quarta-feira, 5 de outubro de 2011

A carta de John Lear



John Lear (JL) , um capitão de grande Companhia Aérea dos EUA, já voou com mais de 160 aeronaves diferentes, sobre mais de 50 países. Ele possui 17 recordes mundiais em velocidade com um Lear Jet, e é o único piloto comercial a possuir o certificado de piloto cedido pela Administração Federal de Aviação dos EUA. JL já voou pelo mundo em missões para a CIA e outras agências do governo americano, foi o designer do Lear Jet, EMPRESA DE JATOS EXECUTIVOS DA QUAL É FILHO DO FUNDADOR DA EMPRESA Lear Jet.. JL começou a interessar-se pelo fenômeno UFO, 13 meses após falar com o Pessoal da USAF. Foi testemunha do pouso de uma nave em Bentwaters AFB, próxima a Londres, Inglaterra, e três pequenos ALF's (Alien Life Forms, Greys) andaram até o comandante da base.



Esta é uma reprodução

John Lear 1414 Hollywood Blvd Las Vegas, Nevada 89110

13 de dezembro de 1987

Caro Steven:

Foi bom conversar com você na noite passada. Eu estou enviando os “DULCE PAPERS” para sua informação. Também está incluída uma transcrição da conversação McCampbell com Paul Bennewitz e o Projeto Beta. Também a declaração de Gary Stollman. O que se segue é a minha atual hipótese formada depois desta viagem de duas semanas por Colorado, Novo México e Arizona falando com várias pessoas, algumas da força aérea, algumas dos Laboratórios Sandia e muitas outras.

MJ-12, representando o governo americano, fez um trato com os EBEs (EXTRA- TERRESTRIAL BIOLOGICAL ENTITIES) ou “Greys” no período de 1969- 1970-1971. O “acordo” foi que em troca de tecnologia: os extraterrestres no-la forneceriam e nós ignoraríamos as abduções que estavam acontecendo. Os EBEs nos asseguraram que estas abduções tinham o único propósito de monitoramento do desenvolvimento de civilizações: (na verdade estas abduções ocorriam visando o atendimento de três propósitos: (1) inserção de um pequeno aparelho de mais ou menos 3 milímetros de tamanho via nasal no cérebro para propósitos de monitoramento e programação; (2) sugestão pós hipnótica relativa a um evento que ocorreria num prazo de entre dois a cinco anos e que indicaria ao indivíduo algum lugar aonde ir ou alguma coisa a ser feita; mesmo com as nossas melhores técnicas hipnóticas, nós ainda não fomos capazes de descobrir o que ou aonde se refere este evento, e (3) intercruzamento genético entre EBEs e humanos.

Durante muitas sessões de regressões hipnóticas de mulheres abduzidas com gravidez de término anormal estas mulheres tem visto estes “cross-breads” (híbridos), que geralmente são frágeis seres com cabeças comparativamente grandes, pele fina, braços e pernas muitos finos. Já que nós não estávamos prevenidos sobre estes fatos, eles levaram a diante o acordo mas insistiram em que uma lista dos indivíduos abduzidos fosse periodicamente submetida ao Conselho de Segurança Nacional e ao MJ-12.

Os EBEs tem uma desordem genética em seu sistema digestivo, o qual é atrofiado e não funcional. Muitas pessoas especulam que eles podem ter estado envolvidos em algum tipo de guerra nuclear ou então, estarem no final descendente de uma curva genética. Para se manterem, eles usam enzima e secreção hormonal obtida das línguas e gargantas de gado ou de humanos. (Nota: gado e humanos são geneticamente similares. Em caso de um desastre em escala nacional, o sangue do gado poderia ser usado em humanos) Esta secreção é misturada com H2O2 (peróxido de hidrogênio]- a chamada água oxigenada -, e uma outra substância. A mistura é então aplicada na pele ou as mãos, que são mergulhadas nesta solução. O corpo absorve desta forma a mistura e excreta os resíduos também pela pele.

