolvida nas mesmas condições em que se encontrava sem nem mesmo ter percebido o que lhe ocorreu.



Geralmente equipamentos elétricos podem falhar ou apresentar funcionamento anormal poucos instantes antes da ocorrência do fenômeno.
A falta de tempo refere-se, na verdade, a uma lacuna na consciência da memória, que é relativa à um período específico de tempo. A diferença pode durar de alguns minutos a vários dias.
A memória do que aconteceu durante este tempo é freqüentemente recuperados através de hipnoses ou em sonhos.
Alguns relatos referem-se a abduções aleatórias, mas o fato de terem sido encontrados, em alguns casos, implantes metálicos e/ou estranhos objetos, reforça a hipótese de que estas pessoas foram escolhidas para estarem sendo monitoradas de alguma forma através desses dispositivos.
Esse fenômeno pode acontecer com a pessoa estando imóvel, no caso dormindo, ou em pleno movimento como ao dirigir seu carro.
O medo irracional, distúrbios do sono e até mesmo sangramentos, são alguns "efeitos colaterais" que podem acontecer após o Missing Time, e na maioria das vezes parece não ter nenhum sentido como se fossem sonhos desconexos ou sonhos acordados.
Isso se explica pelo fato de que essas informações estão armazenadas em um memória inconsciente que a primeira vista parecem não significar nada.



De acordo com Michael Sturma em publicação no History Today, em 1976 quatro estudantes foram a uma viagem de acampamento em uma área de selva do norte do Maine. Uma noite eles avistaram um curioso objeto luminoso no céu. Depois eles testemunharam um objeto oval com uma luz brilhante colorida pairando sobre eles. Eles experimentaram então um período de ‘tempo perdido’ em sua memória consciente.
Apenas anos depois, em sessões de hipnose, eles conseguiram reviver as traumáticas abduções alienígenas durante esse período ‘perdido’.
Eles relataram ser transportados a bordo de uma espécie de nave, onde estranhas criaturas humanóides os examinaram.
Tais relatos possuem uma série de variações. Os objetos relatados vão desde carruagens voadoras, escunas flutuantes e até mesmo visões religiosas relacionadas às abduções.


domingo, 4 de dezembro de 2011

Inscrições maias indicam passagem de um deus em 2012




Uma nova interpretação das inscrições maias começa a ganhar força. Em vez de predizer o fim do mundo no ano que vem, na realidade a mensagem do antigo povo faz referência à chegada de um deus. Ao menos, essa é a interpretação dos hieróglifos de Sven Gronemeyer, da Universidade de La Trobe, na Austrália, apresentada no sítio arqueológico de Palenque, no sul do México, nesta quarta-feira.

As interpretações de Gronemeyer são baseadas em uma tábua de pedra, encontrada anos atrás, no sítio arqueológico de Tortuguero, na costa do Golfo do México. Ele disse que a inscrição prevê o retorno do misterioso deus maia Bolon Yokte (deus da criação e da guerra) no final de um período de 13 de 400 anos, conhecido como Baktuns, que equivale ao dia 21 de dezembro de 2012. Os maias consideram sagrado o dia 13. Segundo o pesquisador, não há nada de apocalíptico nesta data.
O texto foi esculpido há 1300 anos. Contudo, a pedra foi quebrada, o que fez com que o final da passagem ficasse praticamente ilegível. Gronemeyer disse que a inscrição se refere ao fim de um ciclo de 5125 anos desde o início do longo calendário Maia, em 3113 a.C. O fragmento foi uma profecia do então governante Bahlam Ajaw, que queria planejar a passagem do deus.
"A data adquiriu um valor simbólico, pois é visto como um reflexo do dia da criação", explica o pesquisador.
"É a passagem de um deus e não necessariamente um grande salto para a humanidade", completou.
As conclusões do pesquisador foram anunciadas menos de uma semana após o Instituto Nacional de Antropologia e História do México (INAH) reconhecer que havia uma segunda referência à data de 2012 em inscrições, desencadeando uma nova rodada de conversas sobre a interpretação das previsões maias.
De acordo com o INAH, essa inscrição mencionando 2012 foi encontrada na ruína Comalcalco. Muitos especialistas duvidam, contudo, que este fragmento seja uma referência definitiva para a data citada como o possível fim do mundo, dizendo que não há tempo futuro marcado nesta segunda inscrição como no caso de tábua de pedra de Tortuguero.
O INAH está tentando dissipar a ideia de um apocalipse em 2012. Seu último passo foi organizar uma mesa redonda especial de especialistas maias esta semana em Palenque, onde Gronemeyer divulgou seu trabalho.