As mutilações de gado tiveram sua ocorrência predominante entre 1973 e 1983 e foram publicamente noticiadas por revistas e jornais e até em um documentário produzido por Linda Howe da rede afiliada da CBS em Denver, Colorado e eram motivadas para a coleta destas secreções e de outros itens. As mutilações incluíam a retirada dos genitais, do reto, olhos, língua e garganta; todos cortados com extrema precisão cirúrgica. As incisões eram feitas entre as células, separando as estruturas moleculares. Esta é a razão porque não havia sangue nos locais e porque não ocorria colapso vascular. Isto também tem sido realmente aplicável nos casos de mutilação humana, tendo sido um dos primeiros o do Sargento Jonathan P. Louette na área de testes de mísseis de White Sands em 1956, que foi achado três dias depois que um major da Força Aérea tinha testemunhado a sua abdução por um objeto voador em forma de disco, mas os menos as duas horas da manhã. Os genitais dele tinham sido removidos, o reto retirado com uma precisão cirúrgica acima do cólon, os olhos removidos, estava sem sangue e sem colapso vascular. Por algumas destas evidências parece que a “cirurgia” é realizada, na maioria dos casos, com a vítima viva. Estas partes são levadas para alguns laboratórios subterrâneos, um dos quais é conhecido ser localizado a 2,5 milhas a noroeste da pequena cidade de Dulce, no Estado do Novo México, a um quilômetro de profundidade abaixo de Archuletta Mesa. Esta instalação subterrânea é ocupada por uma coligação de humanos e extraterrestres (CIA-Alien); tendo sido descrita como enorme, com corredores que parecem não ter fim. Vários desenhos a tinta de fotos tiradas dentro destas instalações foram recentemente liberados com os “Dulce Papers”. As fotos mostram grandes tanques com carne pálida sendo agitada dentro deles. Um abduzido durante uma sessão de regressão hipnótica recordou de grandes tubos com humanos dentro. “Eu vi um bebê dentro de um deles”.

Depois do acordo inicial estabelecido entre o MJ-12 e os aliens, Groom Lake, um dos mais secretos centros de teste nacionais, localizado em Nevada foi fechado por um período de dois anos (1972-1973); é uma enorme instalação subterrânea para e com a ajuda dos EBEs. A “barganha por tecnologia” ocorreu, mas só podia ser operada pelos próprios ETs. É desnecessário dizer que esta tecnologia não pode ser usada contra os extraterrestres em caso de necessidade.

Durante o período de 1979 a 1983 cada vez foi ficando mais óbvio para o MJ-12 que as coisas não estavam saindo como haviam sido planejadas. Logo se tornou conhecido que muito mais pessoas (contadas em milhares) que estavam sendo abduzidas não constavam das listas de abduções oficialmente fornecidas ao Conselho de Segurança Nacional e ao MJ-12 e que as abduções incluíam outras atividades ao invés de se restringirem ao “simples monitoramento realizado por uma civilização avançada”. Adicionalmente, se tornou óbvio que muitas, mas não todas, das crianças americanas desaparecidas tinham sido usadas para obtenção dos materiais requeridos pelos EBEs.

Em 1979, ocorreu uma altercação entre as partes no laboratório de Archuletta. As Forças Especiais Delta foram chamadas para tentar libertar um grupo de pessoas que estavam aprisionadas na instalação e que tinham tomado conhecimento do que estava acontecendo. 66 soldados morreram nesta tentativa e os humanos não foram libertados.

Em 1984, MJ-12 deve ter visto, paralisado de horror, o terrível engano que foi cometido quando pactuaram com estes EBEs. Eles haviam sub-repticiamente promovido o filme “Contatos de Terceiro Grau (“CLOSE ENCOUNTERS OF THE THIRD KIND”) e “E.T.” para familiarizar o público com estes aliens de “aparência estranha” que seriam compassivos, benevolentes, e verdadeiros irmãos espaciais. Eles “venderam ” ao público esta imagem dos EBEs e agora estavam diante do horripilante fato de que a verdade era justamente o oposto. Além disso, um plano havia começado em 1968-1969 para fazer com que o público de nosso planeta soubesse da realidade ET nos próximos 20 anos, que culminaria com muitos documentos sendo liberados durante o período compreendido entre 1985-1987. Estes documentos explicariam a história e as intenções dos EBEs. A descoberta desta “Grande Mentira” fez com que as esperanças, planos, desejos e sonhos do MJ-12 entrassem em completa confusão e se instalasse o pânico.

Encontros no “Country Club”, uma hospedagem afastada que possui um campo de golfe particular e apropriadas instalações para descanso e trabalho que foram construídas para uso exclusivo dos membros do MJ-12, agora se dão meio ao clima da divisão em facções quanto à decisão que deva ser tomada. Parte do MJ-12 deseja confessar todo o esquema e debate de que forma isto deve vir a público, de que forma apresentar suas desculpas, e pedir apoio. A outra metade do MJ-12 rebate com a afirmação de que não há maneira de se fazer isto, a situação seria insustentável e não é de qualquer utilidade excitar o público com o conhecimento da “horrível verdade” e assim, o melhor plano seria continuar o desenvolvimento de um arsenal que pudesse ser usado contra os EBEs sob a cobertura do “SDI”, a Iniciativa de Defesa Estratégica (STRATEGIC DEFENSE INITIATIVE), que nunca teve nada a ver com defesa contra mísseis nucleares soviéticos. Enquanto estas palavras estão sendo escritas, o Dr. Teller “pai da bomba H”, está nos túneis de teste da Área de Teste de Nevada dirigindo seus trabalhadores e associados conforme um deles diz, “como um homem possuído”. Ele também conta que o Dr. Teller foi um dos membros do MJ-12, juntamente com o Dr. Kissinger, Bobby Inman e possivelmente o Almirante Poindexter, para citar alguns dos atuais membros do MJ-12.

Antes da “Grande Mentira” ter sido descoberta e de acordo com os planos meticulosos de controlada liberação de informação para o público, alguns documentários e videoteipes foram feitos. William Moore, um pesquisador ufológico de Burbank, Califórnia recebeu um videoteipe por meio de seus contatos com membros do MJ-12 que tiveram um grande interesse no livro de Mr. Moore, “The Roswell Incident”, publicado em 1980. O livro detalha a queda, resgate, e subsequente história cobertura sobre um UFO com quatro corpos de aliens mortos. Eles decidiram usar Moore como um entre alguns condutores que iriam ajudar na gradual liberação da informação sobre a existência de aliens.

O vídeo que Mr. Moore recebeu era o de uma entrevista de dois muito conhecidos homens de notícias com um agente militar associado ao MJ-12. Na entrevista o oficial militar responde perguntas relacionadas à história do MJ-12 e o acobertamento, o resgate de alguns discos voadores, a existência de vida alienígena (um entre três EBEs ainda estava vivo, entre os designados EBE1, EBE2, e EBE3) e sendo mantido em uma instalação denominada YY-II em Los Alamos, Novo México. A única outra instalação deste tipo é localizada na base aérea de Edwards em Mojave, Califórnia. O oficial citou nomes anteriormente mencionados e alguns outros até então não conhecidos: Harold Brown, Richard Helms, Gen. Vernon Walters, e Von Karmon. O oficial também citou o fato de que os EBEs afirmavam terem sido os criadores de Cristo. Os EBEs teriam algum tipo de aparelho de gravação que teria gravado toda a história do planeta Terra e esta história poderia ser apresentada na forma de hologramas. Este holograma pode ser filmado da forma em que ele funciona mas as coisas não aparecem então nitidamente. A crucificação de Cristo no Monte das Oliveiras aparentemente teria sido filmada para ser mostrada ao público. Os EBEs afirmaram que criaram Cristo tendo em vista a “Grande Mentira”, que pode ser um esforço para romper com os valores tradicionais; a razão para isto é desconhecida.