sábado, 3 de dezembro de 2011

Caso Villas Boas




 Considerado um clássico da casuística brasileira, este caso ocorreu em outubro de 1957 e envolveu o então jovem Antônio Villas Boas, na fazenda de sua família, situada em São Francisco de Salles, no Estado de Minas Gerais. A fazenda abrange campos extensos e muitas plantações. Para lavrar as terras, a família de Villas Boas usava um trator com o qual trabalham em dois turnos, um diurno e outro noturno. De dia, trabalham os empregados da fazenda e à noite, por sua vez, o próprio Antônio Villas Boas, sozinho ou acompanhado de seus irmãos, lavrava as terras com o trator.



          Tudo começou na noite de 05 de outubro de 1957. Naquela noite, a família de Antônio Villas Boas se recolheu para dormir por volta das 23:00 horas. Fazia bastante calor naquela noite e, por isso, Villas Boas abriu a janela, que dá para o terreiro. Neste momento ele avistou uma luz brilhante, que iluminava toda a área. Era uma luz bem mais clara do que a do luar e Villas Boas não conseguiu distinguir sua procedência – apenas que vinha do alto como se um forte holofote estivesse direcionado para o chão. Diante disso, Villas Boas chamou seu irmão para mostrar o estranho fenômeno. Apesar do fenômeno inusitado, ambos não deram muita importância e fecharam a janela para dormir. No entanto, aquela luz não saía da cabeça de Villas Boas e, sentindo uma curiosidade imensa, tornou a levantar-se e abriu a janela para ver o que se passava lá fora. A luz continuava inalterada, no mesmo lugar. Villas Boas ficou com o olhar fixo naquela luz quando, de repente, a mesma se deslocou para perto de sua janela. Assustado, Villas Boas fechou a janela com tanta força que acordou seu irmão e, dentro do quarto escuro, ambos acompanhavam a luz que entrava pelas venezianas da janela. Logo em seguida, a luz se deslocou para o alto do telhado da casa, onde penetrou pelas frestas entre as telhas. Finalmente, depois de alguns minutos, a luz desapareceu e não retornou mais.

           Em 14 de outubro houve um segundo incidente que ocorreu por volta de 21:30 ou 22 horas. Naquela ocasião, Villas Boas trabalhava com o trator em companhia de um outro irmão. De repente, eles avistaram uma luz muito clara, penetrante, a ponto de fazer doer as suas vistas. Segundo o depoimento de Villas Boas, a luz era grande e redonda, como uma roda de carroça, e estava na ponta norte do campo. Ela era de cor vermelho claro e iluminou uma grande área. Ao observarem melhor, distinguiram alguma coisa dentro daquela luz, mas não conseguiram precisar o que era, pois suas vistas ficavam totalmente ofuscada. Curioso, Villas Boas foi na direção da luz para ver o que era, mas assim que se aproximou, ela se deslocou velozmente para a ponta sul do campo, onde ficou novamente parada. Villas Boas correu atrás da luz, que então tornou a voltar para onde estava antes. Finalmente, Villas Boas desiste de tentar chegar na luz e volta para junto de seu irmão. Por uns poucos minutos, a luz ficou imóvel, à distância. Ela parecia emitir raios intermitentes e em todas as direções. Em seguida, desapareceu tão repentinamente, que deu a impressão que ela simplesmente "se apagou".