Um outro videoteipe que se diz existir é o de uma entrevista com um EBE. Como os EBEs se comunicam por meios telepáticos, um Coronel da Força Aérea serve como intérprete. Exatamente antes da recente queda do mercado de ações, alguns homens de notícias, inclusive Bill Moore tinham sido convidados a Los Alamos para pessoalmente filmarem e distribuírem ao público um tipo similar de entrevista. Aparentemente, por causa da queda do mercado, houve o sentimento de que o tempo não era propício.

Moore também possui outros documentos do projeto Aquarius, as primeiras poucas páginas dos quais apareceram alguns anos atrás e detalharam um projeto super secreto da NSA que tem sido negado por eles até bem recentemente. O Projeto Aquarius trata da comunicação com aliens, especificamente os EBEs. Dentro do projeto Aquarius estava o projeto Snowbird, que se refere ao teste de uma espaçonave alienígena recuperada em Groom Lake, Nevada.

Moore sentiu que o MJ-12 tinha jogado com ele, prometendo ir a público com muitas das informações sobre os extraterrestres durante um longo tempo. Então, ele tomou a decisão de que se o MJ-12 não levasse em frente a informação e a liberasse publicamente até o final de 1987 então ele, Moore, iria com o “com o que ele tinha obtido”, i.e. os videoteipes, os documentos remanescentes do Aquarius e outros materiais que possuía.

Algumas das afirmações de Moore levam alguns a acreditar que Moore é um agente do governo trabalhando para o MJ-12, não se estendendo muito, mas se estendendo o suficiente para fazer com que muitos ufologistas esperançosos acreditem que a verdade está somente na periferia. Considere:

1.. Moore afirma enfaticamente que ele não é um agente do governo, entretanto quando Les Graham (um ufologista do sul da California) foi investigado pelo DIS em razão de documentos que ele havia recebido de Moore, Moore negou ter estes documentos.

2.. Moore afirma enfaticamente que as mutilações de gado eram uma farsa para que Linda Howe criasse publicidade para si própria. Ele cita o livro “Mute Evidence” como a linha inferior da farsa.

3.. Moore afirma que o livro de física da academia da força aérea americana “Introductory Space Science” Volume II Capítulo 13 intitulado Unidentified Flying Objects e que descreve os quatro tipos dos aliens mais vistos (um dos quais era um EBE) foi escrito por um Tenente Coronel e um Major que não sabiam do que estavam falando e estavam meramente citando “excentricidades”. Ele disse que o livro foi recolhido para a eliminação deste capítulo.

Se o governo sentiu que eles estavam sendo forçados a reconhecer a existência de aliens na Terra em virtude a esmagadora e progressiva quantidade de evidências e levando em consideração a “Grande Mentira” e as intenções obviamente hostis dos EBEs, poderia ser manobra do MJ-12 admitir os EBEs mas esconder a informação sobre as abduções e as mutilações. Se o MJ-12 e Moore estavam em algum tipo de acordo seria benéfico para ambas as partes estabelecer uma linha de separação. Por exemplo “…aqui estão muito outros documentos genuínos, mas não discuta sobre as mutilações ou as abduções”. Se Moore ainda estivesse trabalhando para o MJ-12 ele seguiria esta linha pré estabelecida de qualquer forma …negando as mutilações e as abduções.

O tempo dirá. É possível que Moore vá em frente e apresente o vídeo da entrevista com o oficial militar por volta do ano novo. Do ponto de vista do MJ-12 o público receberá a informação sem realmente nela acreditar por que Moore não é uma fonte que goze de credibilidade, disse, o Presidente dos Estados Unidos. Após alguns meses de digestão e de discussão uma fonte muito mais acreditada pode emergir com uma informação que é, de fato, a de que a entrevista é de fato verdadeira.

Se, por outro lado, Moore não liberar o vídeo até, digamos, 01 de fevereiro, e vir com uma história parecida com: “MJ-12 me informou que eles estão definitivamente planejando uma liberação total de toda informação para outubro de 1988. Eu vi o planejamento e vi garantias que isto acontecerá. Assim, decidi que a liberação no momento presente do meu videoteipe poderia causar “, isto seria, na verdade, ganhar mais tempo para o MJ-12, e tempo é o que eles precisam desesperadamente.