          Na noite do dia seguinte, de 15 para 16 de Outubro, Villas Boas trabalhou sozinho com o trator. Era uma noite fria e o céu noturno estava claro e estrelado. Por volta da uma hora da madrugada, Villas Boas viu uma estrela vermelha. No entanto, logo percebeu que não se tratava de uma simples estrela, pois aumentava progressivamente de tamanho e parecia se aproximar velozmente dele. Dentro de alguns poucos instantes, a estrela se revelou um objeto brilhante, com o formato de um ovo, que se dirigia na direção de Villas Boas com uma velocidade incrível. Sua aproximação era tão veloz que já estava sobre o trator antes de Villas Boas ter qualquer reação. De repente, o objeto parou a uma altura estimada pelo protagonista como em torno de uns 50 metros, e bem acima de sua cabeça. O trator e o campo ficaram iluminados como se fosse de dia. Essa situação durou uns dois minutos e Villas Boas, hesitante e sem saber o que fazer, ficou paralisado.

           Finalmente, a luz tornou a se deslocar e parou a uns 10 a 15 metros à frente de seu trator, para então pousar no solo lentamente. Nesse momento já era possível distinguir nitidamente os contornos da máquina: era parecida com um ovo alongado, apresentando três picos, um no meio e um de cada lado. Os picos eram metálicos, de ponta fina e base larga. Villas Boas não pôde distinguir sua cor por causa da forte luz vermelha que o objeto emitia. Em cima havia algo girando a alta velocidade que, por sua vez, emitia uma luz vermelha fluorescente.

           De repente, a parte debaixo do objeto se abriu e deles saíram três suportes metálicos... e isso aterrorizou Villas Boas, que previa que algo iminente iria acontecer com ele. Não disposto a esperar para ver do que se tratava, Villas Boas pôs o pé no acelerador, desviou-o do objeto voador e tentou escapar. Porém, após avançar alguns metros, o motor parou e os faróis se apagaram. Aterrorizado, ele tentou dar a partida, mas o motor não pegou mais. Em vista disso, Villas Boas pulou do trator, que estava atrás do objeto, e correu desesperadamente. Mas um minúsculo ser estranho, que mal chegava a altura dos seus ombros, pegou em seu braço. Chocado, Villas Boas aplicou-lhe um golpe que o fez perder o equilíbrio, largar o seu braço e cair para trás. Novamente, tentou correr quando, instantaneamente, três outros seres pegaram-me por trás e pelos lados, segurando seus braços e pernas. Villas Boas perdeu o equilíbrio, caindo no chão, e acabou ficando totalmente dominado pelas criaturas.

           Os seres o levantaram do solo, sem que ele pudesse esboçar sequer o menor gesto. Tomado pelo mais completo desespero, Villas Boas tentou se livrar das criaturas, mas os seres o seguravam firme e não deixaram-no escapar. Neste momento, Villas Boas gritou por socorro e xingou as criaturas exigindo que soltassem-no, mas nada adiantou. As criaturas o levaram então para sua nave que estava pousada sobre suportes metálicos. Na parte traseira do objeto voador havia uma porta, que se abria de cima para baixo, e assim servia de rampa. Na sua ponta havia uma escada de metal, do mesmo metal prateado das paredes da máquina, e que descia até o solo. Os seres estavam com a situação completamente dominada e só tiveram dificuldade em fazer Villas Boas subir pela escada, que só dava para duas pessoas, uma ao lado da outra, e não era firme, mas móvel, balançando fortemente a cada uma das tentativas de Villas Boas se livrar dos seus raptores. De cada lado havia um corrimão, com a espessura de um cabo de vassoura, no qual Villas Boas agarrou para não ser levado para cima – o que fez com que as criaturas tivessem de parar, a fim de desprender a força as suas mãos do corrimão.

           Por fim, os seres conseguiram arrancar as mãos de Villas Boas do corrimão e leva-lo para o interior da nave. Logo em seguida, deixaram Villas Boas em um pequeno recinto quadrado. A luz brilhante do teto metálico refletia-se nas paredes de metal polido. Ela era emitida por numerosas lâmpadas quadradas, embutidas debaixo do teto, ao redor da sala. Logo em seguida, a porta de entrada, junto com a escada recolhida, levantou-se e se fechou. O que impressionou Villas Boas é que, uma vez a porta fechada, ela se integrava à parede de tal forma que era impossível percebê-la. Um dos cinco seres presentes apontou com a mão para uma porta aberta e fez Villas Boas compreender que deveria segui-lo para aquele recinto. Cansado, estressado e vendo que não tinha qualquer outra alternativa, Villas Boas obedeceu a criatura. Dentro desse recinto, os únicos móveis existentes eram uma mesa de desenho estranho e várias cadeiras giratórias parecidas com as nossas cadeiras de balcão de bar. Todos os objetos eram de metal. A mesa e as cadeiras tinham um só pé no centro.

           Os seres continuavam segurando firmemente Villas Boas e pareciam conversar entre si numa linguagem completamente estranha e incompreensível – pareciam estar discutindo. Quando finalmente deu a entender que as criaturas tinham chegado a uma decisão, os cinco pararam de falar entre si e começaram a tirar as roupas de Villas Boas. Claro que Villas Boas não gostou nada da idéia de ficar nu. Imediatamente ele reagiu e começou a tentar se defender de todas as formas, inclusive debatendo-se, gritando e xingando os seres. Não adiantou: Villas Boas ficou completamente nu. Uma das criaturas se aproxima de Villas Boas segurando algo que parecia ser uma espécie de esponja, com a qual passou um líquido em todo o seu corpo. Era uma esponja bem macia e o líquido era bem claro e inodoro, porém mais viscoso do que a água. Num primeiro momento, Villas Boas pensou que fosse um óleo, mas chegou a conclusão que não era porque a sua pele não ficou oleosa, nem gordurosa. Quando passaram aquele líquido no corpo de Villas Boas, ele sentiu um frio intenso, e tremeu muito. No entanto, logo o líquido secou e Villas Boas já não sentia mais nada.

           Então, três das criaturas levaram Villas Boas para uma porta que fica do lado oposto daquela pela qual eles haviam entrado no interior da nave. Um deles tocou em algo bem no centro da porta que, em seguida, se abriu para os dois lados, como uma porta de encaixar de bar feita de uma só folha, do piso ao teto. Em cima, havia uma espécie de inscrição com letreiros luminosos de cor vermelha. Os efeitos da luz deixaram aqueles letreiros salientes, destacados da porta em um ou dois centímetros. Eram totalmente diferentes de quaisquer dos símbolos ou caracteres conhecidos. Villas Boas tentou gravá-los em sua memória, mas não conseguiu.

          Em companhia de dois seres, Antônio Villas Boas ingressou em uma pequena sala quadrada, iluminada como os demais recintos, e a porta se fechou atrás deles. De repente, a parede tornou a se abrir e pela porta entraram mais dois seres. As criaturas levavam nas mãos dois tubos de borracha vermelha, bastante grossos, cada um medindo mais de um metro. Uma das pontas do tubo estava ligada a um recipiente de vidro em forma de taça. Na outra ponta havia uma peça de embocadura, parecida com uma ventosa, que colocaram sobre a pele de Villas Boas, debaixo de seu queixo. O ser comprimiu o tubo de borracha fortemente com a mão, como se dele quisesse expelir todo o ar. Logo no início, Villas Boas não sentiu dores nem comichão, mas notou apenas que sua pele estava sendo sugada. Em seguida, Villas Boas sentiu uma ardência e teve vontade de coçar no local. Neste momento a taça se encheu lentamente de sangue até a metade. Logo em seguida, retiraram o tubo de borracha e substituíram-no por outro. Villas Boas sofre nova sangria, só que dessa vez no outro lado do queixo. Nesta segunda sangria as criaturas encheram a taça de sangue. Depois essa operação, os seres se retiraram do recinto e deixaram Villas Boas sozinho.

           Por mais de meia hora, Antônio Villas Boas ficou a sós na sala. Na sala não existiam móveis, exceto uma espécie de cama sem cabeceira nem moldura. Como estava se sentido cansado, Villas Boas sentou-se naquela cama. No mesmo instante, começou a sentir um odor forte, estranho e que lhe causou náuseas. Villas Boas teve a impressão de estar inalando uma fumaça grossa, cortante, que o deixou quase asfixiado. Talvez fosse isso mesmo que estivesse acontecendo, pois quando examinou a parede da sala com mais atenção, notou uma quantidade de pequenos tubos metálicos embutidos na parede, à altura da sua cabeça. Semelhantes a um chuveiro, os tubos apresentavam múltiplos furinhos, pelos quais saia uma fumaça cinzenta, que se dissolveu no ar. Villas Boas estava preso na sala e as criaturas estavam aplicando um gás lá. Sentido-se bastante mal e com ânsia de vômito, Villas Boas foi para um canto da sala e acabou vomitando. Em seguida, pôde respirar sem dificuldades, porém continuava a se sentir mal com aquele cheiro.

           Até aquele momento, Antônio Villas Boas não fazia a menor idéia de como era a aparência dos seres que haviam raptado-lhe. Os cinco usavam macacões bem colantes, de um tecido grosso, cinzento, muito macio e colado com tiras pretas. Cobrindo a cabeça e o pescoço, usavam um capacete de mesma cor, mas de material mais consistente, reforçado atrás, com estreitas tiras de metal. Esse capacete cobria toda a cabeça deixando à mostra somente os olhos que Villas Boas pôde distinguir através de algo parecido com um par de óculos redondos. Acima dos olhos, o capacete tinha duas vezes a altura de uma testa normal.

          A partir do meio da cabeça, descendo pelas costas e entrando no macacão, à altura das costelas, Villas Boas notou três tubos redondos de prata, dos quais não soube dizer se eram de borracha ou metal. O tubo central descia pela coluna vertebral. Na esquerda e na direita desciam os dois outros tubos, que iam até uns 10 centímetros abaixo das axilas. As mangas do macacão eram estreitas e compridas. Os punhos continuavam em luvas grossas, de cinco dedos e com a mesma cor. Nenhum dos macacões tinham bolsos ou botões. As calças eram compridas e colantes e continuavam numa espécie de bota. Todavia, a sola dos sapatos deles era de quatro a sete centímetros de espessura. Era bem diferente dos nossos sapatos. Nas pontas, os sapatos eram levemente encurvados para cima.

           Depois de um longo tempo que Villas Boas não soube precisar, começou um ruído na direção da porta. Villas Boas virou-se naquela direção e deparou-se com uma moça aproximando-se lentamente. Estava totalmente nua e descalça. Seus cabelos eram macios e louros, quase cor de platina – como que esbranquiçados – e lhe caíam na nuca, com as pontas viradas para dentro. Usava o cabelo repartido ao meio e tinha grandes olhos azuis amendoados. Seu nariz era reto. Os ossos da face, muitos altos, conferiam às suas feições uma aparência heterogênea, deixando o rosto bem largo e com o queixo pontudo, que ficava quase triangular. Tinha os lábios finos, pouco marcados, e suas orelhas eram exatamente como a de nossas mulheres comuns. Segundo Villas Boas, ela tinha um corpo lindo e com os seios bem formados. Sua cintura era fina. Os seus quadris eram largos, as coxas compridas, os pés pequenos, as mãos finas e as unhas normais. Ela era de estatura bem baixa – mal chegava nos ombros de Villas Boas.

           Essa criatura se aproximou de Villas Boas, em silêncio, e fitou-lhe com seus olhos grandes – não deixando dúvidas para com suas intenções. De repente, ela abraçou Villas Boas e começou a esfregar seu rosto e corpo contra o dele. A porta tornou a se fechar e Villas Boas ficou a sós com aquela criatura. Considerando a situação em que se encontrava, isso parece um tanto improvável... mas Villas Boas acredita que a excitação pode ter sido resultado do líquido que passaram por todo o seu corpo. De qualquer forma, Villas Boas não conseguiu mais refrear seu apetite sexual e acabaram tendo várias relações sexuais. Depois, a criatura ficou cansada e começou a respirar ofegantemente. Segundo Villas Boas, ele ainda estava excitadíssimo – o que demonstra que não era um estado de excitação sexual comum e natural. Antônio até tentou transar mais, mas ela recusou continuar com o sexo. No momento da recusa, Villas Boas percebeu que queriam ele apenas como um reprodutor para algum tipo de experiência. Apesar disso, segundo seu próprio depoimento, ele tomou o cuidado para não deixar que percebessem a sua irritação. Afinal, ele se encontrava nu, num lugar estranho, com seres estranhos, completamente sem chance de fuga e, sendo assim, não seria muito prudente e inteligente demonstrar qualquer tipo de hostilidade.

          Pouco depois de seus corpos terem se separado, a porta se abriu e um dos seres chamou a moça com gestos. Antes de sair da sala, ela virou-se para Antônio Villas Boas e apontou primeiro para sua barriga, depois, com uma espécie de sorriso, para o próprio Villas Boas e, por último, para o alto – como se quisesse dizer que Villas Boas iria ser pai de uma criança que iria viver no espaço.

           Logo em seguida, um dos seres voltou com as roupas de Villas Boas e ele, por sua vez, se vestiu imediatamente. Segundo Villas Boas, as criaturas lhe devolveram tudo, menos um isqueiro que tinha em um dos bolsos (apesar de cogitar a possibilidade de que ele possa ter caído no chão no momento da luta na hora que estavam capturando-no). Quando Villas Boas terminou de se vestir, os seres o levaram de volta para o mesmo recinto que estava antes de ter entrado naquela sala.

           Chegando lá, três dos tripulantes estavam sentados nas cadeiras giratórias, grunhindo um para o outro. Aquele que veio buscar Villas Boas juntou-se a eles e deixaram-no sozinho. Enquanto eles "falavam entre si", Villas Boas tentou gravar na memória todos os detalhes ao seu redor e observava minuciosamente tudo. Assim, reparou que dentro de uma caixa com tampa de vidro que estava sobre uma mesa havia um disco parecido com um mostrador de relógio: havia um ponteiro e, no lugar dos números 3, 6 e 9, uma marcação negra. No lugar em que normalmente está o número 12, havia quatro pequenos símbolos negros, um do lado do outro.

           Naquele momento, já bem mais calmo, Antônio Villas Boas teve a idéia de pegar aquela coisa e levá-la consigo – a título de ter uma prova concreta de sua inacreditável aventura de abdução. Imaginando que se os seres percebessem seu interesse por aquele objeto e talvez acabassem presenteando-lhe com o mesmo, tratou de se aproximar dele, aos poucos e, quando os seres não olhavam, puxou-o da mesa com as duas mãos. Villas Boas estimou que aquele objeto pesava, pelo menos, uns dois quilos. Porém, as criaturas não deram tempo para que Villas Boas olhasse o objeto de mais perto pois, com a rapidez, um dos seres acabou empurrando Villas Boas para o lado, tirou a caixa de suas mãos e, aparentemente furioso, tornou a colocá-la no lugar. Intimidado com a ação do alienígena, Villas Boas recuou até a parede mais próxima e ficou parado lá, imóvel.

           Enfim, depois de vários minutos, uma das criaturas se levantou e fez um sinal para que Villas Boas o seguisse. Assim, atravessaram a pequena ante-sala, até a porta de entrada, já aberta e com a escada descida. No entanto, ainda não desceram, mas o ser fez Villas Boas compreender que devia acompanha-lo até a rampa que havia em ambos os lados da porta. Ela era estreita, mas permitiu dar uma volta completa ao redor da nave. Primeiro foram para frente e lá Villas Boas viu uma protuberância metálica sobressaindo da nave. Na parte oposta havia essa mesma protuberância.

           O ser também apontou para os picos de metal na parte frontal. Os três estavam firmemente ligados à nave. O protuberância do meio estava ligada diretamente com a parte dianteira. As três esporas tinham a mesma forma, base larga, diminuindo para uma ponta fina e sobressaindo horizontalmente. Elas brilhavam como metal incandescente, mas não irradiavam nenhum calor. Um pouco acima da esporas metálicas havia luzes vermelhas, sendo duas laterais, que eram pequenas e redondas, e uma na da parte dianteira de grande tamanho. Eram os possantes faróis. Acima da rampa, ao redor da nave, estavam dispostas inúmeras lâmpadas quadradas, embutidas no casco. Seu brilho vermelho refletia na rampa, a qual, por sua vez, terminava em uma grande placa de vidro grosso, que entrava fundo no revestimento de metal. Como não existiam janelas em parte alguma, Villas Boas julgou que aquela vidraça serviria para olhar para fora, mesmo que não fornecesse uma boa visão pois, visto de fora, o vidro parecia bastante turvo.

           Após a vistoria da parte frontal da máquina, o ser levou Villas Boas para a parte traseira (que apresentava uma curvatura bem mais pronunciada do que a da dianteira) mas, antes disso, pararam mais uma vez, quando a criatura apontou para cima, onde estava girando a imensa cúpula em forma de prato. Ao girar lentamente, mergulhava numa luz esverdeada, cuja fonte não era possível detectar. Simultaneamente, emitia um som parecido com assobio. Quando, mais tarde, a máquina decolou, as rotações da cúpula aceleraram progressivamente, até desaparecer por completo, e, em seu lugar, permanecer apenas um brilho de luz vermelho-clara. Ao mesmo tempo, o ruído cresceu para um estrondoso uivo. Depois de ter mostrado toda a parte externa da nave para Villas Boas, o ser o levou para a escada metálica e deu a entender que ele estava livre para ir embora. Ele apontou primeiro para si próprio, depois para Villas Boas e, finalmente, para o quadrante sul no céu. Em seguida, fez sinal de que ia recuar e desapareceu no interior da nave.

           A escada metálica foi se recolhendo e a porta da nave se fechou. As luzes da esporas metálica do farol principal e da cúpula ficaram progressivamente mais intensas com o aumento das rotações. Lentamente, a máquina subiu, em uma linha vertical, recolhendo, ao mesmo tempo, seu trem de pouso. O objeto subiu devagar, até uns 30 a 50 metros de altura. Lá parou por alguns segundos, enquanto sua luminosidade se tornava mais intensa. O ruído de uivo tornou-se mais forte, a cúpula começou a girar com uma velocidade enorme, ao passo que sua luz foi se transformando progressivamente, até ficar vermelho-clara. Naquele instante, a nave inclinou-se ligeiramente para o lado, ouviu-se uma batida rítmica e, repentinamente, desviou-se para o sul, desaparecendo de vista uns poucos segundos depois.

           Finalmente, Villas Boas voltou para o seu trator. Era 01:15 horas quando foi levado para o interior da nave e retornou somente às 05:30 horas da madrugada – por mais de quatro horas ficou sob tutela daqueles inusitados seres. Com o passar do tempo, Villas Boas formou-se em Direito, casou-se e teve quatro filhos. Esse caso foi minuciosamente investigado pelo Dr. Olavo Fontes. Um dos elementos mais impressionantes na experiência de Villa Boas são as marcas escuras que começaram a surgir em seu corpo, cujas investigações indicaram como possível causa de um processo de intoxicação radioativa.