O restante de nós tem apenas que supor que a grande imagem está em qualquer lugar. Será que os EBEs, após terem feito centenas de milhares de abduções e construído um desconhecido número de bases subterrâneas, (Groom Lake, Sunspot, Datil, Pietown, Northern Nevada, Roswell, só para nomear algumas) estarão prontos para voltarem para onde eles vieram? Ou analisando a óbvia preparação, nós podemos pensar que de fato eles estão se preparando para algo maior? Ou ainda, uma situação mais sinistra e mais provável, a de que a invasão já está essencialmente completa e tudo mais é em vão.

Uma invasão bem planejada da Terra para obtenção de recursos e benefícios não começaria com aterrissagens em massa e um monte de armas de raios. Uma invasão bem planejada e executada por uma civilização milhares, ou provavelmente, centenas de milhares de anos de avanço sobre nós, estaria antes completa e apenas uns poucos, talvez 12 pessoas, dela teriam conhecimento. Sem distúrbios, tranqüilamente efetuada. Aqui está uma lista de alguns dos prováveis visitantes da Terra. O único lar conhecido destes visitantes é o dos EBEs que se encontra em Zeta Reticuli 1 e 2, um sistema estelar binário visível no hemisfério sul, a aproximadamente 38 anos luz e com uma classe espectral G2, idêntica ao nosso sol.

Três tipos de EBEs (Greys)

Grey-1: 1,25 a 1,32 metros de altura, grande cabeça com grandes olhos oblíquos. Reverenciam a tecnologia. Não se importam com a Humanidade.

Grey-2: O mesmo tipo, diferente arranjo de dedos, face ligeiramente diferente. Mais sofisticados do que os de tipo 1, usam o senso comum e são passivos. Parecem não precisar de secreções.

Grey-3: O mesmo tipo básico. Lábios mais finos. Mais subservientes aos outros dois tipos.

Louros, Suecos, Nórdicos

Similares aos Humanos. Cabelos louros, olhos azuis. Não quebrarão a lei universal da “não interferência” para nos ajudar. Só poderão interferir se a atividade Grey causar um efeito adverso em outra parte do Universo.

Interdimensional

Entitade que pode assumir formas variáveis. São de natureza pacífica.

Anões Cabeludos

1,32 metro de altura, aproximadamente 20 quilos de peso. Extremamente fortes, cabeludos e neutros. Não são nocivos à vida inteligente.

Raças muito Altas

Parecem humanos e tem mais de dois metros de altura. São unidos aos Louros.

Humanos de aparência similar aos louros, vistos com os Greys

São criados pelos Greys. Tem mentalidade infantil.

MIBs

Os homens de preto. Vestem-se todos de preto. Usam óculos escuros. A pele é muito pálida. Não agem de acordo com os padrões comuns. São extremamente sensíveis à luz. Podem ser uma imagem holográfica.

Isto é tudo o que tenho para você agora exceto que ainda tenho que dizer para você que Moore mostrou o videoteipe para ver as reações das pessoas. Uma destas pessoas foi Paul Harvey, um comentarista de notícias muito conhecido e amigo pessoal. Paul disse que viu a evidência mas rejeita o conteúdo. Eu falei com ele outro dia brevemente pelo telefone para dizer a ele que o vídeo era verdade e que teria de fato informação importante e que ele devia estar atento para o que se conhece como a Grande Mentira. Eu contei a ele que ao menos uma coisa não era verdade, a história que os EBEs inventaram Cristo. Ele disse que, de qualquer forma, não tinha acreditado nesta parte. Eu falei a ele que seria importante conhecer “o resto da história” e que eu estarei em Chicago em poucas semanas para falar com ele. Ele disse que eu serei bem vindo.

Uma palavra sobre “canalizações e canais. Pura e sem adulterações ilusões. Os Greys tem criado estes “Irmãos Espaciais” para apelar para um certo segmento da população que poderia estar procurando por informação real.

Um comentário: